Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Alta Magia Magia Cerimonial Autodefesa Psíquica Os Perigos Não-Ocultos da Loja-Negra

Os Perigos Não-Ocultos da Loja-Negra


Autodefesa Psíquica

 

Os fatos considerados no capítulo anterior, embora nos possam tornar  cautelosos quanto ao exame das provas, não nos devem cegar quanto ao fato de  que há ovelhas negras em todos os rebanhos e de que uma fraternidade que  começou com as melhores intenções pode inadvertidamente, pela ignorância ou  imperfeição de seus dirigentes, desviar-se para o Caminho da Mão Esquerda.  Pessoas perfeitamente inocentes podem associar-se a ela numa fase de  degradação não confessadamente negra, e essas pessoas podem ver-se em águas  que são desagradavelmente turvas, se não realmente perigosas .

 Os perigos esotéricos serão estudados em detalhe no próximo capítulo e  consideraremos aqui os perigos exotéricos que podem ocorrer atrás do Véu do  Templo, pois a natureza humana é sempre a mesma onde quer que a  encontremos, e mostra pouca originalidade em escolher seu caminho para o  Abismo. Poder-se-ia pensar que num livro como este não é necessário abordar  tais assuntos, mas se este livro deve servir ao propósito para o qual foi escrito, é  necessário fazê-lo por três razões; em primeiro lugar, porque a maior parte dos  estudantes de esoterismo são mulheres, e mesmo em nossos dias esclarecidos  elas geralmente ignoram a vida do submundo, e uma Loja Negra conduz por um  caminho direto e estreito para a terra de apaches e mundanas, lado a lado com  as suas outras inconveniências. Em segundo lugar, porque o conhecimento  desses fatos é essencial para a diagnose diferencial. E, em terceiro lugar, porque  os poderes ocultos não são incomumente utilizados para a obtenção de fins  puramente mundanos e, por conseguinte, quando a questão da criminalidade  comum está associada a uma organização oculta, os resultados podem ser  complicados por uma mistura de métodos que pertencem a outro plano .

 Devemos sempre lembrar que uma loja não precisa necessariamente ter sido  formada com o propósito expresso de burlar a lei; ela pode ter-se iniciado com  um fim perfeitamente legítimo, e ter sido explorada por pessoas malévolas para  seus próprios objetivos, pois, devido à natureza secreta de seus procedimentos,  a forma de organização da fraternidade se presta a várias formas de transgressão  da lei .

 Sabe-se muito bem que uma organização oculta se envolveu com o tráfico de  drogas, e que outra estava metida com o vício antinatural. Uma terceira  degenerou num estabelecimento pouco melhor do que uma casa de má fama, e  seu chefe era um experiente aborteiro. Outras se envolveram com políticas  subversivas. Aqueles que se juntam às fraternidades sem investigá-las — a elas  e às credenciais dos dirigentes — criteriosamente, podem ver-se envolvidos em  uma ou em todas essas coisas .

 Atrás do véu do segredo, guardado por impressionantes juramentos, muitas  coisas podem acontecer, e é, portanto, essencial tomar cuidadosas informações a respeito do caráter, das credenciais e da folha-corrida dos líderes de uma  organização .

 Se esses dados não são acessíveis, algo está errado. O Estranho Misterioso, que  acabou de chegar do Oriente ou do continente com referências vagas, é  provavelmente uma fraude .

 Se encontramos alguma dificuldade para descobrir os antecedentes de um  pretenso adepto, podemos consultar o conhecido periódico Truth, da Carteret  Street, S. W. I. Truth foi originalmente fundado para denunciar os abusos na  vida econômica e pública,  e para esse fim ele mantém uma “Lista Negra” de  indivíduos que devem ser evitados. Esse periódico é leal e destemido em seus  métodos, não um perseguidor nem um encomiasta de pessoas. Ele mantém um  olho vigilante sobre o campo do ocultismo e expõe ao ridículo os charlatães,  uma tarefa para a qual ele deveria contar com a gratidão e o apoio de todos os  que têm a causa da Religião da Sabedoria no coração .

 O perigo mais comum a que uma pessoa que entra na companhia de indivíduos  indesejáveis está exposta é o de ser induzida a entregar mais dinheiro do que é  conveniente pelos expedientes tradicionais da trapaça e da chantagem, sendo  esta de longe a forma mais comum de aborrecimento nas Lojas Negras. O único  remédio em todos os casos é colocar o assunto nas mãos da polícia. Em  primeiro lugar, é seu dever como cidadão para que outros não sejam envolvidos  como você. Em segundo lugar, se você não o faz, os perseguidores não o  deixarão até que o tenham sugado por completo, e não o deixarão se  descobrirem que você é  útil como joguete. Jamais nos livramos de um  chantagista dando-lhe dinheiro. Isso é apenas um convite para que ele o faça  novamente. Aja rápida e firmemente no início e você logo estará no fim de seus  aborrecimentos .

 Conseguir dinheiro com ameaças é chantagem, e obrigar alguém a fazer certas  ações por ameaça também é um crime. Acordos fechados ou documentos  assinados em conseqüência de ameaças não têm validade. As ameaças não  precisam ser necessariamente grosseiras e abertas, como as que são feitas com  um  revólver; tudo aquilo que o coaja contra suas inclinações pode ser  interpretado como uma ameaça. Por exemplo, suponha que lhe informaram,  ainda que com tato, que se você não subscrever os fundos de uma organização,  seu interesse pelo ocultismo estará sujeito a ser alvo de comentários, e poderá  envolvê-lo em aborrecimentos com seus parentes ou empregados. Isso, aos  olhos da lei, é chantagem. Qualquer coisa, de fato, que tira vantagem do medo  de uma pessoa é uma chantagem.Consideremos agora qual é a melhor coisa a fazer se você está sendo  chantageado. Dificilmente será sensato responder à chantagem com chantagem.  A melhor coisa a fazer é responder que você pensará no assunto e verá o que  pode ser feito, e então ir direto ao posto policial mais próximo e contar toda a  história. Você pode estar certo de que será atendido com a máxima gentileza e  atenção, e que todo esforço será feito para ajudá-lo, mesmo que você tenha que  admitir que sua conduta não foi irrepreensível. Indo à polícia e contando  francamente o estado de seus negócios, você estará depondo contra o réu, e as  autoridades têm todo interesse em proteger as pessoas que fazem isso .

 Não se desencorage pelo fato de que não pode apresentar nenhum testemunho  adicional em apoio de sua afirmação. A polícia poderá dizer-lhe que não há  prova evidente para solicitar um mandado de prisão; entretanto, eles farão  investigações, e o próprio fato de a polícia estar investigando é suficiente para  tirar o sossego dos chantagistas e provavelmente para espantá-los do país, e eles  normalmente não farão revelações inconvenientes en route, preferindo antes  fugir enquanto é possível. Além disso, a sua queixa irá para os registros da  polícia, e a vigilância será mantida; no devido tempo, outra queixa pode ser  feita, ou, pelo que você sabe, já pode ter sido feita, e então a rede começa a se  fechar .

 Lembre-se sempre de que uni chantagista tem mais medo de expor-se do que  você; por qualquer aborrecimento que possa estar reservado para você, ele tem à  frente um longo período de reclusão. Uma oportuna lembrança desse fato faz  maravilhas com os presumíveis chantagistas .

 O medo de expor as suas próprias falhas não deve detê-lo. A natureza das  acusações feitas contra você pelo chantagista jamais será mencionada. Não é  você quem está sendo julgado. E sua identidade não será revelada. Você será  designado como Sr. A. ou Sra. B. Longe de ser tratado como uni criminoso ou  de ter um dedo acusador apontado contra você, descobrirá que é visto como  uma pessoa que está prestando um serviço público e todo esforço será feito  pelas autoridades para desembaraçar seu caminho. Um esforço deliberado está  sendo feito no presente para extinguir esse crime abominável, e os juizes têm  aplicado sentenças exemplares e procurado proteger os demandantes de todas as  maneira, no propósito de encorajá-los a apresentarem-se .

 Mas além de qualquer forma de coerção, pessoas incautas, cheias de entusiasmo  ou encantadas pela nova revelação, podem despender muito mais dinheiro do  que seria razoável; elas podem mesmo despender tudo que têm, e, depois,  desiludidas pelos eventos posteriores, lamentar grandemente o tê-lo feito. Em  muitos casos, um procurador competente pode conseguir a devolução dos bens. Os tribunais não vêem com bons olhos as contribuições excessivas aos  “movimentos” .

 Não é preciso dizer que nenhuma organização conduzida corretamente  consentiria em aumentar seus fundos às expensas da ruína de um de seus  membros. Cumpre também, naturalmente, proteger-se contra a extravagância e  a malevolência e as maquinações do indivíduo que tenta comprar prestígio por  intermédio das subscrições. Sempre foi nosso costume, na Fraternidade da Luz  Interior, insistir em que qualquer mulher que se propõe a dar uma grande  doação deveria consultar seu conselheiro de finanças antes de fazê-lo. Por uma  razão ou outra, recusamos mais de vinte e cinco mil libras durante os últimos  sete anos. E não temos qualquer razão para lamentar tê-lo feito. A força de uma  organização oculta não está no plano físico .

 Ë bem sabido que há várias drogas que podem ser utilizadas para exaltar a  consciência e induzir um psiquismo temporário. Mas talvez não se saiba que  muitas dessas substâncias estão sujeitas ao controle das autoridades e que obtê- las de fontes irregulares, ou mesmo ter a posse delas para fins ilegítimos,  constitui crime sujeito a prisão, e nesse caso também as autoridades estão  alertas e os magistrados costumam ser extremamente drásticos .

 Todos os iniciados do Caminho da Mão Direita concordam em que exaltar a  consciência por meio de drogas é um procedimento perigoso e indesejável.  Existem pesquisadores que por razões legítimas desejam empreender uma  experiência, mas não posso conceber qualquer razão legítima para introduzir um  neófito no hábito das drogas. Em todo caso, se tais experiências são tentadas,  elas deveriam ser conduzidas sob a supervisão de um médico qualificado, que  estaria em condições de prevenir a catástrofe ou de lidar com ela no caso de sua  ocorrência. As drogas que alteram a consciência afetam também o coração, e o  coração nem sempre é como deveria ser. Além disso, a composição das drogas  raras não está padronizada e varia bastante; elas podem conter várias impurezas,  e as amostras podem tornar-se anormalmente tóxicas. O aborrecimento de  termos sob as mãos um cadáver inesperado e inexplicável só é superado pelo  desgosto de tornarmo-nos nós mesmos o cadáver, e uma dessas eventualidades  pode ocorrer quando as pessoas começam a fazer experiências com drogas que  “afrouxam os laços da mente” .

 A moral da humanidade em geral deixa muito a desejar, do ponto de vista do  puritano, e as organizações ocultas que ocupam as costas marítimas da Boêmia,  mais ainda. As poucas organizações que afirmam que o ocultismo é  essencialmente uma religião mantêm um padrão elevado; as demais são  abençoadas com uma coleção calidoscópica de amantes. Isso não nos diz  respeito. Se as pessoas preferem pular a cerca, elas é que sabem. Não consideraremos por enquanto os abusos ocultos da força do sexo, pois esse tema  será estudado em detalhes no lugar adequado. Analisaremos neste capítulo a  forma absolutamente normal com que a imoralidade é camuflada sob a capa do  ocultismo. A esse respeito, inúmeros casos chegaram ao meu conhecimento. O  chefe de um grupo seduzia sistematicamente as suas pupilas sob o pretexto de  que isso era parte de sua iniciação, e o grupo aceitava a situação num espírito do  mais puro auto-sacrifício. Muitas outras lutavam desagradavelmente contra a  maré, com o resultado de que as “paixonites” e os posteriores colapsos nervosos  eram muito freqüentes. Não é preciso dizer que tais métodos não fazem parte do  Caminho da Mão Direita .

 Ë surpreendente o número de mulheres de ideais elevados, de boa família e de  ampla cultura que podem ser induzidas a aceitar tais teorias e tais práticas. O  perigo que aguarda as jovens ou as mulheres inexperientes que se associam a  esses grupos pode ser facilmente imaginado .

 Eu fui várias vezes acusada de ter uma mente estreita em minha atitude para  com os grupos em que tais acontecimentos eram permitidos, mas o custo em  sofrimento humano é tão grande e a desmoralização geral tão sórdida que a  tolerância chega perigosamente perto do cinismo. Talvez não se saiba, mas os  meninos e os jovens correm tanto o perigo da corrupção numa Loja Negra  quanto, as mulheres. Já houve casos tão flagrantes não só aqui como no  exterior, que a policia foi obrigada a intervir .

 Nos tempos antigos, e entre pessoas primitivas, o sacrifício humano era um  acontecimento comum relacionado com as práticas ocultas. A Europa oriental  conhece esse rito ainda nos dias de hoje. A história do Barba-Azul tem a sua  origem nas práticas do infame Gilles de Rais, marechal de França e  companheiro de Joana d’Arc, que massacrou inúmeras crianças e jovens em  função de suas experiências mágicas. Eu jamais ouvi falar de um desses casos  na Inglaterra, mas dos Estados Unidos nos têm chegado em diferentes ocasiões  os relatos de curiosos assassínios que se assemelham a assassínios rituais;  porém, na ausência de informação adequada, é impossível chegar a uma  conclusão final a esse respeito. Não obstante, chegou-me recentemente às mãos  um livro sobre magia publicado para circulação restrita, no qual se faz a  afirmação de que o sacrifício de sangue ideal é o de uma criança do sexo  masculino .

 O movimento ocultista é com freqüência acusado de entregar-se a atividades  revolucionárias. Há certos aspectos, no entanto, que devem ser considerados  quando se avalia a verdade dessa acusação. Em primeiro lugar, o movimento  ocultista não é um  todo homogêneo. Ele está totalmente desorganizado e pode  ser comparado à situação política da Inglaterra antes da Conquista normanda. A constituição dos vários grupos e associações varia enormemente, e o que é  verdade para um pode não ser verdade para outro. Não há dúvida de que várias  organizações em várias épocas estiveram implicadas com a política, como o  demonstra a associação da Sociedade Teosófica com os movimentos políticos  indianos, mas devemos ter em mente que os revolucionários de uma geração são  os reacionários da próxima geração. Afinal, a política é uma questão de opinião,  e mesmo as pessoas de quem discordamos podem estar, afinal, certas. Eu,  pessoa]mente, acredito que uma fraternidade oculta nunca deve ocupar-se de  política, por razões que apresentei em outro de meus livros, Sane Occultism, e  que não discutirei aqui, por serem irrelevantes nestas páginas. Mas, visto que as  pessoas se têm reunido desde tempos imemoriais visando à ação política, não  podemos fazer objeção a algo que a lei permite. As pessoas que se vinculam a  uma organização fundada para a ação política vinculam-se com os olhos abertos  e presumivelmente para os fins para os quais ela foi fundada. Há razões para  objeção, contudo, quando uma organização é fundada para atividades nãopolíticas e posteriormente os seus dirigentes, sem consultar, ou sequer informar   os seus seguidores empreendem atividades políticas por sua própria conta,  utilizando a organização para esse propósito e envolvendo, assim, os seus  seguidores, sem seu consentimento, nas complicações que podem surgir, e  empregando o dinheiro das contribuições para um fim específico em finalidades  que os doadores não tinham em vista. Poder-se-ia perguntar que uso, na  atualidade, os revolucionários poderiam fazer das organizações ocultas. Quanto  ao que sei, eles utilizaram ou tentaram utilizá-las para enviar as cartas de  pessoas cuja correspondência estava sendo vigiada, e eu mesma recebi certa  feita um pedido para permitir que uma pessoa que havia sido deportada  retornasse ao país sob um nome falso e demorasse em uma de nossas casas  comunitárias como um membro regular, e algumas centenas de libras foram  oferecidas  para que o fizéssemos. Não é preciso dizer que a correspondência  foi envia da imediatamente às autoridades. Os problemas que examinamos neste  capítulo não são peculiares às fraternidades ocultistas, mas são comuns a  qualquer organização que não discrimina os seus membros. As organizações  que fazem publicidade devem forçosamente aceitar todos os que se apresentam  e dar-lhes um destino à luz da experiência posterior, e algumas dessas  experiências podem ser muito bizarras. Não se pode censurar uma organização  que aceita uma ocasional ovelha negra, a não ser que ela mantenha todo um  rebanho com essa cor .

 Uma loja de duvidosa pureza pode ser facilmente reconhecida pelas pessoas que  a freqüentam e que podem muito bem ser comparadas ao aventureiro decadente  com fumos de requinte, que gosta de emoções fortes. As verdadeiras Lojas  Negras são guardadas tão cuidadosamente quanto as Lojas Brancas de grau  elevado, e nenhum estranho tem acesso a elas. O estudante sério de Ocultismo  Negro visa ao conhecimento e à experiência mágica e não vai perder o seu tempo com um aprendiz. Aqueles que preferem graduar-se numa Loja Negra,  depois de cumprirem seu aprendizado na Corte Exterior de uma Loja Branca,  fazem a escolha de olhos abertos, e a experiência deve ser seu mestre. Não  devemos lastimá-los se a experiência é penosa. A pessoa que estou disposta a  auxiliar é a pessoa que é uma vítima, não aquela cujo tiro saiu pela culatra. O  homem ou a mulher que, rejeitando os passos graduais do Caminho da  Iniciação, escolhe subir com um foguete, terá depois que descer apoiado numa  bengala .

 Qualquer solicitação de uma grande soma de dinheiro  deveria ser sempre  encarada como um sinal de perigo. É uma das condições mais estritas da  iniciação que o conhecimento oculto jamais pode- ser vendido ou utilizado para  ganho. Sei de um ocultista que cobra trezentas libras por uma das iniciações que  concede; e ele a dará a quem quer que tenha trezentas libras. Em minha opinião,  a pessoa que paga trezentas libras por tal objetivo faz jus à espécie de iniciação  que vai obter .

 É também um mau sinal quando um ocultista utiliza livremente os prodígios  diante dos não-iniciados. Nenhum adepto genuíno jamais fará isso. A pessoa  que revira os olhos, lê nossas encarnações passadas, descreve nossa aura,  contorce-se e nos dá uma mensagem de seu Mestre assim que lhe somos  apresentados, eis alguém que devemos evitar .

 Quanto mais observo o movimento ocultista, mais me surpreendo com as coisas  que as pessoas podem dizer e fazer sem serem punidas. A pessoa comum não  está no seu normal quando lida com assuntos psíquicos. Ela passa normalmente  por três fases. Em primeiro lugar, pensa que tudo é superstição e fraude. Em  segundo lugar, quando o seu ceticismo se rompe, ela acredita em qualquer  coisa. Em terceiro lugar, se consegue chegar ao terceiro lugar, ela aprende a  discrição e distingue as Fraternidades Negras e as Fraternidades Brancas das  Fraternidades Tolas .


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.

Conteúdo relacionado