Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Miscelânia Textos Diversos 23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos A Arquitetura

A Arquitetura


23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos

Catedral de nova yorqueA arquitetura ocidental é outro dos campos cuja influência católica é impressionante. As Catedrais figuram entre as maiores realizações da humanidade no campo das artes. As Catedrais de Notre Dame, de Montreal ou as grandiosas Basílicas da Sagrada Família são testemunhas silenciosos da sublime harmonia entre ciência e inspiração. Tecnicamente as catedrais apresentaram ao mundo uma série de inovações como os arcobotantes, os vitrais, as abóbadas e  uma preocupação de fato religiosa com o bom uso da acústica, da perspectiva e da proporção.  Mas a civilização católica não apenas se destacou com inovações técnicas, ela também fundou gêneros inteiros da arquitetura como o Românico, o Bizantino, o Gótico, o Renascentista. o Barroco, entre outros.

Arquitetura Bizantina

O primeiro impulso arquitetônico de natureza cristã nasceu assim que os cristãos deixaram de ser perseguidos e ganharam influencia entre os romanos. A arquitetura bizantina foi explorada durante Idade Média e quando Constantino encomendou a Catedral de Santa Sofia para ser construída em Istambul, atual Turquia. Foram contratados dois matemáticos para liderar o projeto: Antêmio de Tralles e Isidoro de Mileto e aqui podemos ver uma importante característica da arquitetura cristã: uma preocupação religiosa com a coerência geométrica e a harmonia das medidas, no mesmo espírito de Santo Agostinho que repetiu diversas vezes em sua obra "Sabedoria 11, 21 ": Deus dispôs tudo com medida, quantidade e peso". Com essa preocupação, a arquitetura bizantina surpreendeu o mundo com sua beleza, seus mosaicos vitrificados seu domo central sustentado em arcos, suas novas formas e tipologias de cúpulas e suas janelas dispostas de forma a tornar a luz do sol parte de seu espetáculo. De fato nem mesmo depois de ser tomada pelos muçulmanos eles tiveram coragem de destruí-la e converteram-na em uma mesquita.

Arquitetura Romanesca


Os templos de peregrinação espalhados pela Europa criaram o padrão que formou o segundo grande movimento arquitetônico encabeçado pela Igreja: a arquitetura românica (ou romanesca). Como o próprio nome diz é uma arquitetura que preservou os traços da belíssima arquitetura romana clássica após a quedo do Império e as invasões. Os templos de peregrinação eram constantemente alvos de ataques bárbaros e assim nasceu como uma arquitetura de resistência caracterizando-se por paredes grossas e janela minúsculas. Contudo esta necessidade defensiva não impediu a busca pela perfeição estética como prova a Catedral romanesca de Santigado de Compostela, Abadia de Cluny e a Sé Velha de Coimbra. Entre as inovações características da arquitetura romanesca estão as colunas adossadas à parede, a planta em cruz, o alçado de arcos redondos, as paredes suspensas e, o trifório  e mais particularmente, as abóbadas

 Arquitetura Gótica

A questão da importância da matemática e da proporção, presentes desde o início chegaram ao seu ápice com o nascimento da próxima grande escola de arquitetura. A Arquitetura Gótica  pode quase ser definida como geometria aplicada, dada a precisão matemática que encontramos em suas catedrais. Na Catedral de Salisbury tanto o comprimento como a largura de seus dez átrios tem dezenove pés e seis polegadas – a metade exata do comprimento do cruzeiro central. A própria nave está constituída por vinte espaços idênticos, que medem também dezenove pés e seis polegadas quadradas, e por outros dez espaços que medem dezenove pés e seis polegadas.

Outro ponto muito importante da arquitetura gótica é o uso inteligente da luz natural, usada quase como uma metáfora plástica falando sobre a Luz de Deus. As suas janelas são dispostas de forma a inundar estes enormes edifícios. A Basílica de Saint-Denis, é um bom exemplo disso pois a luz se derrama através das janelas pelo coro e pela nave durante o dia  de forma majestosa. Uma inscrição no pórtico explica: a luz eleva a mente por cima do mundo material e a dirige para a verdadeira luz, que é Cristo.

Arquitetura Renascentista

O Renascentismo foi marcado por um secularismo crescente e uma nova enfase no humanismo. Mas enquanto alguns tentam forçosamente ligá-lo ao protestantismo, de quem é contemporâneo, existem indícios o suficiente para o considerarmos como o auge da Idade Média. Como vimos nos capítulos anteriores os gênios renascentistas não buscavam uma ruptura com o passado, mas tinham um respeito profundo pela tradição. Basta ver que o grosso da produção artística renascentista em todas as belas artes foi de natureza religiosa e só existiu graças ao patrocínio dos papas. Nessa época também em Roma Leon Battista Alberti escreveu o primeiro tratado teórico de arquitetura de que se te notícia 'De re aedificatoria libri decem' ou Dez Livros sobre Arquitetura.

Realmente, a gênese da arquitetura renascentista é ada Cúpula da Catedral de Santa Maria del Fiore em Florença. Aqu já se encontram as primeiras características deste período: o domínio da linguagem clássica aliado a uma licença estilista de superação ao classicismo. Outra característica importante dese movimento é a idéia de sintese e interdisciplinaridade que entende que todas as Belas Artes devem estar à serviço arquitetura dando origem assim aos afrescos como os da na Capela Sistina de Michelangelo.

Arquitetura Barroca

A próxima escola arquitetônica a surgir foi a da arquitetura Barroco. Ele foi parte da necessidade da Igreja de mostrar seu poder e importância em uma época em que o protestantismo ganhava força na Europa é é um movimento inseparável do que ficou conhecido na história como a Contra-Reforma. Por essa razão não existiu arquitetura barroca em países protestantes como a Inglaterra e a Alemanha. Este estilo manifestou-se em particupar no contexto das novas ordens religiosas católicas do período como os jesuítas e os teatinos. Estas ordens lembravam da harmonia entre a piedade e a liberdade e que uma só existe de fato com a outra. Assim, o barroco é o movimento da libertação das regras dos tratadistas e da simetria absoluta, dai a associação de elementos retos e curvos, do espaço interno e externo. O muro não é entendido como um limite, mas como realidade espacial privilegiada para conter movimento. Nascem os pátios-jardins, as fachadas visualmente dinâmicas, as plantas elípticas, as fontes como elementos arquitetonicos e obras primas como a fachada da a Igreja de San Borrome, a Catedral de Saint-Louis-des-Invalides, o  Palácio de Versailles e a  Basílica de São Pedro.

Arquitetura Rococcó

O estílo rococcó foi um desdobramento do barroco que nasceu quando a França, pais profundamente católico se tornou o centro cultural da época. O rococcó possuiu as mesmas qualidades de liberdade barroca, mas de forma mais leve e intimista. Literalmente podemos dizer que o rococcó nasceu de dentro do barroco, pois teve seu inicio no trabalho de decoração de interiores das obras da escola anterior. Sua característica principal é a de trazer leveza as obras arquitetonicas, com o uso de tons pastéis e texturas suaves onde o barroco usaria cores pesadas e relevo abrupto e um forte uso de elementos decorativos, tais como conchas, laços e flores. Exemplos ilustres de rococcó estão na Catedral de San Marcos, evangelista, na Catedral de Murcia e na Catedral de la Santa Cruz de Cádiz. Seu principal artista foi Johann Michael Fischer,responsável pela Abadia Ottobeuren dos beneditinos e pela restauração de dezenas de igrejas e mosteiros.

Arquitetura Neoclássica

A arquitetura neoclássica é tida como um dos filhos do iluminismo. Contudo podemos dizer também que foi o último período da história da arte onde a influência católica ainda foi forte. O neoclássico surgiu em Roma, no final do século XVIII e serviu na criação de obras magníficas tanto à arquitetura civil, quanto à religiosa. Como exemplos da arquitetura religiosa neoclássica, podem ser citadas: a igreja de Santa Genoveva, em Paris criada por de Jacques Germain Soufflot; a igreja da Madalena, também em Paris de Barthelemy Vignon, a igreja de São Francisco de Paula, em Nápoles, construída por Leopoldo Laperuta e Pietro Bianchi e a catedral de Pamplona de Ventura Rodríguez. O maneirismo do renascentismo e os exageros do barroco e do roccoccó representaram explosões de criatividade, mas a arquitetura perdeu um pouco seu caráter universal. A proposta do neoclássico é resgatar essa natureza universal (católica) com propostas para a parte interna e externa das construções. Internamente buscava-se a comodidade e o bem-estar e na parte externa a grandiosidade e imponência, muitas vezes buscando referências na antiguidade clássica e no antigo Império Romano. O Neoclassicismo foi também o momento em que a ascenção do capitalismo fez com que as encomendas passassem a vir, não mais do clero, da nobreza ou da realeza, mais dos novos mecenas industriais que passaram a dar as cartas desde então e terminaram por desembocar na chamada Arquitetura Moderna.

Arquitetura Moderna

Já declinando na Arquitetura Neoclássica a influência na Arquitetura Moderna é quase nula. Talvez porque a Arquitetura Moderna seja simplesmente o nome genérico a toda arquitetura do século XX em diante e refere-se as mais variadas escolas e tendências dos mais diferentes arquitetos, contudo não apresentam um ideário unificado como os movimentos anteriores. Entretanto, mesmo neste novo cenário global a Igreja soube recnhecer e patrocinar a construção de grandes obras de arquitetos de talentos inegáveis, este é o caso do Templo da Sagrada Fampilia de Gaudi , a Catedral da Nossa Senhora dos Anjos, em Los Angeles e a Catedral de Brasília de Oscar Niemeyer, entre outras.

Ainda assim a escolas anteriores mencionadas, com uma influência católica de peso, e algumas outras como a arquitetura carolíngea e a otoniana formaram a base do patrimônio arquitetônico ocidental e até hoje são a referência. Seja como contraposição, como no caso da arquitetura construtivista, como mistura no caso da arquitetura eclética ou para eternas releituras como as dos estilos neogótico, neoromânico, neorenascença,neobarroco, neoclássico, etc.. A casa do Senhor tem muitas moradas, e todas são lindas.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.