Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Espíritos & Fantasmas Livros sobre Fantasmas Torne-se um Caça-Fantasmas por diversão e lucro Experiências com Fantasmas

Experiências com Fantasmas


Manual dos Caça Fantasmas

Não importa o quanto você leia, estude ou se prepare, nada vai te deixar pronto para um encontro com um fantasma. A não ser que você já tenha tido experiências como esta, dificilmente vai conseguir entender que tipo de emoções e reações isso pode causar. Mesmo com algum tempo de experiência é difícil manter o sangue frio. Uma coisa é uma leitura em um aparelho que tem como reação a movimentação de um ponteiro ou um mostrador que muda números outra coisa é ver uma manifestação na sua frente.

Já descrevemos os diferentes tipos de manifestações fantasmagóricas no início deste manual, então pelo menos em teoria você sabe como elas deveriam agir, mas isso não quer dizer que sentir um tapa em uma sala vazia ou presenciar uma cena protagonizada por pessoas que já morreram seja algo fácil. A primeira reação natural a isso é sentir apreensão e assombro, mesmo que esteja todo equipado e com outras pessoas, e não importa quantas dicas ou modos de se comportar você leia, quando está em campo e as coisas esquentam você vai reagir como uma pessoa e não como uma máquina programada. Assim tenha em mente que manter a calma é algo essencial, mesmo quando seus impulsos te dizem para fazer o contrário. Alguns fantasmas, como impressões, são indiferentes aos espectadores, outros parecem gostar de interagir com quem os cerca, alguns são como crianças, parecem não pensar ou não ter nenhum tipo de maturidade, outros são simples globos de luz que se movem.

As instruções aqui propostas devem ser estudadas e digeridas e sendo postas em prática com o tempo, conforme você vai se acostumando com  essas experiências insólitas.

Antes de mais nada o importante é sempre se manter a calma, ou se tentar manter a calma, e pensar nas ações a serem tomadas. Alguns equipamentos de seu arsenal servem apenas para indicar que algum fenômeno está ocorrendo nas imediações, indicam que uma quantidade de eletricidade está se formando ou que a temperatura de um ponto do cômodo está se alterando. Outros equipamentos são bem mais gráficos e te mostram formas se movendo ou se comunicando. É normal sentir medo ou desconforto, e não há nada do que se envergonhar, mas é importante tentar manter a cabeça e se lembrar que você tem um trabalho a fazer.

No capítulo anterior discutimos de maneira resumida sobre como tratar fantasmas, vamos nos alongar um pouco mais sobre este ponto agora. Independente do que sejam, podemos traçar um paralelo entre fantasmas e pessoas. Da mesma forma que pessoas são curiosas e imprevisíveis, fantasmas também o são. Alguns podem estar tão assustados quanto você, outros podem se mostrar violentos. A melhor tática de aproximação de uma manifestação física é cautela e educação. Uma coisa é provocar um fantasma para que ele se comunique, outra é tentar provocar aparições que surgem na sua frente, lembre-se que muitos estudiosos afirmam que muitos fantasmas eram pessoas que em vida demonstravam um comportamento e uma personalidade obsessiva, agressiva e violenta,
outros são pessoas que morreram sobre forte stress e podem refletir esse stress em seus atos.

Caso presencie alguma aparição fantasmagórica, além dos registros que devem ser feitos durante todo o tempo, tente se comunicar. Chame a atenção do fantasma, lhe faça perguntas, diga que não quer lhe causar mal, durante todo o registro explique o que está fazendo, para que servem os equipamentos, você pode descobrir que alguns fantasmas se mostram bem cooperativos. Não há porque tentar, logo de cara, convencer a aparição de que está morta, tente interrogá-la sobre seu nome, o que faz no lugar, pergunte se conhece as pessoas, se está tentando fazer algo ou se precisa de ajuda para fazer algo.

Em outros casos o fantasma pode se mostrar extremamente agressivo, movendo coisas e tentando ferir ou afastar os caçadores. Eles podem ser extremamente possessivos em relação à propriedade ou a algum objeto que esteja no local, caso isso aconteça tente deixá-lo mais à vontade, diga que vai sair e tente dialogar, desde que seu bem estar e o de sua equipe não corram nenhum tipo de risco.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.