Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Miscelânia Textos Diversos Internet de Fachada versus Internet Verdadeira

Internet de Fachada versus Internet Verdadeira


por Fnord Boy

fundooooAntes de começar, façamos um teste simples. Entre no google e procure por sexo, e então clique em imagens. Faça a mesma coisa buscando por "fuck", "face fuck", etc. Apesar de algumas imagens surgirem a grande maioria não será tão explícita quanto você imagine. Caso esteja se sentindo particularmente de saco cheio procure por suicídio ou qualquer outro termo do gênero, com certeza algumas imagens de gente morta, mas a maioria absoluta simplesmente são imagens poéticas, piadas, etc.

Pois bem... o que aconteceu com a pornografia suja, a escatologia, as coisas nojentas da internet? A resposta é: elas fugiram de você!

Há algo de errado com a Internet


Antes de entrar na internet verdadeira, vamos conhecer um pouco sobre a Internet de Fachada. Assim como tudo no mundo, a internet existe de uma maneira para as massas e de uma maneira para aqueles poucos indivíduos que se esforçam um pouco mais. Considere, para início de conversa que 80% de todo tráfico de dados acontece em apenas 20% dos sites espalhados pela grande rede. Que liberdade de informação é essa em que todo mundo acessa a mesma coisa o tempo todo? A Internet de Fachada enfrenta, além do comodismo de seus usuários três sérias ameaças: o "Fim da Privacidade", a Influência das Corporações" e a "Bolha de Informação".

O Fim da Privacidade

Quando você procura no Google sobre "sexo anal" e clica em qualquer link que ele oferece, a sua busca é registrada pelo mecanismo de busca junto com dados pessoais como horário, navegador, resolução de tela, sistema operacional, IP, localização geográfica e outros dados do seu computador. Estes dados em conjunto formam uma marcação capaz de identificar você de forma única e inconfundível. Isso por si só já é perturbador, mas o ponto crucial é que o Google possui parceiros comerciais. Estes parceiros utilizam os dados oferecidos pelo google para criar um perfil seu e cruzando com dados de pesquisas mercadológicas eles sabem sua idade, sua cidade e que você curte sexo anal. Dai todos aqueles anúncios e banners estranhos que parecem te perseguir. Além disso este perfil pode, e geralmente é, vendido para outras empresas e organizações. Como seguradoras, ongs, bancos e agências de crédito.

Além disso toda pesquisa feita no Google (assim como no Yahoo e qualquer outro mecanismo de busca) é salva e três coisas podem acabar acontecendo com você:

  1. Os dados podem ser tornados públicos pelo governo ou por uma intimação legal: http://www.readwriteweb.com/archives/googles_second_transparency_report_us_info_request.php
  2. Um funcionário mal intencionado pode usar estas informações para algum fim pouco nobre: http://gawker.com/5637234/
  3. O sistema pode ser hackeado: http://www.wired.com/threatlevel/2010/01/operation-aurora/

 

A Influência das Corporações

Censura do facebookNegociado secretamente por um pequeno número de países ricos e por poderes corporativos, o Acta por exemplo pleiteia criar um novo órgão internacional para a regulamentação do fluxo de dados. Na prático isso vai dar poder as Multinacionais para policiarem tudo que fazemos online e inclusive impor penalidades com multas ou prisões ás infrações daquilo que for julgado ilegal.  A recente onda de sites dedicados ao compartilhamento de arquivos é testemunha o suficiente desta fragilidade.

Não se trata apenas de censurar a informação que você consome, mas até mesmo aquilo que você cria e produz. Policiar comentários e posts antes que eles sejam publicados faz parte da política interna de funcionamento do Facebook. Entretanto o sistema não é declarado ao usuário final senão por letras miudas. Dependendo do que voce postar pode se deparar com mensagens desagradáveis como esta ao lado. O mesmo algoritmo usado para filtrar seus emails e criar seu filtro Anti-Spam também é usado para ler e catalogar tudo o que você escreve no seu webmail ou nas redes sociais. E algumas coisas já começaram a ser apagadas.

Logo virá um tempo em que você para baixar uma música o vídeo ou quem sabe até um texto ou imagem você precisará da permissão destas corporações.A dez anos atrás você entrava em um site, baixava um programa e instalava o que queria. Hoje, temos a 'Apple Store' ou o 'Google Store', com todos os programas previamente aceitos e selecionados para você. A campanha "Copyright é Racismo. Diga NãO" promovida pelo do Morte Súbita inc  e parceiros é uma tentativa de expor estes fatos para os usuários em geral, então não vamos dedicar muito espaço para a questão aqui.

A Bolha de informação

Algo ErradoDe uns anos para cá especialistas vem trabalhando com o termo "filter bubble" - a bolha do filtro. Resumidamente a coisa funciona assim, o que é a internet para você? Provavelmente você responderá que ela é um lugar cheios de sites pelos quais você navega, esses sites podem ser redes sociais como o orkut ou o facebook, podem ser portais superfodas da informação proibida ao alcance de todos como a Morte Súbita Inc. ou podem ser blogs, sites de compra ou sites menores como a página que você montou para sua tia onde ela posta receitas de bolo. Você não errou, basicamente a internet é isso, mas como você faz para chegar nesses sites? Decora todos os endereços dos quais te falam? Anota em papeis os www da vida? Entra no google e procura "Bolos da Tia Suzana"?

Os mecanismos de busca tomaram um tamanho hoje que é praticamente impossível se navegar na internet sem eles. Isso todos sabemos. Agora esses mesmos mecanismos de busca filtram tudo o que você está tendo como resultado de uma busca sem você saber. Baseado no histórico das suas navegações, sites que costuma buscar, coisas que compra, nos "like" e "+" que você digita os mecanismos de busca mostram páginas específicas para você. Faça um novo teste, procure por "Obama" no google usando máquinas diferentes e veja quais as primeiras respostas que o Google te oferece.

Como vimos toda busca que você faz é salva e será usada para "refinar" a informação para você. Se você costuma entrar em sites comunistas e socialistas receberá uma respostas diferente de alguém que costuma entrar em sites de Direita, mesmo se ambos procurarem por "Verdade sobre a morte de Che Ghevara", por exemplo. Ficou curioso? Dê uma olhada no seu histórico: https://www.google.com/history/

Além dos termos de buscas, também são salvos todos os cliques que você dá. A idéia por trás disso é que você clica em coisas que concorda e gosta. Mas o problema é que assim você vai, cada vez mais, receber o mesmo tipo de informação. Sempre mais do mesmo. Sempre mais daquilo que você já conhece e concorda. Paulo e Mari procuram por "Lula", mas o primeiro lê notícias sobre escândalos e a segunda sobre o bom desempenho de sue governo.

Isso pode ser bom para confirmar tudo aquilo que você acredita, mas qualquer pessoa inteligente ao saber disso se questiona: O que será que não está sendo mostrado para mim? Tente procurar por aborto, casamento gay ou desarmamento. O que estas buscas realmente nos dizem é que foi construída uma bolha de informação, que promove aquilo que ela "acha" que você vai gostar e exclui todo o resto, filtrando assim a sua exposição a informação.

Isso tem dois efeitos divertidos. Primeiro a internet é que decide o que vai te mostrar. Segundo existe um porrilhão de informações por ai que estão anos luz do seu alcance, não porque sejam ruins ou falsas, mas simplesmente porque a internet acha que não valem nada para você. Quando o Google diz 3.000.000.000 de resultados encontrados, o quão fundo você mergulha no mar de "OOOOO" procurando sites lá do fim da lista?

Essa bolha de filtros é um dos responsáveis por você não achar mais aquela sujeira que gostava tanto na internet, mas ela não está sozinha. Imagine que você consiga se livrar dessa bolha usando mecanismos de busca que não filtram como o http://duckduckgo.com. Procure algo que você ache que te deixaria sem dormir (e não falo apenas de fotos de pessoas que sofrem de fungos ou de calcanhar de maracujá). Pense em crimes, em racismo, em sexo do mais bizarro, em informações secretas e cultos que de fato desejam permanecer em segredo.

Existem pessoas que desejam manter um contato, como um fórum, mas de fato não querem que ninguém saiba que existem - alguém mais pensou em necrofilia? Existem órgãos do governo que disponibilizam material para pessoas que precisam, mas você não é uma delas. E acredite isso tudo está na internet, mas você não consegue ver.

Então, se você procura um pouco de privacidade e dados reais, uma boa alternativa é buscar mecanismos de busca que se comprometem em não guardar nem filtrar a informação para você, como o https://duckduckgo.com por exemplo. Mas deixar a bolha de filtro para trás apenas vai colocar à sua disposição sites que estão na internet disponíveis para todos mas que não eram mostrados para você. Mas existem sites que não querem que ninguém os encontre e nenhum mecanismo de buscas sabe que eles existem.

O lado negro da internet possuiu muitos mais sites e muito mais material - fotos, vídeos, arquivos para download, textos e imformação do que a internet que você usa. Não é de se admirar que ele tenha uma reputação extremamente negativa, aqueles que o conhecem dizem que é um local perigoso  onde hackers, pedófilos, sociedades satânicas - nada de errado com isso - e os mais variados tipos de pessoas mal intencionadas e bizarras se reúnem para trocar informações entre si. Esse lado negro, como tudo na vida, tem inclusive um nome.

Você já ouviu falar da Deep Web?

Também conhecida como Deepnet, Darknet, Undernet, Invisible Web ou Hidden web, a Deep Web nada mais é do que todos os sites que existem por ai que não podem ser encontrados por mecanismos de buscas (Google, Yahoo, Bing, etc). Isso significa que para acessar um site da Deep Web, você precisa saber seu endereço, pois nunca irá chegar até ele através do resultado de uma busca no Google. Os motivos para esses sites não estarem indexados nos mecanismos de busca variam, podem ser punição por violação dos termos de indexação, ou mera opção do donos de sites; qualquer dono de site pode retirar seu sites dos buscadores e se tornar um Deep Web, isso é extremamente fácil de se fazer, o que é complicado é o que leva alguém a querer essa privacidade. Se por um lado, grupos de amigos, acadêmicos, empresas, escolas, universidades, e etc, podem optar por não serem incomodados por "curiosos", tentando manter o o acesso a seus sites restrito a seu público limitado, por outro lado, existem aqueles que precisam da privacidade como escudo para proteger suas práticas ilegais, condenáveis e bizarras. 

Mas de fato a reputação que conseguiu para si não é injusta. A Deep Web está repleta de hackers, cientistas, traficantes de drogas, astrônomos, assassinos, físicos, revolucionários, os funcionários do Governo, Polícia, Feds, terroristas, pervertidos, os mineiros de dados, seqüestradores, sociólogos, etc. Aparentemente todo mundo que achamos que são maus demais, loucos demais, ou irreais demais para usarem a internet.

Por isso nem é preciso dizer que é extremamente importante que você tenha muita, muita, MUITA cautela ao navegar pelas águas profundas do mundo www. Os riscos de se pegar um vírus, malware ou de acabar vendo coisas "desagradáveis" é incalculavelmente maior do que o de se navegar na internet comum. Arquivos .exe são praticamente um tabu, existem aos milhares mas não seria sábio brincar com eles. Você já ouviu falar do eschelon? Pois é. Brincadeira de criança perto do que acontece no lado escuro. Quando falamos sobre assassinos, sequestradores, pedfilos, etc., não estávamos brincando. Imagine o tipo de investigação constante nesta área da web por parte das equipes realmente sérias do governo. Navegar na DW pode ser uma maneira de se conseguir chamar a atenção de gente muito séria para você.

Para se ter idéia do tamanho daquilo que você não é capaz de enxergar:

  • A informação pública na Deep Web chega a ser 500 vezes maior do que a da internet visível. 
  • A Deep Web contém cerca de 550 bilhões de documentos individuais em comparação com o 1.000.000.000 da Web comum. 
  • Existem mais de 200.000 sites na Deep Web, se nos concentrarmos apenas nos 60 maiores, juntos possuem cerca de 40 vezes mais informaçnao do que toda a internet visível.
  • Sites Deep Web tendem a ser mais diretos, com conteúdo mais profundo do que sites da Web convencionais, fazendo o conteúdo de qualidade total ser de 1.000 a 2.000 vezes maior que a da Web que voce usa.
  • Um total 95% da Deep Web é informação acessível ao público - não sujeitos a taxas ou assinaturas. 
  • O risco de baixar um arquivo contaminado é 5 vezes maior que na Internet comum.
  • Enquanto a internet que você navega tem 20.000.000.000 de páginas web, a Deep Web tem 600.000.000.000.

Sentiu a curiosidade cutucando atrás da sua orelha? Ótimo. Caso a Morte Súbita Inc. fosse apenas mais um desses sites de curiosidades, com certeza nosso artigo terminaria aqui, seria bem mais curto e você poderia dizer "UAU!". Mas infelizmente a vida não é tão fácil, e nós não prestamos nem um pouco, por isso não vamos apenas falar da Deep Web, nós vamos ensinar você a acessar ela. Preparados para aprender a enxergar no escuro?


Mergulhando nas Trevas

Antes de mais nada não é preciso dizer que o seu browser não foi feito para mergulhar nas profundezas da internet. Para conseguir enxergar o invisível você vai precisar de novos olhos. Navegadores como o Chrome, Firefox, IE e etc, não são capazes de acessar a maioria dos sites da Deep Web, sem contar que eles não foram criados para preservar o seu anonimato. É então preciso baixar o navegador TOR (https://www.torproject.org). A maioria absoluta dos sites profundos são criptografados e somente o TOR é capaz de quebrar a criptografia, além de manter o usuário no anonimato - ao menos em muitos dos casos, mas não conte em ter se tornado invisível.

Com o seu navegador TOR instalado e ciente dos riscos que existem na zona do baixo meretrício virtual você está pronto para dar as suas primeiras braçadas onde a luz não existe mais. Uma das maiores dificuldades para os iniciantes na Deep Web é encontrar os sites que existem lá, por isso você precisa aprender a procurar pelas coisas da maneira correta.

O site de buscas mais popular no lado negro é o Hidden Wiki. Para acessá-lo basta digitar no seu TOR o endereço http://kpvz7ki2v5agwt35.onion/wiki/index.php/Main_Page e iniciar suas buscas. Ele indica links de acordo com os assuntos buscados e com certeza é nele que você vai encontrar as coias mais escrotas que existem na internet. Recentemente, para se ter idéia, sofreram ataques do Anonymous por compartilharem links de sites de pedofilia, mas também é possível se encontrar muitos sites de cunho cultural.

Caso você se interesse por enciclopédias, almanaques, mapas, biografias e material técnico do gênero, busque o Infoplease digitando o endereço http://www.infoplease.com/index.html no Tor.

Para aqueles familiarizados com a busca de imagens do Google, tente o http://www.incywincy.com/. Lembre-se, você está no mundo da escrotidão bizarra.

O DeepWebTech é composto por 5 mecanismos de buscas, cada um voltado para um tema específico da medicina, negócios e ciências http://www.deepwebtech.com/

Quer saber o que os gênios loucos andam fazendo hoje em dia? Como planejam dominar o mundo? O Scirus é voltado totalmente para o mundo científico. Encontre jornais, homepages dos cientistas,  material didático, pré-impressão de material de servidor, patentes e intranets institucionais. http://www.scirus.com/srsapp/

Se o que te dá tesão são números, vá atrás do TechXtra, um buscador voltado para Matemática, engenharia e computação, com  muitos dados e relatórios técnicos,  http://www.techxtra.ac.uk/index.html

E já que está navegando por ai mesmo, não deixe de procurar pela The WWW Virtual Library. Ela é mais antigo catálogo WEB e foi desenvolvida por alunos de Tim Berners-Lee, o cara que inventou a WEB. Para usar pode se inserir o termo na caixa de pesquisa ou simplesmente clicar no menu vertical. Endereço: http://vlib.org/

Agora lembre-se, se na internet comum já é possível se perder entre os milhões de toneladas de lixo virtual, imagine como será no lugar que é centenas de vezes maior do que o mundo que você conhece.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.