Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Textos Satânicos Que Diabo?

Que Diabo?


Peter Gilmore. Tradução: Nathalia Claro

Peter GilmoreSatanismo não é adoração ao Diabo. Isso vem como um choque para muitos que não têm explorado a nossa filosofia e são os equívocos principais a respeito da Igreja de Satanás. Nosso fundador Anton Szandor LaVey afirmou esta posição desde o início. Ao longo dos anos, os indivíduos com a necessidade de se sentirem abraçados por uma divindade alegaram que o Dr. LaVey de alguma forma veio a crer em um Satanás literal. Se examinarmos o seu trabalho, é claro que ele nunca mudou de ideia sobre isso, nem foi a crença no Diabo algum segredo do " círculo interno " na prática da Igreja de Satanás.

Nós, satanistas, compreendemos que a Verdade e a Fantasia são necessárias pelo animal humano. É um passo para a sabedoria quando se sabe com certeza qual é qual. O homem depende de simbolismos e metáforas na construção de um quadro conceitual pessoal para entender o universo em que vive. Ele está sempre inventado seus próprios deuses usando seu cérebro carnal. De “A Bíblia Satânica”: “Homem sempre criou seus deuses , ao invés de seus deuses o criarem " No entanto, este ato de criação é geralmente negado. A história mostra que os fundadores de religiões alegaram contato pessoal com a divindade fabricada através de sua imaginação, e legiões de seguidores reforçaram esta ficção. Não há nada errado com a fantasia, desde que um indivíduo saiba que está usando esta controlada “auto-ilusão” como uma ferramenta para lidar com a sua existência. Para nós, céticos, satanistas pragmáticos , isto é exercido na câmara ritual. Confiar em construções fantásticas torna-se perigoso quando os crentes de religiões espirituais dogmaticamente insistem que suas fantasias pessoais ou coletivas são reais no mundo em geral, que eles são a única fonte de verdade absoluta, e depois aguardam pelo mito para orientá-los ou tentar forçar os outros a compartilhar desta ilusão. Essa tem sido a fonte de inúmeras guerras, como qualquer estudante de história pode ver.

O livro seminal do Dr. LaVey , “A Bíblia Satânica” publicado em 1969 , estabelece alguns princípios básicos :

“O satanista concebe que o homem, e a ação e reação do universo, são responsáveis por tudo, e não se engana ao pensar que alguém se importa”.

Não é mais sensato adorar um deus que ele mesmo criou, de acordo com suas próprias necessidades emocionais - aquele que melhor representa o ser carnal e físico que tem o poder da ideia - do que inventar um deus em primeiro lugar?

A partir de uma entrevista de 1986 com Walter Harrington do The Washington Post:

" Satanás é um símbolo , nada mais ", diz LaVey . " Satanás significa o nosso amor do mundo e nossa rejeição a imagem pálida e ineficaz de Cristo na cruz. "

Aceitando a premissa evidente que deuses não existem como entidades sobrenaturais independentes significa que os satanistas são de fato ateus . Sabemos que o universo objetivo é indiferente para nós. Uma vez que a nossa filosofia é auto-centrada, cada satanista vê a si mesmo como a pessoa mais importante em sua vida. Cada indivíduo, portanto, gera sua própria hierarquia de valores e julga tudo com base em seus próprios padrões . Portanto, nós satanistas nomeiamos a nós mesmos como os "Deuses" em nossos universos subjetivos. Isso não significa que achamos que temos os poderes de uma divindade mitológica , mas isso não significa que nós veneramos a capacidade criativa em nossa espécie. Então, para distinguir-nos dos ateus que simplesmente rejeitam Deus como inexistente, nós nos chamamos de "I- teístas"* (Eu-Teísta – N.T.), com o nosso próprio ego saudável como centro da nossa perspectiva. Este é verdadeiramente um conceito blasfemo que voa na cara de quase todas as outras religiões , e é por isso que Satanás nos serve bem como um símbolo. Ele foi descrito como um orgulhoso, recusando-se a ceder à Jeová. Ele é o único que questiona a autoridade, buscando liberdade além do reino do Céu esbravecido. Ele é a figura defendida por nomes como Mark Twain , Milton, e Byron , como o crítico independente e heroicamente, se por conta própria.

Dr. LaVey fez sua apresentação mais detalhada do seu conceito de como funciona o Satanismo em sua filosofia do seguinte monólogo que apareceu no livro “Bruxaria Popular” de Jack Fritscher , publicado em 1973.

“Eu não sinto que o aumento do diabo, em um sentido antropomórfico, é tão viável como teólogos ou metafísicos gostariam de pensar . Eu senti Sua presença , mas apenas como uma extensão exteriorizada do meu próprio potencial, como um alter - ego ou conceito evoluiu que eu tenho sido capaz de exteriorizar . Com a plena consciência , posso me comunicar com esta aparência , esta criatura , esse demônio , esta personificação que eu vejo nos olhos do símbolo de Satanás, o bode de Mendes , como posso comungar com ele antes do altar. Nenhum deles é nada mais do que uma imagem espelhada sobre o potencial que percebo em mim mesmo.

Eu tenho essa consciência de que a objetivação está de acordo com o meu próprio ego. Eu não estou me iludindo que eu estou chamando algo que é desassociado ou exteriorizado de mim, mesmo a divindade . Esta força não é um fator de controle que eu não tenha controle. O princípio satânico é que o homem voluntariamente controla o seu destino, se ele não o fizer, outro homem - muito mais esperto do que ele – o fará. Satanás é, portanto , uma extensão da nossa psique ou essência evolutiva, a fim de que essa extensão possa , por vezes, conversar e dar diretrizes por meio de uma forma que pode pensar sobre si mesmo como uma única unidade não pode. Desta forma, ele não ajuda a retratar de uma forma exteriorizada o Diabo. O objetivo é ter algo de uma natureza objetiva idólatra para comungar com ele. No entanto, o homem tem conexão, contato , controle. Esta noção de um Deus/Satanás exteriorizado não é nova.

A abordagem descrita aqui, conscientemente, criando uma exteriorização do “eu” com o qual se comunga exclusivamente no ritual, é um conceito religioso revolucionário do satanismo de LaVey , e é uma abordagem de " terceiro lado " que prova indescritivelmente para muitos que não vem naturalmente. É um truque de mente psicológico, e não uma forma de fé. Ele estabelece que, para o satanista no ritual, ele é Satanás.

Para ser justo, as pessoas que frequentam o funcionamento dos ritos bombásticos e teatrais de LaVey podem não ser capazez de separar os gritos de " Hail Satan ! ", enquanto presentes na câmara ritual com a descrença em todos os deuses externos fora da câmara. Mas então, o Satanismo não é para todos. Quando perguntado se há um próximo volume de “Satanismo para manequins”, nós respondemos : " satanismo não se destina para manequins . " Como ele disse em “A Bíblia Satânica” e muitas vezes em entrevistas: "Satanismo exige estudo - não adoração" A capacidade de pensar é esperado de satanistas . Então LaVey é esperado por aqueles que abraçaram sua filosofia para entender onde traçar a linha entre o fantástico e o real. Ele proclamou que ele era um showman, e sentiu que seus satanistas não seria caipiras, confundindo a palhaçada com a realidade. Como artista, ele sabia como entreter, para chamar a atenção para que ele pudesse, então, apresentar ideias mais graves. Alguns podem zombar de sua metodologia , descartando suas cogitações mais profundas por causa dos elementos circenses. No entanto , acredito que no caso pode ser entendido que todas as religiões estão no " show business ", mas a Igreja de Satanás é a única honesta o suficiente para admitir isso.

Em uma entrevista divulgada em um LP chamado “A Explosão do Oculto” de 1973 , o Dr. LaVey explicou como a Igreja de Satanás lida com conceitos diferentes de Satanás :

"Satã" é , para nós, um símbolo em vez de um ser antropomórfico, embora muitos membros da Igreja de Satanás, que são misticamente inclinados, preferem pensar em Satanás de uma forma muito real, antropomórfica. Claro, nós não desencorajamos isso, porque percebemos que para muitas pessoas uma imagem, uma imagem bem- feita de seu mentor ou sua divindade tutelar, é muito importante para eles conceituarem ritualisticamente. No entanto, Satanás simbolicamente é o professor: o informante dos porquês e os para quês do mundo. E, em resposta àqueles que nos rotulam como "adoradores do diabo " ou são muito rápidos para assumir que sejamos “adoradores de Satanás”, devo dizer que Satanás exige estudo, não adoração, em sua verdadeira simbologia .

Nós não rastejamos, nós não nos postamos de joelhos , ajoelhamos ou adoramos Satanás. Nós não pleiteamos, não imploramos que Satanás nos dê o que desejamos . Nós sentimos que quem vai ser abençoado por um deus qualquer de sua escolha, vai ter de mostrar ao deus que ele é capaz de tomar conta das bênçãos que são recebidas.

Assim, ele defende a criação de um símbolo de Deus com base em suas próprias necessidades e escolhas estéticas. Fantasia criativa é empregada para a realização emocional , vivida no contexto da câmara ritual. Satanistas veem Satanás como seu símbolo adequado para atender a essas necessidades, a ampliação do melhor dentro de cada um de nós.

Além disso, LaVey especulou sobre a ideia de que ao tentar praticar a Mágica Maior , pode ser que o operador esteja batendo em uma força que faz parte da natureza para ampliar a sua " vontade". Esta força é oculta, desconhecida, e, portanto, "obscura". Mas LaVey não vê a força como uma entidade sobrenatural. Em “A Bíblia Satânica” ele originalmente explicou que " o satanista simplesmente aceita a definição ( de Deus ), que melhor lhe convém . " Ele segue de perto com a definição que ele usa :

Para o satanista "Deus", pelo que nome que sempre é chamado, ou por nenhum nome - é visto como o fator de equilíbrio na natureza, e não como um ser que se preocupa com o sofrimento. Esta força poderosa que permeia e equilibra o universo é muito impessoal para se preocupar com a felicidade ou miséria das criaturas de carne e sangue nessa bola de sujeira em que vivemos.

LaVey postula claramente , uma força não - remota desinteressada, uma personalidade ou entidade que equilibra o universo. Ele a vê como indiferente a formas de vida, tanto quanto qualquer outra força como a gravidade seria. É um mecanismo, não é um personagem . Ele não merece reverência , apaziguamento , ou adoração. Ele pode ser chamado ou não. Ele opera sem consciência dos seres conscientes. Ele falou isso para Burton Wolfe , que escreveu na introdução de “A Bíblia Satânica” :

“Claro, LaVey apontou para quem quisesse ouvir que o Diabo para ele e seus seguidores não era o companheiro estereotipado envolta em trajes vermelho, com chifres , rabo e tridente , mas sim as forças obscuras da natureza que os seres humanos estão apenas começando a entender . Como fez LaVey nessa explicação com sua própria aparência , por vezes, em capuz preto com chifres? Ele respondeu: " As pessoas precisam de ritual, com símbolos, como aqueles que você encontra em jogos de beisebol ou serviços da igreja ou guerras , como veículos para gastar emoções que não podem liberar ou mesmo entender por conta própria. "

Então, LaVey admitiu que pode haver elementos atualmente inexplicáveis ​​do universo que fazem parte do seu tecido , mas estes não são sobrenaturais . Ele sugere indagar que a mente do homem pode, eventualmente, vir a entender como eles funcionam. As implicações dessas ideias oferecem grande liberdade. Uma vez que não há divindade real vigiando ou obrigando o comportamento da nossa espécie, os homens são livres para imaginar qualquer tipo de Deus que eles escolhem para satisfazer suas próprias necessidades, no entanto, não se deve esquecer que essas fantasias são somente isso , nada mais .

Na mesma passagem, ele também abordou a principal razão para se engajar em ritual, que ele definiu como Alta-Magia: “ele serve como um meio para liberar emoções reprimidas que as pessoas podem não entender completamente ainda. Daí ritual tem um propósito psicológico, mas claramente não é entendido como um meio para a adoração de uma entidade sobrenatural. Ritual é comprovadamente parte da cultura humana. LaVey sabia que serviu um valor para as pessoas ao longo dos milênios , mesmo que tenha sido feito por razões que não se enquadram com a realidade. Ele fez as pessoas se sentirem melhor do que elas fizeram antes. Então, enquanto ele continuava em “A Bíblia Satânica”, ao abordar a busca por uma religião propriamente dita: "Se ele aceita a si mesmo, mas reconhece que o ritual e a cerimônia são os dispositivos importantes que suas religiões inventadas têm utilizado para sustentar sua fé em uma mentira , então ele é a forma do ritual que irá sustentar sua fé na verdade, a pompa primitiva que dará a consciência de sua própria substância que está sendo adicionado ao majestoso" Assim, o dispositivo de ritual , que explicou como" auto-ilusão controlada " , pode ser de uso prático para o bem-estar de seu estado de espírito. A verdade acima referida é que todos os deuses são uma invenção do bicho criativo chamado Homem .

Para resumir a jornada de um indivíduo típico ao observar a realidade e declarar-se um satanista, vamos listar várias afirmações :

  1. Natureza engloba tudo o que existe. Não há nada de sobrenatural na Natureza.
  2. O espiritual é uma ilusão. Eu sou totalmente carnal.
  3. A razão é a minha ferramenta para a cognição tornando amaldiçoada a fé. Eu questiono todas as coisas. Eu sou um cético.
  4. Eu não aceito falsas dicotomias, encontrando em vez do "terceiro lado", o que me traz mais perto de compreender os mistérios da existência .
  5. O universo não é benevolente nem malévolo, é indiferente.
  6. Não há deuses. Eu sou um ateu .
  7. Não há propósito intrínseco à vida além imperativos biológicos. Eu , assim, determinarei o significado da minha própria vida.
  8. Eu decido o que é de valor. Eu sou o meu próprio valor mais alto , portanto, eu sou meu próprio Deus. Eu sou um I- teísta*.
  9. Bom é o que me beneficia e promove o que tenho de melhor e aprecio.
  10. O mal é aquilo que me prejudica e impede que eu aprecie algo .
  11. Eu vivo para maximizar o bom para mim mesmo e para aqueles que eu valorizo. Em todos os momentos eu permanecerei no controle da minha busca do prazer . Eu sou um epicurista.
  12. Mérito determina meus critérios para o julgamento de mim mesmo e aos outros. Eu julgo e estou preparado para ser julgado.
  13. Eu busco um resultado justo em minhas trocas com os que me rodeiam. Eu , portanto, irei fazer aos outros como eu preferiria que eles fizessem a mim. No entanto, se eles me tratam mal, vou devolver esse comportamento em grau semelhante .
  14. Eu compreendo a necessidade humana de símbolos como um meio para a destilação de estruturas de pensamento complexos.
  15. O símbolo que melhor exemplifica a minha natureza como um animal consciente é Satanás, o avatar de carnalidade, justiça e auto- determinação.
  16. Eu me vejo refletido na filosofia criada por Anton Szandor LaVey .
  17. Tenho orgulho de dizer que sou um satanista .

Essas ideias fundamentais para satanistas servem como uma bases profundamente libertadoras e uma aceitação de boas-vindas de nós mesmos como os animais humanos. Para o tipo de pessoa que se sente a necessidade de uma figura paterna sobrenatural externa, a responsabilidade pela auto-determinação explícita nesse caminho seria aterrorizante. Para o satanista, a crença em um Deus real ou Diabo a qual seria devedora é repugnante e ridícula. Nós " concordamos em discordar " com aqueles que são orientados espiritualmente sobre nossas abordagens diferentes para viver, daí a nossa defesa do pluralismo na sociedade. Nós, os satanistas sabemos que nosso caminho não é para todos. Nós simplesmente pedimos que outros sigam o seu próprio caminho e nos permitam ser como somos.

Mas, por favor , todos vocês, crentes , compreendam que não somos simplesmente o seu " outro lado ". Nós não somos adoradores do diabo. Nós somos simplesmente auto- adoradores carnais que procuram desfrutar de nossas vidas ao máximo. Que você encontre a felicidade em sua porção de sua divindade escolhida. Nós certamente iremos!

Copyright © 2007 , Publicado pela primeira vez nas “Escrituras satânicas”.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.