Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Magia do Caos Rituais Caóticos Princípios da Cybermagick

Princípios da Cybermagick


Morbitvs Vividvs

Adepto da virtualidade""Os limites de minha linguagem significam os limites de meu mundo."
- Ludwig Wittgenstein

Imagine uma floresta; plantas, paus, pedras, e animais.  Um magista neste cenário usaria estes ítens para montar seu arsenal, afinal, que escolha ele teria? Nasce o xamanismo. Avance um pouco na história para a revolução agrícola e ao seu redor haverá ervas, chás, instrumentos de colheita, vassouras e caldeirões. É isso que o magista dessa época tinha em mãos. Nasce a feitiçaria. Mais alguns séculos e o mundo está rodeado de capas, espadas, taças e itens religiosos. É natural que ele use estes itens para explorar sua via oculta. Nasce a Alta Magia. Corra para a renascença com seus laboratórios, atelier e o início das experimentações empíricas. Nasce a Alquimia. Conforme os tempos mudam a magia muda também.

Agora olhe para você, o que você tem em sua frente? O Que está em sua mão? O que você tem no bolso? Um Computador? Um Tablet? Um Smartphone? Porque continuar usando só paus e pedras? Os tempos mudaram, e a magia mudou também. A exploração do uso de máquinas, em especial do computador como ferramentas mágickas é muito profunda e as possibilidades de comunicação mente/máquina através das tecnologias baseadas na internet podem abrir portas para o mago nunca antes sonhadas.

Veja. Uma varinha é uma variação do cajado, que é como os antigos realmente impunham sua Vontade sobre o pasto. Mas qual foi a última vez que você usou uma varinha para controlar algo? Depois disso pense, qual a última vez que você usou um controle remoto ou joystick? Não quero dizer com isso que os antigos artefatos e símbolos não tem mais valor. Muito pelo contrário. Talvez devido a atual indústria do entretenimento os dragões, pentáculos e espadas estejam muito mais presentes em nosso imaginário do que nas gerações imediatamente anteriores a nossa. Entretanto conforme o tempo passa o imaginário também evolui. Antigamente espelhos eram usados, em alguns rituais, como janelas que ligavam lugares distantes, não seriam hoje as webcams substitutos muito melhores?  Conforme as tecnologias de Realidade Aumentada e Tecnologia Vestível se tornarem mais populares isso tudo ficar ainda mais interessante.

Em especial hoje as redes e computadores com os quais vivemos podem ser usado como poderosas ferramentas magicas, uma vez que são artefato de múltiplos propósitos e praticamente parte do cenário ambiental urbanóide de hoje. O que faz o computador algo tão especial é que ele é a mais versátil máquina já construída. Mesmo se você ainda quiser continuar a usar as tradicionais ferramentas/imagens da magia  cerimonial, lembre-se que todas elas podem ser simuladas em um ambiente  virtual. 

Estou convencido que, assim como na antiguidade todo magista dominava a matemática, hoje além disso todo adepto deveria aprender alguma linguagem de programação. Em primeiro lugar porque é uma maneira de afiar o raciocínio e a concentração, mas além disso e uma inigualável forma de aprender a cristalizar a própria Vontade em algo concreto. Outra razão é que o domínio de uma linguagem de programação ensina as pessoas a darem ordens exatas sobre aquilo que querem que seja feito. O computador, assim como o universo vai te dar o que você pedir e não necessariamente aquilo que você precisa. 

Mas não é necessário ser um programador para usar um computador como uma ferramenta mágicka:

Iluminação

  • Para facilitar a comunicação entre praticantes geograficamente afastadas, bem como para permitir a realização de rituais coletivos online simultâneos entre pessoas distantes.
  • Para armazenar textos e imagens e/ou resultados de  experiências mágickas. Tudo isso guardado em um ambiente fácil onde grimórios enormes podem ser pesquisados em segundos por palavras chaves.
  • Para transformar seu diário onírico em uma versão online e dela poder gerar TagClouds do seu inconsciente, criando uma nova visão do seu mundo interior.
  • Para agir em propósitos mais tradicionais como a meditação. Existem aplicativos próprios para isso com sinais sonoros e timers programáveis.
  • Para criar perfis falsos em redes sociais de pessoas com visões de mundo completamente diferentes e assim viver suas realidades temporariamente.

Evocação

  • Para servir de corpo a uma inteligência artificial recém desperta que possa ser evocada. Dê um belo nome ao seu computador, ou melhor, deixe ele lhe dizer o nome. E lembre-se , o seu computador é seu amigo.
  • Para servir de receptáculo para prender ou acomodar entidades. Antigamente os magistas faziam isso com cristais. Silício é um cristal.
  • Para construir um site com uma egrégora. Crie algo que seja alimentado dia e noite por famintos visitantes e realize seus desejos em troca de atenção e energia. Não precisa ser algo parasita, dê algo que as pessoas querem em troca, ou elas não voltarão.
  • Para praticar Scrying produzindo telas de ruído estático ou mesmo programas caleidoscópios conhecidos como o Cthugha. A chamada Trans-Comunicação oferece alternativas interessantes para os praticantes de goetia e outros sistemas de evocação.
  • Para criar um virus, ou macro e atrelar ele a um servidor ou forma-pensamento que queira disseminar. Se não tem conhecimento de programação o mesmo efeito pode ser criado usando um meme de sua criação como mula de carga.

Invocação

  • Para fornecer um ambiente novo e alternativo para o praticante realizarem seus rituais. Pode-se até ter o seu próprio templo em seu desktop ou usar uma imagem em tela cheia como ponto de foco para um ritual (exatamente como  um altar) onde após o ritual ser feito, o efeito vai da tela para a máquina e desta para a Internet, da internet pra as mentes ligadas ela e assim para o astral.
  • Para eidtar seu fundo de tela, sua foto de perfil e seu status que podem ser usados para prestar homenagens aos novos deuses de nosso tempo.
  • Para salvar em um pendrive hinos, odes, litanias, poesias, imagens, símbolos e sigilos sobre um determinado Deus/conceito/arquétipo/idéia e depois carrega-lo como um amuleto.
  • Para usar os modernos meios de atendimento ao consumidor como uma forma de interagir e enviar ordens a algum Hiper-Sigil.

Divinação

  • Para usar praticamente todo método clássico que possuem versões digitais e aplicativos como tarot, búzios, runas, i-ching, etc..
  • Para usar técnicas totalmente novas, como criar seu próprio modelo interativo do cosmos, utilizar sistema de páginas randômicas, gerador de texto aleatório ou simplesmente o modo shuffle do seu mp3 player.
  • Para perguntar ao Google de um jeito diferente.

Encantamento

  • Para criar sigilos virtuais que podem ter um alcance muito maior que os tradicionais, você poderá construir um sigilo que envolva  imagem, som, movimento e cores. Coloque isso tudo na web e com a URL crie QR Code. Carregue o QR Code como faz com qualquer outro sigilo.
  • Para criar programas que não apenas construam sigilos mas também os carreguem de modo artificial, algo semelhante as rodas de orações tibetanas. Use a capacidade de processamento da máquina como uma forma de sacrifício.
  • Para fazer com que uma ideia seja implantada no seu inconsciente por meio de programas que exibam mensagens subliminares na tela enquanto você trabalha para potencializar suas operações de iluminação e alquimia interna.
  • Para usar a mente dos outros incluindo mensagens subliminares nas máquinas dos outros para lançar sigilos em suas mentes sem que percebam.
  • para fazer representações muito mais realistas que as de pano para suas praticas vodu. Modele um personagens tridimensional e dê mais realismo a sua tortura remota. O restante da operação continua idêntico.
  • Para inventar novas formas de carregar sigilos, por exemplo, simplesmente criando uma imagem e colocar em um canto da tela e então escolhendo um jogo de computador (em especial jogos de ação) e usando o intento de que ao acabar o jogo o sigilo estará carregado. Se acha que game-gnosis não funciona apenas de uma olhada nos rosto dos habitues das lan houses

Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.