Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Demonologia Livros de Demonologia O Dragão Vermelho Capítulo segundo. A oração e a oferenda

Capítulo segundo. A oração e a oferenda


O Dragão Vermelho

 

Oh homens, frágeis mortais, estremecei de vossa temeridade, quando irrefletidamente pensais possuir um conhecimento tão profundo!

Transportai vossos espíritos para além de vossa esfera, lembrando-vos de que antes de empreender qualquer coisa, necessário será que vos torneis invulneráveis e fechados, assim como também muito atentos para poder observar a risca tudo que digo, sem o que vossas experiências redundarão em confusão, inutilidade e dano. Porém se, ao contrário, observardes estritamente o que prescrevo, saireis de vossa humildade e indigência, sendo plenamente vitorioso em todos os vossos empreendimentos.

Armai-vos, pois, de intrepidez, de prudência, de sagacidade e virtude, para poder empreender essa grande e imensa obra, na qual passei sessenta-e-sete anos (vide nota d) trabalhando a fim de obter o êxito almejado. É necessário, pois, fazer exatamente tudo que se encontra indicado nas páginas seguintes.

PRIMO

Passareis um quarto de lua inteira, evitando a companhia de mulheres e moças, a fim de não cair na impureza.

Iniciareis o quarto de lua seguinte, prometendo ao grande Adonay, que é o chefe de todos os espíritos, não fazer se não duas refeições diárias, ou seja, cada vinte-e-quatro horas do dito quarto lunar, refeições estas que tomareis ao meio-dia e á meia-noite ou, se preferirdes, ás sete horas da manhã e ás sete da noite, recitando a oração que se segue, antes de começar a comer, durante todo o referido quarto de lua.

ORAÇÃO

Eu te imploro, grande e poderoso Adonay, mestre de todos os espíritos. Eu te imploro, oh Eloime! Eu te imploro, oh Jehová, oh grande Adonay! Ofereço-te minha alma, meu coração, minhas entranhas, minhas mãos, meus pés, meu coração, meus suspiros e meu ser. Oh grande Adonay, digna-te atender-me!

Assim seja. Amém.

Tomai, em seguida, vossa refeição. Não vos devereis despir nem dormir mais do que o indispensável, durante todo referido quarto de lua, pensando continuamente em vossa obra e fundamentando todas as vossas esperanças na infinita bondade do grande Adonay. Na manhã seguinte a primeira noite do referido quarto de lua, ireis á uma drogaria, a fim de comprar uma pedra vermelha chamada ematille, a qual devereis trazer continuamente convosco, a fim de evitar qualquer acidente, pois o espírito que tendes em vista forçar e dominar, faz o que pode para intimidar-vos, a fim de malograr vosso empreendimento, acreditando que, desta maneira, se livrará dois fios que começais a estender-lhe. Convém observar que, para realizar esta experiência, não é preciso haver mais do que três pessoas, incluindo o Karcist, que é aquele que deve falar ao espírito, tendo na mão o Látego Fulminante. Devereis Ter o cuidado de escolher para o campo de ação, um lugar solitário e afastado do mundo, a fim de que o Karcist não seja interrompido. Procurareis então um cabrito virgem, que adornareis, no terceiro dia da lua, com uma guirlanda de verbena, a qual devereis colocar-lhe no pescoço e envolta da cabeça, com uma fita verde. Transportareis, em seguida, o referido animal ao lugar marcado para a aparição e lá, o braço direito nú até a espádua, armado com uma lâmina de puro aço e diante de um fogo aceso com lenha branca, direis, com esperança e firmeza, as seguintes palavras:

PRIMEIRA OFERENDA

Eu te ofereço esta vítima, oh grande Adonay, Eloime, Ariel e Jehová e isso em honra, glória e poder de teu ser superior a todos os espíritos. Digna-te, oh grande Adonay, aceitá-la, com graça. Amen.

Em seguida, degolareis o cabrito, do qual devereis tirar a pele, colocando o resto sobre o fogo, para ser reduzido a cinzas, as quais juntareis, atirando-as para o lado do sol nascente e pronunciando as seguintes palavras: Por honra, glória e força de teu nome, oh grande Adonay, Eloime, Ariel e Jehová, espalho o sangue desta vítima. Digna-te, oh grande Adonay, receber estas cinzas como graça.

Em quanto a vítima queima, podereis regozijar-vos em honra e glória do grande Adonay, Eloime, Ariel e Jehová, tendo porém o cuidado de guardar a pele do carneiro virgem, a fim de formar a roda ou grande círculo cabalístico, no qual vos colocareis, no dia da grande experiência.

 


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.

Conteúdo relacionado