Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Magia do Caos Rituais Caóticos Construindo Servidores

Construindo Servidores


Krystos Meyer Krystos, Excertos do Livro SS

Servidores AbissaisVocê deve seguir alguns passos para a criação de Servidores.

1.Delinear claramente o objetivo.

2.Construir um esquema de símbolos.

3.Criar uma forma.

4.Desenvolver um ritual de evocação.

5.Criar energia.

6.Ativar o Servidor através do uso.

7.Desativação do Servidor.

 

Delinear claramente o objetivo

 

Para criar um Servidor você ter que ter um objetivo bastante certo em mente, por exemplo o aumento de vendas de umaloja que você possua (você jamais deve interferir nos negóciosou na vida de outros com o uso de Servidores). Se vocêescolheu este objetivo pode querer que ele se processe duranteum período. Digamos que você tenha arrendado uma loja porum período de dois anos, e decidiu que depois deste período vai embora para outra cidade. Então o seu objetivo, além de ter –necessariamente – uma definição clara, também tem um período de atuação. Uma pessoa no entanto poderá criar umServidor menos específico e mais generalizado, mas isto já éum espírito funcional.O desejo deve ser expresso em uma sentença simples. No exemplo do Servidor para ajudar no aumento das vendas, a declaração pode ser: “Grande quantidade de vendas e de fluxo de dinheiro.” Então a pessoa deveria usar esta sentença como um meio deatuação, um ponto de atenção de onde brotarão os outros símbolos do Servidor.Para uma cura num joelho problemático o desejo poderia se expresso assim: “Cura do joelho direito.”

Como na construção do Sigilo deve-se evitar o uso de palavras negativas ou que expressem um problema. Você também não deveria limitar o poder do espírito ao usar especificações exageradas. No caso do joelho, uma expressão como “ajuda no tratamento pelo qual estou passando par acurar o joelho” é uma expressão limitadora – como você tem tanta certeza de que o médico está sendo totalmente benéfico,deixe espaço para o Servidor atuar, mas seja específico sobre o que ele irá atuar.

Construir um esquema de símbolos


Sabendo a área sobre a qual o Servidor irá atuar é hora de escolher os símbolos. A Árvore da Vida fornece um esquema de cores, números,metais e formas que pode ser bastante útil. No caso do Servidor para a cura, a Sephirah é Hod. Sua coré laranja, mas lembrando o esquema das cores nos quatro mundos o servidor poderia conter as quatro cores. Ele pode portar um determinado objeto mágico, que pode ser o objeto de poder da Sephirah. O objeto de poder da Sephirah Hod é olivro; então o servidor poderia possuir um livro com umcatálogo completo de endereços de médicos adequados; e olivro poderia conter ainda o endereço de fisioterapeutas,propriedades dos remédios, uso adequado das partes do corpo,e conhecimentos mágicos de cura. O livro poderia ter uma capa com um octógono desenhado em laranja, ou o espírito podeviajar em um tapete mágico de oito lados.Que símbolos serão usados, e como eles serão usados, deve ser uma escolha pessoal sua. O Servidor é uma exteriorização do que há dentro de você, então deve estar de acordo com seus gostos pessoais – não importa o quão estranhos elespossam parecer para outras pessoas.Um símbolo deve ser criado com a frase que expressa seu desejo, este será o símbolo do Servidor. Você deve construir umSigilo com a frase que expressa o poder de seu Servidor, oobjetivo claramente definido. Este símbolo pode se tornar o próprio símbolo de evocação do Servidor, ou pode se tornar um símbolo para momentos especiais, quando você quer redefinir alguma característica do Servidor; neste caso você usa o Sigilo como um símbolo de evocação, evocando o Servidor pela concentração sobre o símbolo e pela repetição do nome dele. O símbolo pode ser da cor da Sephirah correspondente.O nome do Servidor é criado pelo sistema usado para criar uma palavra mágica usado como Sigilo. Você pode retirar asletras repetidas da palavra e usá-las misturadas para criar umnome. Pode também usar apenas as palavras-chave.Para criar o nome do Servidor para a cura de um joelho doente, esta poderia ser a seqüência:

 

C U R A D O J O E L H O D I R E I T O

C U R A D O J E L H I T

JOHEL URCADÓITTIODAC

EL-JHOUR


Você deve sentir que o nome está bom para você, bem deve sentir que o símbolo está totalmente adequado para você. Só pare de tentar quando sentir que tudo está ótimo pra você.

 

Criar uma forma


O Servidor pode ter uma forma adequada com a simbologia da Sephirah correspondente. O Servidor para a cura poderia ser uma figura geométrica alaranjada e sorridente de oito lados. Ou um médico vestido com roupas brancas emanando uma aura laranja. Ou a forma de um extraterrestre laranja e brilhante usando roupas com cores para a mesma Sephirah das outrasescalas da Árvore da Vida. A escolha da forma depende apenasde seus gostos pessoais, mas procure ter imaginação. Gaste algum tempo imaginando uma forma, até sentir que a formaescolhida lhe agrada.Uma técnica para criar a forma de um Servidor é o chamado desenho automático. Você deixa que sua mão deslize livremente sobre um papel, enquanto segura algum material para desenhar (lápis é o mais usado, mas você pode usarpincel). Isto requer alguma prática prévia. Você pode, depois de já ter tido alguma prática (alguns poucos desenhos, e não anos de prática – seis ou sete desenhos executados já lhe darão capacidade de um uso consciente da técnica do desenho automático), concentra-se sobre o símbolo que desenhou para o Servidor. Deixe sua mão agir livremente e rapidamente. Você também pode esculpir a imagem do Servidor, e tornaro objeto uma espécie de fetiche, um símbolo de acesso. Então aimagem se torna o próprio mecanismo para evocar o Servidor.Isto é comumente feito pelos católicos – inclusive uma católica que eu conheci, e que esteve durante um bom tempo envolvida com o lado mais obscuro da Magia, a Magia Negra. Ela possuía a imagem de um determinado santo, e a utilizava como um método de contato com o “mundo espiritual”. A imagem foi preenchida com energia através de demorados rituais, e suasimbologia acabou sendo assimilada pelo inconsciente dela. Elacostumava atribuir fatos prazerosos ao poder do Servidor qu eela tinha produzido, o que, em si, é uma técnica para ativá-los.Só que esta mulher não costumava usar o Servidor para propósitos benéficos, preferindo tentar arruinar vidas. Ela realmente conseguiu alguns efeitos poderosos, e assombrosos;mas pagou um preço, tendo ficado com as pernas problemáticas, sendo traída pelo marido, e a vida dela se tornou um verdadeiro inferno em muitas áreas. Como muitos custam a aprender – mesmo através dos próprios erros – eu descobri, tempos atrás – ao, infelizmente, ter contato com ela –que ela continuava nestas práticas infames, acobertada sobre a imagem de uma católica fervorosa e digna de piedade – não daminha parte.Mas esta prática de Magia com santos católicos mostra com oas pessoas às vezes fazem uso de práticas mágicas de maneira instintiva – não era esse o caso da mulher acima referida, que pareceu sempre conhecer muito bem o que estava fazendo.Uma moeda de boa sorte, usada como talismã, um urso depelúcia que acompanha alguém pela vida inteira, um objeto ao qual alguém atribui poderes sobrenaturais; todas estas são práticas instintivas de Magia e – para o bem de muitos – às vezes falhas. O que não é o caso do Mago, que sabe que trabalha com símbolos, e sabe como trabalhar com eles, e sabe que o próprio ritual é um símbolo dos processos de evolução de seu próprio espírito. Você não precisa usar apenas imagens criadas por você –caso tenha escolhido que quer usar uma imagem –, mas pode comprar uma imagem já pronta que será destinada ao processo mágico. Figuras de RPG, imagens de super-heróis, figuras geométricas prontas, latas de biscoitos, potes plásticos, pratos,taças, esferas de acrílico e muitas outras coisas podem seru sadas como imagem do Servidor – sempre de acordo com a imagem que você imaginou, ou como uma moradia para oEspírito no caso de a forma escolhida para ele diferir de umobjeto que você gostaria de usar.

 

Desenvolver um ritual de evocação

 

O Servidor deve responder a um chamado, ou atuar de umaforma especificada. Se for escolhido que ele deve atuar duranteum determinado tempo apenas, então deve ser especificadoqual será este tempo, e isto será passado como uma instrução para ele através do ritual, conforme será mostrado no item sobre criar energia.Se for escolhido um ritual de evocação para que ele atue dedeterminada forma apenas quando chamado, então você devecriar um ritual simples (ou complexo, se assim desejar). Um movimento específico de mãos, com a vibração do nome doespírito, pode ser uma forma de evocação bastante eficiente eútil. Ele ser evocado através de um desenho traçado no ar, ouuma porta desenhada com a ponta do dedo indicador. O quevocê fará é uma escolha pessoal. Você poderia por exemplo desenhar um portal com um formato específico, e bater tantasvezes nesta porta quanto seja o número da Sephirah à qualestá ligado o Servidor.Descubra um ritual de evocação que lhe agrade e tome nota.E não confunda evocação com invocação. Na invocação vocêtenta se ligar a algum ser, assumir a forma dele é um exemplode invocação. Na evocação você não se identifica com o ser,mas faz o possível para que ele seja visto como algo “exterior”.Na verdade tanto uma forma de ritual quanto a outra lidam com aspectos simultâneamente internos e externos, mas é a atitude que é importante – ela faz toda a diferença. Agora você terá que dar energia, por as coisas para funcionar.

Criar energia


Depois de já ter especificado o que o Servidor fará, a forma,nome e símbolo dele e um ritual específico de evocação você deve fornecer energia para que ele atue.Execute o Ritual Menor de Banimento do Pentagrama, e depois o Ritual Menor de Invocação do Pentagrama. Passe apensar no Servidor como algo existente, exteriorize a forma logo à sua frente, imaginando-o no ar. Pense no poder que eletem, no que ele faz, no que ele foi programado para fazer.Então pegue as anotações que fez e comece a ler elas para si mesmo várias vezes. Imagine que a cada leitura o ser a suafrente ganha mais força e poder, e cada vez se torna mais obediente a você. A idéia da afinidade é importante quando setrata de Servidores, pois eles são a exteriorização daquilo que está dentro de você.Repita várias e várias vezes a descrição do Servidor, visualizeo Sigilo como o símbolo particular dele, entoe o nome, descrevao ritual de evocação (se houve um), ou descreva o tempo de atuação do Servidor, onde ele irá atuar, em que tipo desituação ou em que direção.Esta é tradicionalmente a forma de dar energia ao símbolo:visualização. Aqui será útil ter alguma experiência com as técnicas de visualização descritas. Você verá que os exercícios têm uma finalidade. Ao final do ritual de energização – que deveria durar, no mínimo quarenta minutos, mas o ideal seria atravessar uma hora ou muito mais – execute o Ritual Menor de Banimento doPentagrama, e imagine que com este último ritual você estádando mais força para a exteriorização do Servidor, deixando ele agir por si mesmo.Masturbação e sexo, e todas as outras formas de êxtase descritas na prática dos Sigilos podem, e deve, ser usadas aqui.

Mas tenha um certo cuidado com a Magia do Sexo, pois ela é muito poderosa. Caso utilize as técnicas sexuais se êxtaseprocure usar um pouco da secreção do orgasmo para abençoar uma imagem ou objeto fetiche (caso tenha feito ou usado um).Se não está usando uma imagem esculpida ou comprada pronta, ou mesmo um objeto qualquer que sirva de símbolo,você deve ingerir uma parte da secreção sexual, apenas umagota já é suficiente – para mulheres é claro que a secreção será ainda menor, normalmente apenas a secreção que lubrifica avagina, já que a “ejaculação feminina” é uma coisa um tanto incomum.

 

 Ativar o Servidor através do uso

 

Depois de ter criado o Servidor você deve usá-lo. Se vocêcriou um Servidor para ajudá-lo a aumentar as vendas de umaloja que você possui, ou para ajudá-lo a encontrar umdeterminado livro fora de impressão, você deve sentir que eleestá trabalhando. Quanto mais você se lembrar disto, melhor será. Ao contrário do Sigilo, onde o esquecimento é não apenas aconselhável, mas desejado, na construção e uso de umServidor você deve se lembrar dele, para dar mais energia àforma que foi criada. Mas não deixe as coisas saírem do eixo.Ele deve agir para aquilo que foi especificado. Se acontecer alguma coisa muito afortunada logo após, ou alguns dias após,a construção do Servidor, você pode atribuir ao poder dele ofato – isto dará muita energia para ele.Se você criou um Servidor que não será desativado após um período, então comece a evocá-lo através do ritual de evocaçãoque você criou. Mesmo que tenha criado um Servidor que será desativado após um período, mas criou um ritual de evocação para chamá-lo, comece a praticar a evocação.Os efeitos costumam ser fantásticos, como eu mesmo pudenotar em centenas de ocasiões.Evite atribui alguma falha ao Servidor. Se algo saiu errado,imagine que foi melhor assim – ou que naquele determinado momento o Servidor não encontrou algo que correspondesse asuas expectativas.

O desejo que se manifesta repetida vezes é um fator dee nergização para o Servidor, por isso desejos “obsessivos” sãoo alimento deles.Imagine sempre que se lembrar do desejo, ou do Servidor,que ele está trabalhando e criando mudanças poderosas. Isto dá firmeza e poder a ele, e é uma prática muito poderosa – que envolve crença, mas não fé.

 

Desativação do Servidor

 

Depois que um Servidor de duração específica fez o seu trabalho – e se você executou os rituais com diligência eperfeição, eles trabalharão e muito – eles entram em estado dei natividade, e você deve reabsorvê-los.Uma técnica é imaginar um cordão prateado que vai do seu umbigo até o Servidor, como o cordão umbilical da criança.Então imagine que está absorvendo o Servidor através destecordão, você perceberá quando ele acabar de ser absorvido.Comumente esta absorção é sentida como um estremecimentoem todo o corpo, mas é algo prazeroso. Sempre reabsorva os Servidores de duração específica que forem desativados – háum risco em deixar esses Servidores livres no espaço. Este riscose deve ao fato de que eles continuam ligados a você, erecebem seus pensamentos como alimento porque entraram em um estado de inatividade. Este risco é inexistente com osServidores de longa duração, os Espíritos Funcionais.Se uma imagem ou objeto foi utilizado como base para a criação de um Servidor, então este símbolo tem que serdestruído após a desativação do Servidor – nunca destrua osímbolo antes da desativação (você ficaria contente se alguém entrasse em sua casa e a demolisse com você dentro?). Lembre-se de anotar todo resultado positivo. Estas anotações lhe servirão para comprovar que o Servidor “funciona” e para dar a você mesmo a certeza do poder deles em períodos de descrença. Nunca deixe de anotar os resultados, eles lhe servirão como orientação inclusive para melhorar sua técnica de criação de Servidores.

 

Criando um Livro Mágico com nomes dos Espíritos

 

Os Servidores não precisam conter um programa de extinção após o seu trabalho quando da criação deles. Neste caso eles se tornam Espíritos Funcionais. Você pode criar um Livro Mágico, também chamado de Grimório ou pela palavra francesa Grimoire, um livro que conterá os nomes de Espíritos, suas funções e rituais deevocação. Isto é muito útil, pois com o tempo eles vão adquirindo especialização. Arrume um caderno e folhas onde possa desenhar aimagem dos Espíritos (se não gosta de desenhar, ou se preferir,pode descrever a figura dos Espíritos que você criou). Escreva cuidadosamente o nome do Espírito no alto de uma página –procure sempre colocar o nome no alto de uma página para daruma certa ordenação a todo o trabalho. Escreva abaixo asfunções que ele exerce e logo após uma descrição de como eleé, dizendo as cores que ele possui e tudo o mais, incluindo oSigilo. Descreva a seguir o Ritual de evocação e cole a imagemdo Espírito logo depois. Tenha em mente que estas sãodiretrizes básicas, e que você pode modificá-las e adaptá-lascomo desejar.Estes Espíritos podem ganhar uma nova adição de conhecimento através da evocação da presença deles.Desenvolva um ritual para lhes dar novas instruções. Umexemplo é usar uma vela da cor do Espírito e chamá-lo a se manifestar pelo nome do Deus da Sephirah à qual ele estáligado. Assim que ele vier (assim que você sinta que elechegou) passe as instruções novas, que, no entanto, nãodevem estar fora do círculo de atividade dele – um Espíritousado para a cura pode ser expandido dentro do seu campo de atividade, a cura, mas não em direção à outra atividade, comoajudá-lo a se livrar de um trânsito caótico.

Os rituais de evocação devem ser pessoais, desenvolvidos por você. Você pode desejar agregar alguns elementos, como ouso de um determinado símbolo, por exemplo um incenso. Assim, você imagina e cria um ritual onde o Espírito só se manifesta se o aroma correto for usado e determinados símbolos sejam usados. Outro Espírito Funcional pode responder quando seja usada uma vela da cor específica da Sephirah, gravada com o Sigilo do Espírito (ou esta idéia degravar o Sigilo em uma vela pode ser usada como um meio dedar novas instruções dentro do campo de atuação do Espírito).Quando agregar uma expansão à atividade do Espírito, você deve anotá-la em seu Grimoire. Eu possuo um caderno de capa dura onde escrevo tudo sobre os Servidores. E nunca deixo de anotar resultados favoráveis em meu diário mágico. Quando observo que um determinado Espírito Funcional não trabalhou conforme eu esperava, acabo descobrindo erros que cometi em suaevocação – às vezes até falta da concentração adequada sobreo ritual de evocação.Pode ser extremamente útil manter um Livro Mágico com Espíritos Funcionais de longo alcance, com poderes genéricos.Um Espírito para a cura por exemplo, pode ser muito útil; outro Espírito pode ajudá-lo a enfrentar um trânsito caótico – e tudoo mais que você queira ou necessite.Esta forma de Magia, a Magia dos Espíritos (a personificação das forças internas), é comumente usada de forma instintiva por todos nós. A visualização contínua de uma cena negativa e deprimente, que você acredita que vai lhe acontecer cedo ou tarde, é um método instintivo de atrair azar e sofrimento. O tempo todo as pessoas estão criando Servidores ou atraindo forças, e na maioria das vezes estas são forças nada agradáveis. O uso inteligente da Magia dos Espíritos pode lhe ajudar em tarefas comuns, o limite sendo o limite de sua imaginação.Esta Magia instintiva tem raízes antigas dentro das sociedades humanas. Durante a Idade da Pedra os homens cultuavam deuses, como o Deus da Caça, acreditando que ele lhes ajudaria a conseguir boa comida. Um pedaço da caça era usado como oferenda para o Senhor da Caça, altares e símbolos lhe foram atribuídos, ritos e danças (práticas de êxtase) foram usados como meio de contato com forças poderosas, normalmente adormecidas em nosso interior.Na Idade Média houve uma proliferação incrível (para os meios de edição da época) de livros de Magia com nomes de estranhas divindades. Muitas vezes os estudiosos destes manuscritos e livros julgaram que as estranhas palavras e símbolos que podem ser encontradas em tratados eram erros de transcrição ou de anotação. Às vezes, realmente, não passam de erros grosseiros, em outras há um outro mistério.Os Magos sempre criaram seu conjunto de símbolos, entre eles nomes de Espíritos. A crença alimentada sobre estes Espíritos aumentava a energia e o poder deles, tornando-os “cada vez mais reais”. Muitos ocultistas, entre eles Walter Ernest Butler e Samuel Lidell MacGregor Mathers, advertiram contra o uso de livros antigos. Não apenas por causa dos erros, mas porque os suários podem acessar forças diferentes das que esperam encontrar.

Ao invés de acessar um determinado demônio,ligado a uma determinada Sephirah, eles podem acessar uma “outra coisa”, um ser criado por um Mago para representar um determinado poder. Acontecia destes manuais de Magia serem usados por várias pessoas, todas acessando os mesmo Espíritos, se o Espírito ganha em qualidade e poder, ganha também em especificação, permanecendo ligado ao grupo que o criou até que mudanças profundas sejam realizadas por alguém habilidosos o suficiente para fazê-las. Assim, se oEspírito era um centro desequilibrado de poder é bastante provável que alguém tentando acessá-lo possa entrar em contato com forças desequilibradas. Se isto não acontece com sistemas como a Goetia de Salomão ou a Magia Demoníaca de Abra-Melin, também há um risco nestes dois sistemas. Ambos vêm recheados de símbolos religiosos que, se não forem corretamente compreendidos, podem dar vazão a vários tipos de atitudes fanáticas. Além disso o Sistema Demoníaco de Abra-Melin entra em contato direto com conceitos; ao invés de você entrar em contato com determinado símbolo, ele tenta fazer com que você entre em contato com a energia por trás daquele símbolo – se este símbolo é um Anjo, então a representação(não necessariamente) é de uma força de integração; se o símbolo é um Demônio, a força é um tipo de desagregação,uma sombra, e as sombras escondem tanto talentos e capacidades adormecidas quanto doenças e desequilíbrios.Um meio de evitar problemas, para aqueles que acham que não estão aptos para lidar com eles, é criar um Grimoire de Espíritos de uso coletivo. Um grupo pode criar Espíritos Funcionais e cada membro do grupo pode agregar mais significado ao Espírito. A diversidade de capacidades e talentospode ser muito útil, principalmente para aqueles que não gostam de trabalhar sozinhos. O desenvolvimento de rituaispode ser feito coletivamente, ganhando em diversidade, mas nem sempre em qualidade.Os Espíritos Funcionais criados em grupo podem serbastante úteis, e uma grande quantidade deles pode ser criado –apesar de não ser aconselhado a criação de centenas, o quepode causar confusão ao invés de criar poder.Resta falar sobre o uso do Segredo nestes assuntos.Crenças antigas falam sobre o nome das almas, dizendo que aquele que sabe o nome de uma alma pode escravizá-la,tomando-a para si. Isto é mais um símbolo a ser interpretado.O nome e a imagem do Espírito Funcional são o seu centro de atenção, o lugar para onde a mente se volta quando quer contatá-lo. Qualquer um com pode acessar o Espírito seconhecer o nome e o símbolo dele, por isto mantenha-os emsegredo (a menos que queira que outros façam uso do poder do Espírito).

Não vá falar o nome de seus Espíritos em uma reunião social cheia de assuntos inúteis só para esquentar as coisas. Um Mago hábil e ardiloso pode acabar lhe causando problemas se a criação que você fez for frágil. Os rituais de proteção, como o Ritual Menor de Banimento do Pentagrama, podem ajudar a evitar isto se você imaginar que está protegendo sua ligação com o Espírito ao executá-lo – isto podeser feito através de imagens ou pela intenção, dedicando o ritual de purificação ao propósito em mente. Uma forma defazer isto é imaginar que o Espírito só pode responder a você, esomente a você – e esta instrução pode ser agregada no momento da criação do Espírito Funcional.Por fim seja responsável, porque nestes escritos estãoalgumas chaves para o poder. Se o poder for utilizado de maneira correta, então ele é para ser uma fonte deconhecimento, qualquer outro uso será punido pelo seu Sagrado Anjo Guardião. Isto não quer dizer que você não deva usar estes conhecimentos para assuntos como sexo ou dinheiro,que são partes importantes da vida. Mas ao contrário, você deve usar estes conhecimentos para trazer mais luz e alegriapara qualquer área de sua vida, incluindo sexo e dinheiro. Masse o sexo não passar de manipulação desumana, e se o dinheiro for amontoado, então ele perde a característica defluxo e morre (porque o próprio dinheiro também é um Espírito).Lembre-se de ser você mesmo, e não faça nada apenas para agradar – ou desagradar – outras pessoas, principalmente quando estiver lidando com assuntos mágicos. Ser você, isto é ser responsável.Por fim, eu desejo que você chegue aonde realmente deseja,no tempo em que deseja, e que lá haja muita luz.

Espírito Santo do Pinhal

Verão e Outono de 2002


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.