Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Jesus Freak Cristandades Sexo Oral na Bíblia: o doce fruto ao paladar

Sexo Oral na Bíblia: o doce fruto ao paladar


Sexo Oral na BíbliaAssim como qualquer forma de sexo que fuja do padrão genital o sexo oral causa muita confusão a mente de qualquer cristão preocupado em viver uma vida de liberdade em Cristo sem que isso seja uma ofensa para seu Senhor. Existem aqueles que dizem que o sexo oral não é natural e que Deus nunca teve a intenção de que as bocas fossem usadas desta maneira. Outros associam o contato oral-genital com as depravações de Sodoma e Gomorra. Como você verá neste artigo as Escrituras não apoiam nenhum destes dois pontos de vista. E não apenas isso, mas sexo oral trás diversas vantagens para os cristãos.
 
Não há nada na bíblia que proiba o contato oral-genital. Sexo oral é apenas erradamente agrupado com sodomia e com os pecados morais de Sodoma e Gomorra. Como veremos num futuro artigo dedicado ao sexo anal esse argumento não procede pois os Sodomitas buscavam especificamente sexo não consensual. Em outras palavras, estupro. Não existe maneira honesta de se extrapolar o texto bíblico para argumentar contra sexo consensual, seja ele oral ou anal. Por outro lado devemos destacar que a bíblia possui ainda referêcias favoraveis ao sexo oral, tanto em linguagem poética, como em linguagem explícita.
 
Como na maioria dos casos de sexualidade o livro Cantares de Salomão é sempre uma referência segura. Em Cantares 2:3 lemos

''Qual a macieira entre as árvores do bosque, tal é o meu amado entre os filhos; desejo muito a sua sombra, e debaixo dela me assento; e o seu fruto é doce ao meu paladar.''


Na linguagem poética deste livro podemos ver referências ao fellatio (sexo oral feito no homem), como no versiculo acima, mas também alusões a cunilingua (sexo oral feito nas mulheres), como no versiculo 4:16:

''Levanta-te, vento norte, e vem tu, vento sul; assopra no meu jardim, para que destilem os seus aromas. Ah! entre o meu amado no jardim, e coma os seus frutos excelentes!''

Em ambos os casos o sexo oral em referência poética é sugerido como uma forma válida de relação sexual e uma verdadeira expressão de amor entre o casal.

E novamente, cantares convida os amantes a beberem livremente dos corpos uns dos ourtros, ''Já entrei no meu jardim, minha irmã, minha esposa; colhi a minha mirra com a minha especiaria, comi o meu favo com o meu mel, bebi o meu vinho com o meu leite; comei, amigos, bebei abundantemente, ó amados.'' Estas porções das escrituras retratam o sexo oral de forma tão natural como os atos de comer e beber, e uma alegre expressão amorosa tanto do homem como da mulher.

O Novo Testamento exorta os casais a serem cuidadosos e benevolentes entre sí. Em Corintios I 7:33 Paulo diz: 'Mas o que é casado cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à mulher''. Assim antes de inventar regras sexuais que não possuem qualquer base bíblica, os homens e mulheres que formam casais deveriam estar preocupados em agradar uns aos outros. Se isso significa sexo oral para algumas pessoas isso deveria ser encarado com tranquilidade e alegria, na lembrança de que agradar o parceiro isso sim é seguir os mandamentos de Deus. Veremos a seguir que a bíblia não apenas apóia tal comportamento, mas que provê instruções especificas relativas ao ato de engolir o fruto da ejaculação.


Como já foi mencionado no artigo sobre masturbação, a maioria dos cristão está familizarizada com a história de Onan:

''Onan, porém, soube que esta descendência não havia de ser para ele; e aconteceu que, quando possuía a mulher de seu irmão, derramava o sêmen na terra, para não dar descendência a seu irmão. E o que fazia era mau aos olhos do SENHOR, pelo que também o matou.'' - Genesis 38:9-10
 
Tradicionalmente esta passagem é usada para condenar a masturbação. Entretanto uma leitura mais atenta revelará que este não é o caso, em poucas palavras porque Onan sequer esta se masturbando na ocasião. Onan copulava com a esposa de seu irmão. Lendo a história completa entendemos o porque disso. Seu pecado era o chamado coitus interruptus, o coito interrompido e consequente ejaculação no exterior. As escrituas mostram que ele fazia isso para que ela não engravidasse. Ou seja, ele poderia evitar a ira divina simplesmente praticando sexo oral com ela engolindo o sêmen. Isso a manteria longe da gravidez e preveneria o derrame de esperma no chão, que era explicitamente a ofensa aos olhos de Deus.
 
Deixando de lado o caso extremo de Onan, quão mal é derramar sêmen pelas leis de Deus? O Antigo Testamento classifica isso junto de outras leis relativas a pureza que desagradam ao Senhor. Em Levídico 15:17 temos: ''Também toda a roupa, e toda a pele em que houver sêmen da cópula se lavará com água, e será imundo até à tarde.''

Ejacular em si mesmo ou na roupa de alguém resulta em impureza segundo a lei mosaica e requer subsequente atos de limpeza e purificação. Obviamante uma maneira lógica de evitar isso é tendo uma parceira que engole o esperma ejaculado após o sexo oral. Alguns poderiam argumentar que se o sêmen é impuro de ser derramado, então por lógica deveria se impuro de ser engolido. A estes devemos pedir que leiam novamente o versiculo dado acima que é bem especifico ao dizer que a impureza ocorre somente no caso do derrâme de esperma na pela e nas roupas. Se isso não bastar apelemos então para as palavras imortais de nosso senhor Jesus Cristo, ''O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem.''. O contexto em que isso foi dito era obvimente outro, como qualquer leitora desatento perceberá, mas a ética crista é universal e nesse caso fica óbvio sua aplicabilidade.
 
Se no entanto isso acontecer, as próprias palavras sagradas já orientam o que se deve fazer; toda roupa e pele em contato deve ser banhada em água. Em verdade em Levítico 15:16 é recomendado que sempre que isso acontecer as pessoas devem se limpar em seguida. ''Também o homem, quando sair dele o sêmen da cópula, toda a sua carne banhará com água, e será imundo até à tarde.'' Lembremos que para isso acontecer a bíblia em primeiro lugar admite que isso é possível e comum. Então não faça disso seu inferno pessoal. Simplesmente vá para o chuveiro.
 
Em resumo, a mentalidade medieval fez de muitas das glórias naturais de Deus algo pecaminoso na mente de devotados mas mal informados discipulos de Cristo. Contudo, podemos dizer com base no que foi mostrado que a Bíblia encoraja tais relações e no caso do fellatio especificamente recomenda que a parceira engula o fruto da ejaculação. Isso previne o derrame do sêmen na pele e na roupa desaconselhados pela lei trazida por Moisés, é uma maneira óbvia de resguardar a castidade e a gradivez indesejada e é ainda uma maneira de atingir os benefícios espirituais de se agradar o parceiro. Por todas estas razões os cristãos deveriam se sentir confiantes e confortáveis em engajarem-se no sexo oral com seus amados e viver assim uma vida de acordo com a vontade de Deus. 


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.