Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: CriptoZoologia Bestiário Anfisbena

Anfisbena

As verdadeiras e imaginárias serpentes que os soldados de Catão enfrentaram nos desertos da África; ai estão a parca, "que ereta como báculo caminha", o jáculo, que vem pelo ar como uma flecha, e a pesada anfisbena, que tem duas cabeças. Quase como iguais palavras a descreve Plínio, que acrescenta: "Como se uma não lhe bastasse para descarregar seu veneno".

O Tesouro de Brunetto Latini - a enciclopédia que este recomendou a seu antigo discípulo no sétimo círculo do Inferno - é menos sentencioso e mais claro: "A anfisbena é serpente com duas cabeças, uma em seu lugar e a outra na cauda; e com as duas pode morder e correr com ligeireza, e seus olhos brilham como candeias".

No século XVII,

ir Thomas Browne observou que não existe animal sem embaixo, em cima, na frente, atrás, esquerda e direita e negou que pudesse existir a anfisbena, em que ambas as extremidades são anteriores. Anfisbena, em grego, quer dizer "que vai em duas direções". Nas Antilhas e em certas regiões da América, o nome se aplica a um réptil habitualmente conhecido por "dupla andadora", por "cobra-de-duas-cabeças" e por "mãe-das-formigas". Diz-se que as formigas a sustentam. Também que, se a cortam em cortam em dois pedaços estes se juntam.

As virtudes medicinais da anfisbena já foram celebradas por Plínio.

Fonte:

ino.com.br/books_productdetails.asp?Query=ProductPage&ProdTypeId=1&ProdId=39227&ST=&franq=249252">O Livros dos Seres Imaginários - Jorge Luís Borges e Margarita Guerrero.

Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.

loading...