Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Miscelânia Textos Diversos 23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos A Imprensa

A Imprensa


23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos

gutembergDe todas as inovações técnicas dos últimos dois milênios a de maior repercussão nos veio pelas mãos de um católico praticante. As cópias manuscritas feitas antes disso levavam quase uma vida para ser feitas e eram extremamente caras. Por esta razão quando Johannes Gutemberg fez sua tiragem inicial de 200 Bíblias, iniciou a fagulha do fogo da informação acessível que queima até os dias de hoje.  Sua invenção se espalhou  rapidamente e teve impactos duradouros na cultura do mundo todo.

É preciso entender que Gutembergue não inventou a impressão por tipos móveis, que já era utilizada na China. A diferença é que ele concebeu um sistema usando o alfabeto ocidental. Enquanto na China a escrita incluia cerca de 10 mil caracteres diferentes, na Europa, graças ao domínio cultural da Igreja Católica um idioma de apenas 26 letras podia expressão qualquer ideia. Assim, não se trata apenas de Gutemberg ser católico, mas sua invenção seria impossível se a Igreja Católica não tivesse dominado o cenário cultural nos séculos anteriores (ver capítulo Literatura).

Desta forma é muito curioso que se repita sem pensar a lenda de que a Igreja Católica durante a Idade Média, proibia que os cristãos de ter acesso as Bíblias Impressas. Essa é uma propaganda mentirosa que surgiu séculos depois de bocas protestantes e não tem qualquer fundamento histórico. Ora, foi própria Igreja que criou a Bíblia (ver capítulo A Bíblia) e sempre incentivou sua leitura e meditação. Em cada missa que é celebrada a Bíblia é lida em voz alta para que até os analfabetos possam apreciá-la. Essa lenda surgiu porque antigamente as Bíblias eram protegidas nas igrejas - não para impedir acesso - mas para impedir que fossem roubadas. Outro mito é o de que a Igreja colocou a Bíblia no Index de livros proibidos, mas as bíblias que estavam lá eram especificamente as versões deturpadas ou mal traduzidas. Para encerrar este assunto podemos simplesmente citar Martinho Lutero que antes de fundar o protestantismo, confessa que lia as traduções vernáculas feitas pela Igreja:"foi um efeito do poder de Deus que o papado preservou, em primeiro lugar, o santo batismo; em segundo, o texto dos Santos Evangelhos, que era costume ler no púlpito na língua vernácula de cada nação..." (De Missa privata, ed by Jensen, VI, Pg 92).

Segundo a 'Imperial Encyclopedia and Dictionary', cinqüenta e oito anos antes de Lutero imprimir a primeira bíblia protestante os católicos já tinham impresso 30 diferentes edições das Sagradas Escrituras muitas delas encomendadas pela própria Igreja. Assim desfaz-se o mito de que os protestantes “revolucionaram” com a impressão da bíblia. Antes pirateavam as versões católicas e eram mortos pelos próprios protestantes quando estes descobriam erros grotescos, e interpolações maldosas nestas edições Razão pela qual Calvino matou Miguel Servet, Henrique VIII mandou matar Tyndale e Lutero era inimigo mortal de Zwinglio.

As inovações técnicas de Gutembergue tornaram obsoleto o trabalho dos copistas, mas nunca poderia ter existido se, em primeiro lugar, as Santas Escrituras não tivesse chegado as suas mãos pela obra manuscritas dos monges. É por esta razão que a primeira bíblia da história, uma bíblia católica. Em 1454 Gutembergvaleu-se da tradução revisada da Vulgata de São Jerônimo e a publicou em dois volumes, com 1282 páginas. Cada página com duas colunas e 42 linhas. Por isso é chamada de “a Bíblia de 42 linhas”. Essa bíblia recebeu mais tarde o nome de Bíblia Mazarina, porque foi redescoberta conservada na biblioteca do Cardeal Jules Mazarin.

As notícias sobre a Bíblia de Gutemberg espalharam-se de modo assustador. No final do século a Europa já tinha mais de 1000 gráficas, espalhadas pela Alemanha, Itália, França, Espanha e outros centros culturais e estima-se que em menos de cinquenta anos depois mais de meio milhão de livros foram impressos entre obras religiosas, clássicos gregos e romanos, textos científicos e narrativas de exploradores.

A Imprensa de tipos móveis é considerada a invenção mais relevante de toda história. Dela nasceram não apena os livros tal como conhecemos hoje mas também as revistas e os jornais e todas as mídias correlatas desde então. Em 1899, o A&E Network classificou Gutenberg como o nº 1 em sua relação das "Pessoas do Milênio" e em 1997, a Time-Life escolheu a invenção de Gutenberg como a mais importante do segundo milênio. A Catholic Encyclopedia descreve Johann Gutenberg como o pai da invenção com um impacto cultural praticamente sem paralelo na Era Cristã, mas seu impacto vai para além do mundo religioso. Facilitando o acesso a literatura e a educação  Gutemberg ensinou a Europa e depois o mundo a ler e escrever, facilitou o intercâmbio de idéias e propiciou uma maior difusão do conhecimento e culminou no esplendor do renascença.



Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.