Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Magia do Caos Textos Caóticos Sigilização sem Lágrimas

Sigilização sem Lágrimas

Este pequeno trabalho foi escrito porque com exceção de poucos artigos explanatorios muito pouco sobre Sigilização foi profundamente explicado em lingua portuguêsa. Idealizado inicialmente pelo mago e Artista Plástico Austin Osman Spare e aperfeiçoado por seus seguidores, a Sigilização é uma simples forma de obter resultados mágicos e é usada pela maioria dos magos contemporâneos e parece que se tornou uma espécie de febre entre os praticantes mais recentes. Uma vez que você tenha entendido os princípios básicos de sigilização e experimentado alguns dos métodos mais populares de sigilos, você pode se aventurar e experimentar novas formas de magia sigilizada que funcionaram de maneiras fantásticas com você.

Basic

mente, ela consiste em uma reprodução condensada de um desejo a uma unidade mínima, que será então carregada magicamente durante o estado de Gnosis onde poderá se manifestar para se tornar realidade. Esta unidade mínima pode ser um mantra, um desenho , um som ou qualquer outra coisa, desde que não guarde semelhança com o desejo que a originou. Para Spare a qualidade dos sigilos era a de combinar e comprimir muitos conceitos complexos ate que se tornem uma unidade simples que possa ser quardada na mente como um único ponto focal durante o estado de Gnosis.

Entendeu? Não têm poroblema, vamos passo a passo desta vez:

1. - E

pecifique o Intento

A primeira fase do processo é que você deveria ter em mente sua intenção de maneira clara - tão precisa quanto possível sem, ao mesmo tempo, chegar a ser super complicada. Intenções vagas normalmente dão lugar a resultados vagos, e a declaração inicial de intento é sempre concordante com os resultados adquiridos. Uma vez fiz um sigilo para manifestar uma amante, e dei detalhes muito precisos de como este modelo de perfeição deveria olhar, que tipo de carro que ele deveria dirigir, etc. Desnecessário dizer, que ela ' se manifestou exatamente como tinha especificado, mas acabei por descobrir muito tarde que tinha esquecido de especificar a ' inteligência' dela no sigilo, e a descobri como uma pessoa extremamente enfadonha!

O intento deve ser sempre no imperativo e palavras como Não, nunca, nada deveriam ser evitadas, desta maneira melhor do que intentar "Não quero ser Gordo" é melhor intentar "Serei Magro". Outro bom exemplo de definição de itento, conheci recentemente com Soror Damballa , que ao invez de definir algo como;" passarei a prever o futuro", "terei minha intuição elevada", "desenvolverei meu sexto sentido", decidiu pelo : "Confio em minha capacidades intuitivas". Perfeito!

2. - Caminhos Disponíveis?

Geralmente, sigilos são excelentes para provocar resultados precisos, e rápidos, o que faz seu uso ótimo para - curas, manipulação de hábitos, inspiração, controle dos sonhos, etc.. Geralmente é considerado útil e inteligênte se você 'abre' um caminho pelo qual o intento pode se manifestar junto.

Há um exemplo mágico padrão sobre trabalhar por 'dinheiro' que segue agora: O Operador mágico X faz um feitiço para dinheiro e espera que o universo lhe proporcione riqueza. Nos meses seguintes ele enriquece financeiramente pelas heranças das mortes súbitas de seus pais e recebe compensação industrial depois de entrar em uma falência da associação que participava, e assim por diante. Se ele tivesse certeza que havia este caminho que a magia podia tomar,certamente teria tomado mais cuidado, por isso ele faz a magia e executa uma ação , escrevendo um livro, arranjando um emprego, ou apostando na loteria, ele poderia ter tido um melhor aproveitamento do dinheiro. Na Sigilização a máxima "Cuidado com o que você deseja, pois você pode conseguir" se mostra ainda mais verdadeira, de maneira que magos experientes passam a tomar cuidado com o que possam desejar. Este é simplesmente o modo mágico pelo qual a magia trabalha, é o senso de humor do universo.

3. - Ligação

Uma vez você decidiu seu intento, ele deve ser transformado então em um análogo simbólico ou código subjetivo - um sinal no qual você possa enfocar graus variados de atenção, sem recordar de seu desejo inicial. As aproximações mais comuns para isto são:

Sigilo Pictórico - Esta espécie de Sigilo é frequentemente usada em talismãs ou como talismãs. O Método mais usual de criação deste tipo de sigilo é o explicado abaixo:

O intento: "Estou cada dia mais Sexy"

1- Transcreva as letras da frase: ESTOUCADADIAMAISSEXY

2 - Corte as letras repedidas: EUSTOUCADIMXY

3 - Com as letras restantes forme um glifo pictórico:

Sigilo Mantrico - Baseia-se na criação de uma palavra ou frase sem significado aparente que poderá ser repetida em voz alta ou em silêncio até desaparecer na forma de mantra tradicional, gritos primais ou um jingle pessoal. Um exemplo da formação desse tipo de sigilo é dada abaixo:

Intento - "Sonharei com minha falecida Avó."

1 - Trascreva as sílabas fonéticas:

SO NHA REI KO MI NHA FA LE CI DA VÓ

Elimine as sílabas repedidas:

SO NHA REI KO MI FA LE CI DA VO

Organize as sílabas restantes em uma nova ordem:

" NHAMILEFA KOCIVO SODAREI "

Perfumes como Sigilos - Está técnica, assim como a próxima, apesar de menos usual são muito interessantes. Fabrique você mesmo os seus perfumes e transforme-os em sigilos para a ampliação de funções específicas como poder pessoal, magnetismo, atração sexual, capacidade intelectual e assim por diante. Ao proceder assim, mantenha em mente a teoria que prega que o sentido olfativo 'fala' subliminarmente ao organismo. As essências devem ser escolhidas apenas após terem sido prèviamente experimentadas e as atribuições tradicionais das mesmas terem sido completamente alteradas. O mago poderá concluir, por exemplo, que alfazema excita a pele e não o espírito (como é popularmente dito), e que cânfora aumenta o desejo de matar insetos voadores ao invés de ampliar as clássicas propriedades da esfera da sefirot Netzach.

Objetos como Sigilos - Um pedaço de pau, uma peça de joalheria, qualquer objeto que possa ser carregado pode ser utilizado como sigilo. Este será programado pela função subconsciente da mesma forma que qualquer outro sigilo, exceto pelo fato de ter sido desenhado para exercer sua influência apenas sobre um determinado tipo de situação ou quando segurado de uma forma especial. Em virtude disto, ele pode ser multi-funcional. Quanto mais livre for a mente do mago, tanto mais versátil será a arma mágica.

Além dos exemplos anteriores, com a prática você pode desenvolver suas próprias técnicas de sigilização, podendo também pode usar outras mídias como gostos, cores, comunicações corporais, gestos com as mãos, passos de danças e o que mais você quiser.

4. - Intensa Vacuidade de Gnosis/Indiferente

Gnosis é a chave para as habilidades mágicas, como Peter Carroll definiu. É a realização de um intenso estado de consciência conhecida em várias tradições como Não-Mente , Disfoco , ou Sartori. A Consciência é esvaziada de toda a informação menos a objetiva subjetiva de concentração do resultado desejado. Vários métodos de alcançar gnosis podem ser recorridos, de dançar frenéticamente ate a contemplação extasiada de uma idéia.

Alcançar gnosis pode resultar, para os religiosamente-orientados, em uma 'experiência místicas - posseção de Deuses ou Demônios, ou reevelação de verdades divinas. Porém, para o mago esses conteúdos de tal experiência são bem menos interessante do que o que pode ser feito com eles - é durante o momento de gnosis que podem ser lançados sigilos;

Para "lançar" o Sigilo, o Mago empreha-se em evitar qualquer manifestação e isso é conseguido de várias maneiras. Quando você esqueceu dele você atingiu o ponto zero, a vacuidade, a Gnosis, que pode ou não estar dentro de algum tipo do contexto cerimonial de um ritual mágico. Modos populares de Gnosis incluem: girar, cantar, dançar, até o limiar da loucura, visualização, sobrecarga sensória ou privação sensória, uso de algum tipo de droga artificial ou natural, rituais grupais, hipnose, estimulação sexual, repetição de uma palavra até que esta perca o sentido, situações de sobrecarga de adrenalina, situações de assalto físico ou mental, exaustão física ou mental, ou qualquer outro 'estado-alterado' que leve a Indiferença e a vacuidade mental. Um exemplo de sigilização por esta rota é rabiscar sigilos enquanto escuta a uma conversa que é enfadonha, mas você tem que tomar notas, pendurar o sigilo perto da Tv e assistir até ser hipnotizado por ela, ou grafar o sigilo pictorico em seus cigarros carregá-los por Gnosis e fumá-los durante o dia.

Além do lançamento dos Sigilos, o Estado de Gnosis pode ser uado pelo mago para muitos outros objetivos. Ele pode alcançar qualquer lugar no espaço-tempo, dedicar-se a divinação xamanica e Deuses podem possuir seu devoto durate o processo. Historicamente, muitas das técnicas de gnosis foram intensificada pelo uso de drogas - dos ungüentos voadores das bruxas para o LSD & privação sensória experimentada por John Lilly.

Qualquer sistema ou tradição está incompleto e não passa de curiosidade teórica. Estude só é de pouco valor as tradições religiosas, a menos que você adicione e reordene esta para um uso prático em seus rituais. Poderiam ser escritos volumes inteiros explicando as naturezas mágicas das várias entidades como Deusas, Demônios, ou Espíritos, mas estes não são nada perto da real experiencia pessoal de uma deidade durante o curso de Gnosis. Embora haja muita conversa sobre ' segredos mágicos, os únicos ' segredos verdadeiros' são aqueles que podem ser descobertos pessoalmente pela luz direta da experiência mágica pessoal.

5.- Ponto Zero

Esta simplesmente é a projeção do sigilo pela gnosis para permitir sua manifestação no universo. Exemplos disto incluem o ponto culminante do orgasmo, alcançar o ponto de blecaute da hiperventilação ou ser perguntado pela outra metade daquela conversa enfadonha em que era suposto que você tinha estivesse escutando. É o chamado Ponto Zero quando a mente para de pensar e simplesmente observa. neste momento, o sigilo ( e nunca o seu objetivo) é concentrado em sua tela mental, seja em uma visualização da imagem pictórica ou como mantra, ou como grito catársico, ou como forma desenhada

6.- Esqueça

Uma vez que seu sigilo tenha sido lançado, é necessário que você esqueça do intento original e deixe o Efeito Borboleta tomar seu curso. Esquecendo o que você há pouco você fez pode ser freqüentemente a parte mais difícil do processo. Ás vezes o sigilo pode ser queimado, enterrado, lançado ao oceano ou dissolvido em um suco para ajudar no processo. Não é tão ruim se o intento é algo que você realmente não se preocupa rapidamente, mas é mais difícil se realmente é algo que você quer ver acontecer. Contanto que você não enfatize os pensamentos quando eles aparecerem, você não deveria se importar muito.

O enredo sempre-variável de desejos, vontade, medos, fantasias etc. viajando entre Neo e nosso eu vulgar pode ser comparado com um jardim, que tenha um crescimento e desenvolvimento incontrolável e que possua; flores, ervas daninhas, trepadeiras, etc. Passar pelo processo de sigilização pode ser comparado a se tornar repentinamente entusiasmado sobre a tarefa de arrumar o jardim. Você isola uma planta (i.e. seu intento), separa ela das outras, alimenta-a, rega-a e se certifica de que está claramente visível na paisagem, e então de repente fica chateado com o trabalho todo e vai assistir televisão em algum lugar fechado. O truque é que da próxima vez você olhar o ' jardim', não vai notar a planta tão imediatamente.

Se o intento é esperado com todos os outros assuntos em sua cabeça, você tende a começar a projetar vários resultados de fantasia - o que você fará com o dinheiro quando ele chegar, como vai estar com o homem/mulher de seus sonhos, etc. E este desejo será colidido com todos os outros e assim será diminuído proporcionalmente, de modo que se manifesta assim que você para. E quase como com as crianças na véspera de natal que loucas para acordar no dia seguinte e pegar os seus presentes não conseguem nem mesmo dormir.

Uma atitude útil de se ter quando lançar os sigilos é que uma vez que você tenha os tenha lançado, pelo uso de Gnosis, então você já está seguro de que vai funcionar, de forma que você não precisa gastar mais nenhum esforço naquele caso. Tal confiança tende a surgir após ter tido um pouco de sucesso previamente com sigilos. O resultado ocorre freqüentemente quando o intento ficou oculto - quer dizer, você já ficou tão completamente esquecido dele que já até perdeu o interesse, assim uma boa técnica é arrumar um outro objetivo imediatamente após o Sigilo ter sido carregado. Você pode se dedicar a pintura, meditação ou pode ir ver um jogo de futebol na T.V, ou melhor ainda, você pode ir trabalhar. mantenha a mente ocupada e longe da ânsia de resultado que será malefica para a concretização efetiva.

A experiência é semelhante a tentar pegar carona em uma estrada abandonada no meio da noite. Você fica lá por horas, está chovendo e você 'sabe' com um ar de terrível certeza que ninguém vai parar a esta hora da madrugada, mas você coloca seu dedo polegar de carona de qualquer maneira para fora do vidro de seu caro. E que diabos!!! Cinco minutos depois, você se volta para uma carona de um(a) homem/mulher lindo(a) ( daquele outro sigilo, lembra?), em um porsche vermelho lhe perguntando, para onde você quer carona. E você não ficará surpreso, poderá ficar feliz mas não surpreso, afinal você sempre soube que funcionaria. Enlouquecedor não é? Mas sigilização parece freqüentemente trabalhar assim.

Fontes :

Liber MMM - Syllabus de Estudo do 4º IOT , por Peter Carroll- Tradução de Lucifer 149 e k-Ouranos 333
O Teatro da Magia - ???
CAOS CONDENSADO - por Phil Hine, Tradução de Morbitus Vividus

Experiências pessoais do autor.

Por Morbitus Vividus

Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.

loading...