Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Miscelânia Textos Diversos 23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos A Liberdade

A Liberdade


23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos

jOANAEmbora quase nunca leve o devido crédito, a boa, velha e reacionária Igreja Católica é a mais ardente defensora da liberdade em toda história universal. Vivemos uma época estranha hoje, onde o vale tudo do pós-modernismo copula com ideologia deterministas de todo tipo. Graças a uma variedade enorme de filosofias pré-fabricadas, praticamente qualquer coisa é permitida moralmente, ainda que se acredite que o destino das nações e das pessoas esteja determinado por leis econômicas, históricas, psicológicas, genéticas ou - como crêem os protestantes - por leis escatológicas de predestinação. O mundo moderno diz que , apesar de você poder fazer o que quiser, no fundo você esta seguindo um roteiro, e portanto sequer pode ser responsabilizado pelo que faz. Vivemos em um mundo de liberdade enlatada, uma liberdade supostamente isenta de responsabilidades, uma liberdade falsa.

Já a Igreja ecoa a máxima paulina de que 'tudo é permitido, mas nem tudo nos convêm'. Em muitos momentos da história, incluindo hoje, a Igreja Católica foi única em sua defesa radical dessa liberdade.

Quando os protestantes falam de predestinação, os católicos falam de livre arbítrio. Quando os freudianos falam de impulsos sexuais, os católicos falam de castidade e casamento. Quando os revolucinários marxistas falam de inevitabilidade do materialismo histórico, os católicos perguntam: então por que vocês estão se esforçando tanto? Maximus no filme Gladiador discursa aos seus cavaleiros e discursa como um católico: "O que fazemos nesta vida ecoa na eternidade", ele está falando como um católico, não como um judeu ou um muçulmano que acredita que a eternidade já está escrita e que o homem não tem participação. Os gritos de Liberdade de Willian Walace enquanto suas tripas eram arrancadas só poderiam ser dados por um católico.

Quando um cínico acusa Deus de permitir o sofrimento, de ser sádico e mal, o católico é o único que pode dar uma resposta aceitável: O senhor fez do ser humano um ser livre e a verdadeira liberdade sempre vem com um preço, o da responsabilidade dos próprios atos. A sã doutrina não é uma religião de faz de contas, onde as ações não tem consequências, mas fala da vida como ela realmente é. Uma vida onde todo pecado tem consequências e onde a todo momento o homem está a frente de escolhas entre os sussurros do mal e a glória da santidade. Quanto mais perto do céu são os galhos de uma árvore, mais perto do inferno estão as raízes, uma queda durante a escalada machuca, mata, aleija, e não poderia ser diferente! Uma escalada segura e livre de riscos reais, uma escalada virtual, faria com que todo o esforço humano perdesse o sentido.

Por muito tempo foi difundido o mito de que foi apenas a revolta protestante, e sua consequente divisão em igreja nacionais, que levou os países da europa à futura secularização e que devemos a isso toda liberdade que temos. Mas quem ousaria dizer que a renascença - um movimento nuclearmente católico, contra qual Lutero também esbravejou - não era uma manifestação de liberdade, a maior de todas? 

Quem pode negar que o grande contraponto ao totalitarismo do poder estatal em toda historia europeia desde a conversão de Constantino foi a Igreja Católica?

Pense no imperador romano Theodosius, comandante de todas as legiões romanas, atirando ao chão todas as suas insígnias militares em penitência diante de um clérigo desarmado, Santo Ambrósio, bispo de Milão. Foi a Igreja Católica que que fez os primeiros questionamentos morais quanto ao exercício do poder e seus privilégios.

Pense no martírio de Sir Thomas Beckett e Sir Thomas More. Pense na revolta protestante clamando por toda europa que o poder do estado era dado por Deus aos reis, enquanto o papado - a oposição de Cristo às imposições do estado - não era. A Igreja Católica foi a instituição que tinha como base e como missão, difundir para o mundo que não importa sua cor, suas economias, seu emprego, somos todos iguais. Ela defendia comunidades e o social muito andes disso virar uma moda graças a Karl Marx.

Pense no Iluminismo, na Revolução Francesa, no Kulturkampf de Bismarck e todas as posteriores correntes políticas que apareceram, incluindo o facismo o comunismo e o capitalismo. Apesar de suas diferenças, todos eles concordam na importância de um estado com autoridade central para ditar o que os indivíduos devem fazer. E quem foi sempre o inimigo de cada um destes "reformadores"? A Igreja Católica.

Foi a Igreja que afirmou a independência das "instituições controladas." Foi a Igreja que defendeu os direitos da família contra o Estado. Foi a Igreja que  se posicionou em todos estes casos contra o que o Papa Pio Xi chamou de “adoração pagã do estado.” Os Papas estiveram entre as pouquíssimas pessoas durante a história que tiveram a coragem de falar de igual para igual com reis, imperadores, déspotas e ditadores.

Verdadeiros católicos são e sempre serão a resistência contra o Leviatã Estatal - anarquistas conservadores - pois sabem que seu Rei não é deste mundo.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.