Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Espíritos & Fantasmas Livros sobre Fantasmas Torne-se um Caça-Fantasmas por diversão e lucro Fantasma Tipo C - Distorções

Fantasma Tipo C - Distorções


Manual dos Caça-Fantasmas

Entidades e espectros acabam formando grande parte daquilo que um caça-fantasmas estuda. Na grande maioria dos casos você vai se deparar ou com um tipo ou com outro, mas agora veremos aquilo que mesmo entre os pesquisadores é considerado como situações extremas, o "Fringe Science" do estudo de atividades fantasmagóricas. Documentar um caso desses costuma ser uma grande honraria para qualquer clube de caça.

Quando você investiga um lugar encontra muitos indícios do que está acontecendo e o que está causando o que se passa lá. Se for uma entidade que tem um comportamento imprevisível, que interage com o meio ou com as pessoas é com certeza um caso de assombração por entidades. Caso seja uma cena que se repete e é completamente previsível você está diante de uma impressão. Mas o que dizer de um caso onde a realidade parece não funcionar como deveria e o absurdo vira a regra?

Houve uma experiência em 1977 em que um grupo de pesquisas paranormal foi chamado a uma casa onde era comum que membros da família fossem atacados por entidades. Elas deixavam marcas físicas como cortes e hematomas, algumas vezes um membro da família acordava amarrado em seus lençóis. Era praticamente impossível se fotografar ou filmar algo dentro da propriedade sem que uma figura anômala ou uma distorção estivesse presente. Os carros na garagem pegavam fogo espontaneamente e numa ocasião um dos membros da família estava entrando em um dos cômodos e quando se virou parecia estar em outra dimensão, a sala onde
estivera havia desaparecido e na sua frente havia uma paisagem cheia de nuvens formando enormes redemoinhos e atividades estranhas ocorrendo que o perturbaram muito, e em um momento tudo voltava ao normal. As pessoas dentro da casa eram acometidas constantemente de dores e enjôos. Pequenos objetos viviam desaparecendo dos lugares onde haviam sido deixados e então reapareciam em outros lugares sem nenhuma relação.

Quando falamos de entidades e de impressões, geralmente nos referimos a acontecimentos que afetaram um determinado local, mas às vezes parece que o próprio local é o responsável pelas atividades fantasmagóricas que ocorrem. Existem alguns lugares na terra onde as leis da física e a própria realidade parecem ter vida própria ou
estarem distorcidas, e é isso que dá o nome para esse tipo de manifestação. Geralmente quando um lugar assim é encontrado sua fama se espalha rapidamente, o mais famoso deles talvez seja o Triângulo das Bermudas.

Agora faça um exercício mental. Imagine que você fica sabendo de uma casa assombrada em sua cidade, a história conta que os moradores de lá uns 150 anos atrás era constantemente visitados por fantasmas de aparência estranha, que se vestiam de uma forma desconhecida na época, carregavam engenhocas nas mãos que emitiam luzes e ruídos e que quando pareciam notar que estavam sendo observadas desapareciam. Você então consegue autorização dos proprietários atuais para passar algumas
semanas na casa pesquisando o fenômeno, leva alguns colegas e colocam câmeras de vídeo espalhadas, gravadores e começam a investigar. Dormem no local e depois de alguns dias começa a registrar aparições, mas neste caso são pessoas vestidas com roupas antigas, quando entra em uma sala percebe que ela parece estar deslocada no tempo, ter móveis antigos e os fantasmas parecem tão surpresos de ver você com um medidor de campos elétricos magnéticos quanto você de ver um casal do século passado sentados num cômodo iluminado com uma lamparina, tão logo o casal percebe você ele desaparece. Agora imagine que o que ocorreu não foi você registrar um fantasma mas sim ter presenciado por instantes um pedaço do passado enquanto o passado presenciava um instante do seu presente e na verdade as assombrações que viam no passado fosse você e seus colegas investigando o local.

Vale dizer que uma distorção, não precisa ligar séculos, as vezes sua relação se dá em períodos muito menores, o que a leva  aser confundida com uma projeção.  O famoso poeta do século XVIII, Johann Wolfgang von Goethe, relatou em suas memórias que enquanto cavalgava por uma estrada rumo a Drusenheim, viu a si mesmo cavalgando na direção contrária, mas usando um terno cinza. Quase uma década depois, Goethe novamente viajava por esta estrada, agora em seu sentido oposto. Foi
quando perecebeu que estava agora vestindo o terno cinza que sequer tinha a oito anos atrás.

O que parece ser um nó na realidade, ou seja a sua investigação de hoje ser responsável por relatos de fantasmas no passado no lugar e esses relatos terem sido o motivo da sua investigação é algo que pode acontecer quando você lida com distorções. O problema é que no momento você não sabe com o que está lidando por isso não sabe exatamente o que esperar e como julgar o que vê ou mesmo como você mesmo influencia um local assim.

Na década de 1980 um técnico de equipe de televisão com cerca de 20 anos, Rick Stratton, e um colega alugaram um chalé no interior da Nova Inglaterra. O chalé havia sido construído por colonos no século XIX. Por semanas sua estadia foi completamente normal e nada fora do ordinário foi percebido, até que uma noite Rick foi para a cozinha
pegar uma bebida e de repente sofreu um choque. Ao atravessar a porta a cozinha parecia completamente diferente, todo o cômodo parecia ter sido arrancado do passado e ter sido colocado sobre o cômodo que estava habituado a ver e freqüentar. Um homem estava sentado à mesa comendo e uma mulher estava de pé na frente da pia, ambos vestindo roupas antigas. Quando o casal percebeu a presença do jovem seus olhos se arregalaram, era como se estivessem na presença de um fantasma, Rick os olhava com a mesma surpresa, depois de alguns segundos mudos a cozinha voltou ao normal. Depois disso não houve outros incidentes do tipo.

Quando analisamos este caso podemos imaginar que estamos diante de uma impressão, a não ser pelo detalhe de que o casal reagiu à presença de Rick. Como o cômodo todo pareceu mudar também não podemos nos apressar em concluir que era o caso de uma entidade que não tinha consciência de estar morta, o que parece é que por um breve instante uma janela foi criada permitindo que um momento do século XIX e um momento do século XX se tocassem. Esse tipo de “deslizamento temporal” é comum em casos de distorções.

No caso do Triângulo das Bermudas, desde 1900, mais de mil pessoas desapareceram cruzando a área entre as Bermudas, a Flórida e Porto Rico. Mas o que intriga não são apenas os desaparecimentos em si, um pesquisador pode descobrir outros lugares do mundo onde embarcações e navios desaparecem, com tanta freqüência quanto no Triângulo, mas a maneira como esses desaparecimentos ocorrem. Em 1945 cinco aviões da marinha americana desapareceram ao mesmo tempo no dia 5 de dezembro. O líder da esquadrilha enviou um pedido de socorro, ele dizia: “não podemos avistar a terra... tudo está errado... estranho. Até o mar não se mostra como deveria”. O contato por rádio foi interrompido, a base da marinha assustada com o ocorrido enviou um avião de resgate apenas para desaparecer também assim que chegou na região.

Em locais de distorções, como no caso do Triângulo das Bermudas, é comum notar a interferência com instrumentos de navegação, ponteiros de bússolas que giram desordenadamente, aparelhos eletrônicos que param de funcionar, raios e bolas de luz que são vistos atravessando os céus e causam furor nos meios ufológicos. O diário de bordo de Cristovão Colombo está cheio de menções a esse tipo de fenômenos na região. Outro ponto conhecido onde esse tipo de coisas ocorrem foi
batizado como Triângulo do Dragão, fica no oriente e possui relatos ainda mais surpreendentes do que os do ocidente.

Alguns casos de distorções não são tão permanentes como os que citamos acima. No caso registrado por Rick Stratton ocorreu apenas uma vez, no aso da casa que descrevemos no início do capítulo era algo constante, mas restrito a uma área bem menor e específica. Quando nos deparamos com distorções estamos diante de um lugar que não parece simplesmente afetado por uma anomalia, mas sim um lugar que parece se comportar de maneira anômala. São locais onde fenômenos eletromagnéticos ocorrem de maneira quase maníaca, equipamentos eletrônicos param de funcionar, ou funcionam de maneiras inesperadas. O tempo parece parar ou correr para
trás. Às vezes grandes quantidades de energia são detectadas, outras vezes nenhuma energia. Equipamentos desligados de qualquer fonte de energia se ligam e funcionam ou então sua lanterna não acende, não importa quantas vezes você troque a bateria. Pedras caminham, bolas de energia rolam por todos os lados, luzes flutuam. A gravidade deixa de fazer sentido e parece que você entrou em um conto de ficção científica. É por isso que dificilmente podemos tentar classificar um local desses, muitos dizem que são portas para outras dimensões, portais temporais, focos de ação de ÓVNIS, anomalias temporais, etc. As distorções não são ativas o tempo todo e as condições necessárias para despertar sua atividade permanecem desconhecidas.

Assim, não há muito que dizer ou teorizar, já que qualquer opinião seria apenas mais uma hipótese que poderia variar de fenômenos eletromagnéticos que afetam equipamentos e mesmo o cérebro das pessoas até mesmo vórtices interdimensionais. A melhor maneira de se lidar com isso é tomar uma distorção como uma singularidade que ocorre e, caso tenha um pouco de sorte, ser documentada ou experienciada, e se a sorte parar por ai, voltar para se contar o que ocorreu.

Alguns investigadores acreditam que alguns locais sagrados antigos foram erguidos em cima de distorções ou mesmo foram construídos de forma a se criar distorções. De monumentos de pedras a labirintos subterrâneos ou pirâmides a idéia é que muitos percebiam a presença de algo mais forte do que a realidade e com respeito religioso ou medo erguiam marcos nos locais. Muitos partem deste princípio para encontrá-las, pesquisando locais sagrados no país e então escolhendo aqueles onde existem o maior número de relatos e partem para a pesquisa.

Geralmente quando um local assim é encontrado ele se torna um point. Para se ter uma ideia basta pesquisar um pouco sobre São Tomé das Letras e Brasília e logo você terá alguns casos de distorções que pode ir pesquisar. Um dos grandes problemas com distorções é que apesar de não serem exatamente uma atividade fantasmagórica ela é propícia a apresentar todo tipo de atividades fantasmagóricas, mas por sua natureza muitas vezes elas não passam de uma experiência subjetiva semi real. Existem casos em que o pesquisador entra em uma sala, interage com entidades, vê coisas para então, depois do que pareceu uma eternidade alguém o chamar e perguntar porque está parado olhando para o vazio e ele perceber que só se passou um instante. Distorções não afetam apenas a realidade externa ao indivíduo mas também à sua mente.

Tendo dito isso, saiba que uma distorção, uma vez encontrada, pode gerar uma vida inteira de pesquisas e registros, isso não significa que você vá encontrar explicações para como ela funciona, há décadas os mais diversos especialistas tentam explicar o que ocorre no Triângulo das Bermudas, por exemplo, mas não estão mais pertos de
explicar, com seus dados, equipamentos e pesquisas, o que ocorre do que as pessoas que dizem que aquela parte da terra é simplesmente um campo de teste de alienígenas. Todo o trabalho que você realizar com distorções vai ser ótimo para te mostrar que a realidade não é tão sólida e firme e “real” quanto costumamos acreditar.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.