Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Livros Satânicos A História do Satanismo O Pânico Satânico

O Pânico Satânico


Morbitvs Vividvs

Richard Ramirez

Chegaram os anos 80 e o satanismo era um fato. Não era mais uma lenda como nos anos 50, uma excentricidade como nos anos 60, nem moda da vez como na década de 70. Era algo real que crescia, já havia mais de uma igreja satânica e era algo levado a sério por uma porção de pessoas. Na visão dos conservadores da época, era algo a ser combatido. Além disso as organizões satânicas começaram a se multiplicar e sem uma responsabilidade central era inevitável que logo aparecessem os estúpidos. Da indignação reacionária e da estupidez coletiva nasceu a década do Pânico Satânico

A onda de medo foi iniciada com o livro “Michelle Remembers” de Lawrence Pazder, no qual por meio de seções de hipnose Michelle relatou ao autor os mais sórdidos detalhes de suas experiências com os satanistas. No livro ela contou como tinha sido torturada aos cinco anos por um culto satânico que quase a matou de fome, vomitaram nela, a estupraram e a eletrocutaram. No final, a largaram dentro de um túmulo onde jogaram animais mortos. Após um ano, eles a deixaram ir, e ela "esqueceu" tudo até que começaram suas sessões de hipnose vinte e dois anos depois.

O chamado Ritual de Abuso Satânico, ganhou as manchetes e se tornou uma idéia popular. Descrevia atos como banhar-se com sangue dos mortos, comer fezes com a família, sacrificar crianças e animais pequenos e toda espécie de atos repulsivos. As Memórias de Michelle diziam que os adoradores do diabo haviam construído uma rede internacional dedicada ao mal, ao abuso infantil, crime e imoralidade. O problema é que em paralelo a isso realmente existia uma rede internacional de satanistas.

O Pânico Satânico tomou conta da opinião pública e uma nova e outra hipócrita caça as bruxas tomou o ocidente. Basicamente os satanista passaram a ser acusados das mesmas coisas os cristãos dos primeiros séculos eram acusados de fazer pela Roma Pagã e que os Judeus foram acusados por pelos cristãos medievais. De fato, muitos outros grupos já foram vítimas da histeria popular infundada inclusive maçons, protestantes, pagãos e  comunistas. Nos anos 80, mais uma vez “pessoas más queriam dominar o mundo” e as mesmas mentiras frutos do medo do desconhecido voltavam a tona em uma nova forma que encontrava no satanista modernos seu mais perfeito bode expiatório.

As acusações começaram a se multiplicar sempre sem provas, frutos de suspeitas seções de regressão. Não é nem preciso dizer que o pânico satânico foi alimentado principalmente pelos cristãos evangélicos conservadores, mas o fato é que toda a sociedade se mobilizou no assunto, mostrando o quanto a humanidade ainda é refém do status quo religioso. Médicos e figuras políticas entraram no jogo e alguns casos tornaram-se assunto de investigações policiais e casos de júri.

Não demorou para que estas acusações doentias encontrassem mentes não mais saudáveis criando uma espécie de circulo vicioso. 

Richard Ramirez membro da Church of Satan de mente fraca e estimulado por este cenário em que vivia tornou-se um serial killer que matava, estuprava e roubava em nome do diabo. Frequentemente mutilava os corpos, e deixava pentagramas desenhados no local do crime. Pensava que o poder de Satã iria protegê-lo.

Como qualquer outra lenda urbana as acusações do Pânico Satanico contra o satanismo aos poucos cansaram o publico e sairam de moda, mas não antes de causar diversos danos a reputação e vida de diversos indivíduos e deixar novamente a lição histórica do que a estupidez pode fazer quando se torna um conceito popular. Foi nesta época complicada que algumas poucas pessoas aproveitaram a má fama do satanismo para ganharem um pouco de destaque. E isso aconteceu não só nos diversos pastores cristãos “especialistas” em satanismo como dentro do próprio satanismo moderno. Alguns autores desenvolveram formas de satanismo que se distinguem ela afirmação da sua necessidade de ser sinistra e "má". Foi mais ou menos neste momento que nasceram algumas organizações satânicas como a Church of Lucifer, de quem falaremos mais na segunda parte do livro, a Order of Nine Angles, que abordaremos no capítulo seguinte e a marginalmente satânica Temple of the Vampire, que veremos mais para frente.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.

Conteúdo relacionado