Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Espíritos & Fantasmas Livros sobre Fantasmas Torne-se um Caça-Fantasmas por diversão e lucro Pequeno Manual Ético para Caçadores

Pequeno Manual Ético para Caçadores


Manual dos Caça Fantasmas

Para fugir dos perigos expostos nos últimos capítulos, acabou surgindo, de maneira informal, um manual ético para se caçar fantasmas. As regras não são leis esculpidas em pedra que acarretam em punição para aqueles que as infringem, mas são alguns pontos que se forem sempre seguidos só tem a acrescentar para o caçador e para seu trabalho. Apesar dessas regras serem óbvias, alguns grupos criam ainda regras próprias de acordo com a própria realidade, assim com o tempo é natural que você desenvolva seu próprio código de ética, mas este é a melhor base que você pode ter.

Fantasmas existem. A capacidade de percebê-los não dependeinteiramente de capacidades psíquicas ou do grau de sensitividade do indivíduo, mas também das qualidades de caçador que a pessoa possuir. Independente da tecnologia de suas ferramentas ou do grau de avanço de seu equipamento ou do dinheiro que gasta com seu material. As qualidades que um bom caçador ou caçadora deve desenvolver ao longo de sua experiência são as seguintes:

Motivação

A motivação que leva uma pessoa a caçar fantasmas varia de caçador para caçador, o importante é que não importa o que te motiva a caçar, uma vez que comece, tenha em mente que faz parte de um grupo maior composto por todos os caçadores. Seu métodos podem não ser ortodoxos, se é que existe alguma ortodoxia neste ramo, mas seus resultados devem ser coerentes. Saiba distinguir se sua motivação tem a ver com os fantasmas ou com os benefícios que ser um caçador pode trazer. Caso queira apenas algo que parece ser emocionante, ou uma forma de parecer especial ou destemido, escolha outro ramos de atividades como um
paramédico ou um pasteleiro.

Determinação

Caçar fantasmas pode ser resumido da seguinte forma:

1- Ouvir sobre um caso;
2- Pesquisa sobre o caso;
3- Entrevista com os envolvidos;
4- Pesquisa no local;
5- Pesquisa sobre o local;
6- Caçada;
7- Análise dos dados;
8- Análise dos dados;
9- Análise dos dados;
10- Análise dos dados;
11- Análise dos dados;
12- Análise dos dados;
13- Análise dos dados;
14- Conclusão.


A determinação é o que vai fazer com que você não se torne preguiçoso ou indolente com o trabalho, deixando etapas importantes de lado apenas por serem tediosas, cada segundo de pesquisa, de análise, de entrevista é vital para um trabalho sério. Caso ache que caçar fantasmas é simplesmente emoção e correria, estude virar um paraquedista.

Domínio Sobre Seu Equipamento

Não adianta gastar R$5.000,00 reais com uma câmera de ultima geração, que capta múltiplos espectros e apita quando há uma variação de energia se você só a usa para tirar fotos com o infravermelho ligado. Os primeiros caçadores usavam máquinas fotográficas analógicas e gravadores de rolo para captar os primeiros fantasmas.

Um conhecimento completo do que cada equipamento é capaz de fazer não apenas justifica o preço que você pagar por ele, como permite que em momentos críticos você possa usar de criatividade. Um balão inflável ou um clips com uma tira de papel de alumínio podem se transformar em ótimos detectores de campos eletromagnéticos, um gravador pode se transformar em um detector de movimentos, e uma lanterna pode virar uma fonte de luz infra-vermelha para auxiliar em caçadas. Mas o conhecimento de como fazer isso só surge quando você tem um domínio completo sobre qualquer equipamento que use, lembre-se que até macacos sabem apertar botões, caçadores sabem como usar suas ferramentas da melhor maneira possível.

Empatia

O estado de empatia, ou de entendimento empático, consiste em perceber corretamente o marco de referência interno do outro com os significados e componentes emocionais que contém, como se fosse a outra pessoa, porém sem perder nunca essa condição de “como se”. Em termos mais modernos a empatia pode ser entendida como inteligência emocional. Um caçador ira lidar, na maioria das vezes, com dois tipos de manifestações: as fantasmagóricas e as pessoas vivas que
experienciam as atividades fantasmagóricas.

Um caçador deve ser capaz de se colocar tanto no lugar das pessoas vivas, quanto das do outro tipo. Tenha em mente que quem contratar seus serviços pode ser extremamente receptível ou alguém à beira de um ataque de nervos. Não há nenhum motivo para perder a cabeça com os clientes, por mais atordoantes que eles se tornem, lembre-se de que você pode estar preparado para lidar com algo fora do comum, a pessoa está no extremo oposto, ela não agüenta mais a situação, caso contrário provavelmente não teria contratado seus serviços.

Da mesma forma que não há porque perder a cabeça com os vivos, há menos motivos para perder a paciência com os que não estão mais cobertos por seu manto de carne.

A empatia serve para o caçador entender o que cada um dos lados está passando e desta forma interagir da forma mais produtiva com ambos. Discussões e brigas, inclusive entre membros, são sinônimos imediatos de uma caçada fracassada. Dificilmente os dados coletados servirão para algo, dificilmente a caçada perdurará pelo tempo necessário, dificilmente a reputação do grupo será boa. EM todo o momento, por mais tensa que se torne a situação você deve ser capaz de percebê-la e manter a calma.

Discernimento

Durante a caçada como agir? Tentar convencer o fantasma a se manifestar ou xingá-lo e provocá-lo? A maneira como você age influencia diretamente nas respostas que você vai ter. É preciso saber discernir a melhor maneira de agir para não comprometer nem sua caçada nem o bem-estar dos moradores do local. Irritar um fantasmas apenas para gravar seus gritos de ódio em resposta pode garantir ótimas evidências, mas não é você que terá que agüentar um fantasma furioso morando com você depois que a caçada terminar.

Da mesma forma, até onde um fenômeno vai poder ser explicado e registrado e até onde o seu esforço vai apenas trazer frustração? Conhecendo suas ferramentas você se tornará capaz de perceber até onde sua tecnologia pode auxiliá-lo e até onde vale a pena insistir e esperar ter novas armas a disposição para conseguir solucionar um caso.

O discernimento da maneira de agir e da forma de agir, podem parecer aqui um simples caso de bom senso, mas a experiência ensina que quando se lida não apenas com fantasmas, mas com as pessoas que convivem com o fantasma, essa característica não só afetará o resultado da caçada como também a chance de conseguir novas. Não force a barra e tente criar um quadro de fantasmas apenas para não assumir uma derrota.

Conhecimento dos Fatos

Grande parte da preparação de uma caçada é um estudo de todos os fatos, um bom caçador deve ser capaz de levantar esses estudos e conseguir ir além das histórias que coleta, ele deve ser capaz não apenas de pesquisar, mas de fazer um trabalho jornalístico para separar os exageros e invenções dos fatos, por mais sem graça que eles sejam.

Responsabilidade

Ao lidarmos com fantasmas, estamos lidando com um assunto extremamente subjetivo, como já dissemos. A tentação de tornar essa atividade mais interessante sendo um pouco criativo, pode levar sua atividade a se confundir com charlatanismo. Às vezes forçar a barra para se interpretar algo que pode ou não ser uma evidência, com o tempo, pode se tornar um ato de se tornar um especialista em forjar as evidências. Pode ser muito frustrante ir para um local onde todos dizem ser
vítimas de manifestações fantasmagóricas e investir horas e mais horas de caçadas e depois semanas e mais semanas com análises e não detectar nada. Isso pode piorar ainda mais se houver uma cobrança de resultados, seja por parte de quem o contratou, por parte da equipe ou uma cobrança de mostrar aos outros como os seus fantasmas são mais assustadores.

Por mais que exista uma vontade de se criar uma caçada mais interessante, seja usando seus equipamentos de forma que gerem resultados dúbios ou ambíguos, evite e se mantenha profissional. No próximo capítulo vamos explorar o lado da fama e fortuna de se caçar fantasmas, mas para lidar com esse tipo de stress você tem que sempre manter a integridade do que faz.

Não invente histórias.

Não dê desculpas.

Não crie evidências.

Não ofereça nada que não tenha conseguido no local.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.