Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: CriptoZoologia Criptozoologia Teórica Guia de Evocação Mágica A Vestimenta Mágica

A Vestimenta Mágica


Guia de Evocação Mágica

Isto deve ser tratado do mesmo modo que a kepá (chapéu tipo o dos cardeais e judeus) ou faixa de mago. A vestimenta mágica é um robe longo feito de seda, abotoado do pescoço aos pés. As mangas do robe terminan nos punhos. O robe parecesse com a vestimenta de um clérigo e simboliza a absoluta pureza de todas idéias, e a pureza da alma do mago.

É também um símbolo de proteção. Assim como uma vestimenta comum protege o corpo físico de um homem de influências exteriores, chuva, frio, etc. assim a roupagem mágica do mago protege-o de influências exteriores as quais podem atacar seu corpo através de sua matriz astral ou mental.

Como já mencionado muitas vezes, seda é o melhor material isolante contra qualquer influência mental ou astral. Um robe feito de seda é consequentemente um excelente para isolação e pode ser usado com sucesso para outras operações não conectadas diretamente com magia ritual; por exemplo, proteção do corpo físico ou astral quando estiver projetando o corpo mental ou astral de modo a que nenhum ser pode tomar possessão do corpo astral ou físico do mago sem sua aprovação. Um robe magico pode ser usado com sucesso para operações similares para as quais a isolação dos corpos mental, astral e físico seja necessária.

Está, entretanto, na escolha do mago quais variações possíveis ele deseja utilizar. Sob nenhuma circunstancia pode o mago usar uma roupa para magia ritual ou evocações que foi usado para propósitos comuns como por exemplo, treino, ou operações mágicas correntes.

Um robe especial deve ser escolhido para esta espécie especial de magia, e sua cor deve servir ao propósito. Aqui eu devo apontar que para operações astrais e mentais comuns ou experimentos, a vestimenta isolante pode ser posta em cima de quaisquer outras roupas; para evocações e magia ritual, entretanto, a vestimenta deve ser utilizada por sobre o corpo nú. O mago pode, entretanto, em um tempo frio, colocar uma camiseta ou calça feita de pura seda e colocar o robe sobre elas, mas a calça ou camisa devem ter a mesma cor do robe. O mago pode usar calçados da mesma cor do robe. As solas do sapato podem serem feitas de couro ou borracha.

A cor do robe corresponde ao trabalho, idéia e propósito que o mago deseja levar adiante. Ele pode escolher uma das três cores universais: Branco, violeta ou negro. Violeta é o equivalente à cor do akasha podendo ser utilizada para quase todas operações mágicas.

A cor branca é escolhida para lidar com seres elevavos e bons. A cor negra é a cor apropriada para os poderes e seres negativos. Se ele puder suportar o gasto, ele pode fazer os três robes, um de cada cor. Um mago rico pode escolher, para seus robes, cores análogas às esferas individuais dos planetas com os que ele trabalha.

Assim ele escolherá para:

  • seres de Saturno – Violeta-escuro

  • seres de Jupiter - Azul

  • seres de Marte – Púrpura

  • seres do Sol – Amarelo, dourado ou branco

  • Seres de vênus - verde

  • seres de mercúrio – laranja

  • seres da lua – prateado ou branco

Claro, somente um mago próspero poderá ser capaz de suportar tais gastos. Um mago não tão próspero poderá obter resultados satisfatórios com somente um robe em uma cor violeta clara. Seu "cap" ou faixa de mago deverá ter a mesma cor.

Quando o robe estiver pronto, o mago deve lava-lo em água corrente de modo a descarrega-lo da força "od" (nt: magnética animal), de modo que nenhuma influência estranha permaneça na seda. Então ele deve fazer o robe sozinho, pois nenhuma outra mão exceto as suas deverão para sempre entrar em contato com ele. O mago achará esta medidas bem justas, pois, sendo bem cuidadoso a este respeito, ele já irá achar perturbante se outra pessoa, mesmo alguém de sua família, de suas relações ou amigos meramente tocarem um de seus implementos mágicos.

Um robe preparado deste modo descrito deve então ser posto em frente ao mago, o qual , por auxílio da imaginação, deve unir a sí com sua deidade e abençoar o robe, não como sua própria pessoa, mas como a divindade invocada propriamente. Ele deve fazer um voto, juramento solene, que a vestimenta somente será utilizada para propósitos rituais.

Uma vestimenta influenciada e impregnada de tal modo tem então um poder mágico genuíno e irá oferecer ao mago absoluta segurança. Antes do mago preparar seu robe para propósitos mágicos ele pode enfeitar, se ele assim gostar, com símbolos universais semelhantes ao de seu "cap".

Tudo isto, claro, depende inteiramente de sua própria vontade e ele pode estar certo que ele não pode cometer nenhum engano a este respeito.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.