Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Lovecraft Mitos de Cthulhu Pós-Lovecraft: Círculo de Lovecraft e evolução dos Mitos de Cthulhu

Pós-Lovecraft: Círculo de Lovecraft e evolução dos Mitos de Cthulhu

Lovecraft Circle"Slumber, watcher, till the spheres,
Six and twenty thousand years
Have revolv’d, and I return
To the spot where now I burn.
Other stars anon shall rise
To the axis of the skies;
Stars that soothe and stars that bless
With a sweet forgetfulness:
Only when my round is o’er
Shall the past disturb thy door."
-Polaris, H. P. Lovecraft

O trabalho de Lovecraft atraiu um grupo considerável de escritores, que se começaram a corresponder com ele e entre si. Nascia o Lovecraft Circle (Ccírculo de Lovecraft), "fundado" pelo próprio Lovecraft e dois escritores consagrados: Clark Ashton Smith e Robert E. Howard (criador de Conan

- o Bárbaro). Jovens e talentosos escritores como August Derleth, Frank Belknap e Robert Bloch (que viria a escrever mais tarde o conto que inspirou o filme "Psycho") juntam-se também ao círculo, e todos contribuem com o seu trabalho para enriquecer os Mitos de Cthulhu.

Os vários autores dos Mitos seguiam um acordo tácito de criar nas suas histórias um ou dois Deuses Exteriores, um Great Old One, um tomo arcano e uma cidade assombrada por cultos obscuros e lendas sombrias. Com pequenas variações, os diversos elementos do Círculo cumpriam as "regras do jogo" ao escrever para os Mitos de Cthulhu. A título de exemplo segue-se uma tabela com informação de alguns livros do
Mitos e o seu criador (assim como o seu autor imaginário).

 

Título Autor  Língua Original  Traduções  Época do Original Criador
Necronomicon
Abd Al-Azrad
Árabe
Grego, Latim e Inglês
730 A.C.
H. P. Lovecraft
Unausprechlichen Kulten Friedrich Wilhelm Von Juntz  Alemão Inglês  1939 Robert E. Howard
Liber Ivonis Caius Phillipus Faber Latim Francês e Inglês Século IX Clark Ashton Smith
Celaeno Fragments  Dr. Laban Shkewsbury Inglês - 1915 August Derleth
Cultes des Goules Comte D’Erlette Francês -
1702 Robert Bloch
De Vermiis Mysteriis  Ludwig Prinn Latim -
1542 Robert Bloch
G’harne Fragments Sir Amery Wendy-Smith Inglês - 1919 Brian Lumley
The King in Yellow ? Inglês - 1895 Robert Chambers
People of the Monolith Justin Geoffey Inglês - 1926 Robert E. Howard
Pnakotic Manuscripts ? Inglês - Século XV Robert Chambers


Era muito frequente os membros do Circulo "brincarem" uns com os outros colocando referências a outros autores dos mitos de uma forma mais ou menos explícita nas suas histórias. Em 1935 Robert Bloch pediu autorização a Lovecraft para o utilizar como personagem principal num conto. Lovecraft concorda e Bloch torna-o o herói em "The Shambler From the Stars", matando-o no fim da história às mãos de um monstro alienígena. Lovecraft obtém a sua vingança "matando" Robert Blake, um alter-ego de Bloch em "The Haunter of The Dark". O autor do tomo "Cultes des Goules" imaginado por Bloch, Comte D’Erlette, é uma alusão clara a August Derleth. O nome Klarkash-Ton, de alto-sacerdote da Atlântida num conto de Lovecraft, constitui uma paródia a Clark Ashton Smith. Vários outros exemplos poderiam ser citados…

Edmund Wilson criticou e ridicularizou mesmo Lovecraft por este usar muita adjectivação na sua escrita. Era considerado que um bom conto de ficção não deveria socorrer-se de muita adjectivação, mas que os próprios acontecimentos e descrições é que deviam sugestionar o leitor. Se uma visão é horrível, o próprio leitor deveria aperceber-se disso, nunca deveria explicitamente ser dito: "a visão é horrível". O que é facto é que tanto Lovecraft como diversos dos seus seguidores mantiveram sempre o uso de adjectivação muito rica, o que se tornou uma característica distintiva dos contos dos Mitos. Em sua defesa Robert Price considera que estes adjectivos podem ter um efeito quase hipnótico no leitor, despertando a sua própria noção dos conceitos que encerram e inflamando a sua imaginação.

 

Não está morto...


A morte de Lovecraft constituiu um choque para os elementos do Círculo, assim como uma surpresa, visto que este não lhes tinha dado qualquer indicação na sua correspondência de que estivesse doente. Este acontecimento causou uma quebra temporária no trabalho relacionado com os Mitos. Citando Robert Block, "o jogo tinha perdido toda a piada". Nos anos 40 e 50, Robert Block, James Wade e August Derleth continuaram a escrever histórias dos Mitos. Em 1964 Ramsey Campbell, um jovem escritor britânico, dá a sua contribuição com o apoio de Derleth.Em 1971 ainda outro britânico, Brian Lumley, junta-se ao grupo. O Círculo de Lovecraft não morrera verdadeiramente com Lovecraft, subsistindo de uma forma dispersa até aos dias de hoje.

Com o tempo muitos escritores de ficção e terror da actualidade sofrem a influência de Lovecraft, como assume o conhecido autor Stephen King. Sendo hoje considerado um marco da literatura norte-americana, Lovecraft não conheceu qualquer sucesso no seu tempo de vida, e muito pouco nos anos seguintes. August Derleth esforçou-se até muito tempo depois da sua morte por divulgar a sua obra, com algum êxito. Não foi no entanto pela via literária que alcançou a notoriedade de que goza hoje em dia.

No início dos anos 80 apareceu um jogo de personagem (no estilo de Dungeons&Dragons), criado por Sandy Peterson e intitulado "Call of Cthulhu". Indo buscar o nome a um dos contos mais famosos de Lovecraft, Call of Cthulhu obteve grande popularidade nos Estados Unidos, e mais tarde na França, na Inglaterra e em outros países da Europa. Este estilo de jogo, que é praticamente desconhecido em Portugal, goza de grande popularidade nos Estados Unidos.

Nas décadas de 50 e 60 foram feitas algumas versões cinematográficas de contos de Lovecraft, como "The Strange Case of Charles Dexter Ward" e "Herbert West - The Reanimator". Não existe, no entanto, nenhuma adaptação mais recente, exceptuando eventualmente o filme "At the Mouth of Madness". Este filme inspira-se claramente no trabalho de Lovecraft, sendo até a semelhança do seu título com "At the Mountains of Madness" disto indicadora, mas não assume essa influência.

Surgiram também alguns jogos de computadores baseados nos Mitos de Cthulhu, como "Alone In The Dark", "Shadow of the Comet" e "Prisioner of Ice". Apareceu até um jogo de cartas intitulado "Mythos". A empresa de entretenimento "Chaosium" está envolvida em quase todas estas iniciativas, incluindo o já mencionado Call of Cthulhu.

Hoje no Brasil existem inúmeras publicações das obras de lovecraft, tanto "oficiais", como os livros publicados pela editora Iluminuras, quanto o material compilado e publicado por fãs, como o livro O Mundo Fantástico de Lovecraft - uma obra prima de trabalho de fãs do escritor, que re tratuziram material e o publicaram em uma obra magnífica, que pode ser adquirida no endereço: https://www.facebook.com/omundofantasticohplovecraft

Texto enviado sem menção ao autor. Caso o conheça por favor nos informe