Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Bruxaria Textos Pagãos Instrumentos de Trabalho Wiccanos

Instrumentos de Trabalho Wiccanos


"Não há lojas nenhumas de abastecimento mágicas, a menos que você seja suficientemente afortunado para lhe ser dado ou serem vendidos instrumentos a uma bruxa pobre, devem ser equacionados. Mas quando feitos deveria poder pedir emprestado ou obter um Athame. Assim, pode fazer o seu círculo, erguer um altar. Qualquer mesa ou uma pequena caixa serve. Deve haver fogo nele (uma vela bastará) e o seu livro. Para bons resultados, o incenso se conseguir fazê-lo, é muito melhor, mas os carvões vegetais num prato que queimam ervas aromáticas servem na mesma. Um copo, se tiver bolos e vinho e uma travessa com os símbolos desenhados, mesmo a tinta, serve como um pentáculo. Um açoite é facilmente feito (nota, o açoite tem oito cordas e cinco nós em cada corda). Arranje um punhal de cabo branco e uma varinha (a espada não é necesária). Marque os símbolos com o Athame. Purifique tudo, a seguir o consagre as suas ferramentas nas fórmulas apropriadas e que seja sempre preparado correctamente. Mas lembre-se sempre, que as operações mágicas, excepto, a menos poderem ser causados numa atitude apropriada, fechado à chave ao ser colocada no mais recôndito sítio.

'As afirmações devem ser claras e a mente deve estar excitada com desejo. Com este delírio da vontade você pode fazer tanto quanto com simples ferramentas quanto com o conjunto mais completo. Mas instrumentos antigos bons e especiais tenham a sua própria aura. Ajudam a causar esse espírito reverencial, o desejo de aprender e desenvolver os seus poderes. Por esta razão, as bruxas tentam sempre obter instrumentos dos feiticeiros, que sendo homens proficientes, fazem instrumentos e os consagram muito bem, dando-lhes grande energia ao poder. Mas os instrumentos de uma eminente bruxa, ganham também muito poder; e deve sempre esforçar-se imenso em fazer todos os instrumentos manufacturados, em bons materiais que pode obter, que podem absorver o seu poder, mais facilmente, no final. E, naturalmente, se poder herdar ou obter um outro poder dos instrumentos de bruxa, ele fluirá delas'.

A afirmação 'não há nenhuma loja mágica como fonte' não é, com certeza, mais verdade; e houve outros desenvolvimentos na prática Wiccana, desde que, esta passagem foi escrita. Embora uma espada não seja estritamente necessária (o athame serve as mesmas finalidades), a maioria dos coventículos gostam de a ter um símbolo de identidade do coventículo como contraste dos athames, que são símbolos de cada identidade da bruxa individual.

Também, porque a maioria dos coventículos, o copo ou cálice, é um dos símbolos mais importantes (representando o princípio feminino e também o elemento da Água) e não um mero acessório 'se tiver bolos e vinho', se bem como a aparente classificação baixa do copo neste texto pode ter sido deliberadamente 'casual', para as razões que Gardner deu-nos e que nós explicamos na p. 258.

Mas à parte, destes pontos pouco importantes, os princípios colocados nesta passagem são válidos desde sempre.

Nós encontramos interessantes a implicação que as bruxas podem ter estado em contacto com os feiticeiros (significando, o que nós chamaríamos hoje, mágicos rituais).

'É uma opinião antiga, que as melhores substâncias para fazer instrumentos são aqueles que tiveram, uma vez, uma vida nelas, ao contrário das substâncias artificiais. Assim, a madeira ou o marfim são melhores para uma varinha, do que o metal, que é mais apropriado para espadas ou punhais. O pergaminho virgem, é melhor do que o papel manufacturado, para talismans, etc. E as coisas que foram feitas pela mão são boas, porque há vida nelas'.

Qualquer outro comentário seria supérfulo.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.