Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Alta Magia Magia Cerimonial Autodefesa Psíquica Conclusão

Conclusão


Autodefesa Psíquica

 Nas páginas anteriores, procurei cumprir uma difícil tarefa, uma tarefa cuja  execução satisfatória é quase impossível. As limitações de espaço me impedem  de explicar passo a passo as minhas idéias e de lhes oferecer as provas. Para  fazê-lo, seria necessária uma biblioteca, não um livro. Tive que presumir, em  meus leitores, não apenas uma familiaridade com a literatura do ocultismo, mas,  o que é muito mais raro, alguma experiência de sua prática. Ao mesmo tempo,  procurei oferecer explicação suficiente, pois quis tornar estas páginas  compreensíveis para aqueles cuja familiaridade com o assunto é apenas  superficial.Este livro não é, e não pode ser, um manual satisfatório para o tratamento dos  distúrbios psíquicos. Tudo que ele pode fazer é apontar as direções em que as  investigações poderiam prosseguir com proveito .

 Posso ser acusada de ter revivido as superstições da Idade Média. Dessa  acusação, devo declarar-me culpada. Mas devo apresentar como  alegação em  contrário a declaração de que não haveria tanta fumaça se  não houvesse algum  fogo, e que as superstições da Idade Média podem merecer um exame à luz das  recentes descobertas sobre a psicologia da subconsciência .

 Quem quer que esteja familiarizado com a literatura da pesquisa psíquica, da  psicologia anormal, e dos aspectos mais inferiores desse  movimento que se  originou da inspiração da Ciência Cristã e se difundiu numa centena de cultos  descontrolados, não pode deixar de surpreender-se com o fato de que os antigos  caçadores de bruxas buscavam exatamente os mesmos fenômenos que  encontramos em todos esses diferentes movimentos e campos de pensamento.      Tem-se dito que, como descobrimos as marcas da histeria liberalmente  distribuídas entre os infelizes seres acusados de bruxaria, o culto das bruxas está  explicado e liquidado. Mas podemos descobrir que um estudo dos motivos que  embasam o culto da bruxa lançaria alguma luz sobre a histeria e os estados   mentais alienados .

 Tem-se dito também que a história caminha em círculos. Nos dias de hoje  estamos presenciando uma grande revitalização do interesse pelos assuntos  psíquicos e ocultistas. Não precisaremos esperar muito para descobrir que um  culto das bruxas dará também os seus primeiros passos promissores em nosso  meio .

 Lembremos que os casos que citei nestas páginas provêm da experiência de  uma única pessoa, e eu não sou de maneira alguma excepcional no alcance de  minha experiência, embora possa ser menos cautelosa do que muitos em confiá- la ao papel. Se um pouco do balde revela tanto, o que não poderia ser  descoberto pela dragagem sistemática? Como a minha abordagem do assunto deve necessariamente superficial quero  dirigir a atenção de meus leitores para certos livros que iluminam a questão de  vários ângulos.  Não só os ocultistas mas também os psicólogos, os alienistas e os estudiosos de  assuntos psíquicos têm uma imensa dívida de gratidão à erudição do Rev.  Montague Summers e ao empenho dos Srs. Rodker  por tornarem acessíveis  traduções exatas e completas dos principais livros sobre bruxaria que foram escritos pelos homens que estavam preocupados em esmagar o culto das bruxas  e que tiveram conhecimento de primeira mão sobre sua natureza .

 Além destes, eu chamaria a atenção de meus leitores para The Projection of the  Astral Body, de Muldoon e Carrington, que lança uma interessante luz sobre a  maneira pela qual as bruxas genuínas participavam dos Sabás. Não pretendo  que essas palavras impliquem que o Sr. Muldoon se entrega à bruxaria, mas ele  certamente possui os poderes tradicionais, e se ele pode fazer essas coisas nos  dias de hoje, por que não poderiam as bruxas fazê-las no passado? Seja como  for, não penso que haja muita dúvida de que a Santa Inquisição lhe teria feito a  homenagem de queimá-lo se ele tivesse vivido durante o seu apogeu .

 Thirty Years Among the Dead, do Dr. Wickland, é outro livro que traz a  autoridade da experiência pessoal, ao invés de citar autoridades e de teorizar  sobre elas. Trata-se do relato de um médico de um asilo cuja esposa é médium e  que fez uma série de observações notáveis a respeito da natureza das entidades  obsediantes .

 No Livro do Dr. Mool sobre hipnotismo relatam-se alguns interessantes  fenômenos que não se acham mais nos livros modernos, seja por que os  investigadores são menos capazes de explicá-los ou mais cautelosos para  comunicá-los, aproveitando-se da experiência dos primeiros investigadores.  Alguns dos primeiros livros sobre hipnose e mesmerismo fornecem algumas  interessantes leituras para o investigador psíquico.  Medical Psychology and  Psychical Research, do Dr. T. W. Mitchell, é outro  livro valioso para o estudante, que deveria estar familiarizado não só com os  sinais do ataque psíquico, mas também com os sinais do pseudo  ataque, para  que pudesse distingui-los e não cair em alguns erros desagradáveis. Descobrir  que fomos logrados com sucesso por um lunático é uma experiência  humilhante .

 Human Personality, de Myers, é naturalmente um clássico com que todo  estudante dos fenômenos  psíquicos deveria estar familiarizado. Há uma  excelente edição resumida disponível para aqueles que não se sentem capazes  de enfrentar os dois maciços volumes de sua forma original .

 Dream Psychology, de Nicholl, e Psychology of Insanity, de Hart, são dois  livros muito esclarecedores, ambos escritos para o leigo e facilmente  inteligíveis. Eles lançam uma grande luz sobre os mecanismos da mente, e  ninguém deveria dispor-se a enfrentar um ataque psíquico sem compreender  esses mecanismos. Meu próprio livro, Machinary at the Mind, escrito sob meu nome de solteira, Violet M. Firth, é, como acredito, uma útil introdução geral à  psicologia moderna .

 Não nos aproximemos do tema da bruxaria moderna com um espírito de  incredulidade ou de superstição, mas do ponto de vista do psicólogo,  procurando compreender o funcionamento da mente e preparados para descobrir  muitas coisas que até então passaram despercebidas .

 A Sociedade da Luz Interior, fundada por Dion Fortune, tem Cursos para  aqueles que desejam seguir seriamente o estudo da Tradição Esotérica  ocidental. Os pedidos de informação devem ser endereçados a: The Secretary, Society of the Inner Light, 38 Steele’s Road, London, N.W. 3 Nota do Editor Inglês Antes de sua morte, ocorrida em 1946, Dion Fortune compreendeu que  Autodefesa Psíquica poderia desencaminhar os leitores que tinham pouco  conhecimento do eu interior .

 Ela própria tinha um vivo interesse pela psicologia e teria escrito um livro  intitulado The Psychological Qabalah, se a morte não a impedisse. Nos últimos  anos, tem havido grandes progressos na ciência da mente e da “psique”,  acompanhados, infelizmente, por um grande aumento do uso de drogas  alucinógenas  — muitas delas anteriormente desconhecidas  — que podem  causar simulacros do ataque psíquico .

 Quando os leitores se acreditarem vítimas do que é amiúde chamado de “Magia  Negra”, devem consultar um clérigo, um médico compreensivo ou — se há  provas de ameaças e perseguições — a polícia. A Sociedade da Luz Interior não  dá nenhum conselho sobre esses  assuntos além da recomendação geral dada  acima, e esta Sociedade titio mantém correspondência ou debates sobre o  conteúdo deste livro .

 


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.

Conteúdo relacionado