Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Sociedades Secretas & Conspirações Textos Conspiracionais 11 de Setembro: Dia da Mentira

11 de Setembro: Dia da Mentira


Tamosauskas

911Mesmo passados mais de dez anos, ainda é muito difícil enxergar acima da nuvem de medo que a tragédia do World Trade Center levantou, mas as consequências deste evento para o mundo são tão fortes ainda hoje que é nosso dever ao menos tentar. As opiniões variam entre os extremos das mais absurdas teorias da conspiração à passiva aceitação de tudo o que a mídia fala. Talvez a verdade esteja no meio do caminho, pois embora nenhum dos pesquisadores independentes saibam o que realmente aconteceu, qualquer pessoa razoável pode perceber facilmente dezenas de inconsistências na história oficial contada pelo governo americano. Proponho assim que o leitor me acompanhe a um exame objetivo dos fatos desta data que de tão importante, segundo alguns, inaugurou o século XXI.

Mas Por Quê Este Assunto Seria Relevante Nos Dias de Hoje?

 

Já se passaram mais de dez anos dos atentados e com eles todo o hype de se falar no assunto. As pessoas que ainda insistem em uma investigação séria entram para o grupo dos paranóicos, dos loucos ou desocupados. Os mortos já foram sepultados, as piadas já foram feitas, o tempo passou e as feridas cicatrizaram. Mas uma coisa permanece. Não falo das mudanças do sistema financeiro, da segurança em aeroportos, dos outros ataques que este parece ter gerado e sim de algo mais básico, o respeito pela sua inteligência e pelos seus direitos. 

Independente do que possa ou não ter acontecido, os pontos que levantaremos deixa algo patente: alguém tinha um objetivo, algo foi feito para se alcançar esse objetivo e neste processos seus direitos de ser humano básico foram ignorados. Independente de quem possa ser esse alguém, direitos humanos foram atropelados, contas bancárias reviradas, privacidade se tornou sinônimo de tabu. O trabalho e vidas de milhares de pessoas foram descartados, deixados de lado e jogados fora. Felizmente é muito provavel que você não tenha sido uma dessas pessoas, mas isso não significa que não venha a ser. O mais assustador é que, lendo este texto, percebemos que vivemos em uma ilusão muito assustadora. Acreditamos que o governo é eletio por nós, e recebe de nós um salário para nos governar, para gerir o país, para tomar decisões. Acreditamos que nós pagamos um exército e uma força policial federal para nos proteger de pessoas e coisas que atentem contra nossas vidas, nossa liberdade, nossa família. Acreditamos que nós todos fazemos parte de algo chamado pátria, que trabalhamos não apenas para realizar tarefas, mas para garantir qualidade de vida para nós no presente e construirmos uma vida no futuro quando não pudermos mais trabalhar. Acreditamos que existem pessoas ruins e más, e que por mais erros que já tenhamos causado nesta vida somos essencialmente pessoas que estão do lado correto do bem Vs mal, e seremos protegidos desses monstros. 

Agora você consegue ainda acreditar nisso quando vê que tudo isso não passa de mentira no maior modelo político, econômico e bélico do mundo? Consegue acreditar nisso quando paramos para tentar enxergar o grande esquema das coisas e vemos que você não passa de um número que pode ser descartado? Que apesar de termos jornalistas e meios de comunicação aparentemente livres isso não influencia nada em sua participação em sua pátria já que te tratam feito um idiota e não lhe dão mais satisfação de nada, apenas te empurrando o que julgam ser o suficiente para você calar a boca?

Esta revisão dos fatos é importante hoje porque estamos afastados do evento, esse afastamento de mais de dez anos nos ajuda a não deixarmos nosso lado afetivo afetar nosso julgamento. Nos permite analizar friamente o que um governo é capaz de fazer quando tem um objetivo próprio para atingir. Nos permite analisar no mundo de hoje, qual a nossa real importância como seres humanos - nenhuma. 

Aqueles que acreditamos trabalhar para nós nos fazem de gato e sapato. E calados, mostramos como a idiotice pode ser usada por nós como um diferencial positivo: eu não acredito nessas besteiras, são coisas de malucos! Isso simplesmente pode ser traduzido como: eu nunca vou conseguir reagir contra algo tão maior do que eu, a ignorância é uma bênção!

Uma bênção até os escombros começarem a cair no seu quintal e você se tornar uma casualidade. Pense com cuidado.

 

Como fazer Zumbis e influenciar os impressionáveis

Não se impressione com o título acima, apenas continuae lendo.

No dia 11 de setembro de 2001 os Estados Unidos foram vítimas de uma série de ataques. Os meios de comunicação do mundo todo foram velozes em comunicar que naquela manhã de terça-feira 4 aviões comerciais haviam sido sequestrados por terroristas. Dois deles, o vôo 11 da American Airlines e o vôo 175 da United Airlines se colidiram contra alvos em Nova Iorque, as Torres Gêmeas do World Trade Center. Outro vôo, o 77 da American Airlines foi atirado contra o Pentágono, em Virginia. O quarto avião, o vôo 93 da United Airlines teria como objetivo o capitólio americano em Whashington, mas não atingiu seu alvo pois caiu assim que os passageiros reagiram tentando tomar o controle dos sequestradores. Naquele dia morreram mais de 3000 pessoas, incluindo os 227 passageiros dos aviões.

No momento dos atentados não havia como saber o que estava de fato acontecendo, tudo o que se tinha eram notícias da mídia. Imagens na televisão e suposições de pessoas engajadas em tentar entender o que era aquilo. 

Logo começaram a surgir explicações dos órgãos responsáveis, mas curiosamente essas explicações eram obviamente bizarras e inconsistentes, muito vagas. De passaportes que teriam sobrevivido a uma explosão capaz de derrubar torres de aço e concreto a destroços de aviões que misteriosamente desapareciam do local do acidente, como se evaporassem no ar. Logo de cara coisas óbvias começaram a chamar a atenção, como a inexplicável baixa da guarda do imenso arsenal militar norte-americano por mais de uma hora e meia!

Centenas de canais de televisão mostraram a reação do presidente americano, George Bush, ao ser informado dos ataques. Se havia a espectativa de uma reação de alarme e surpresa e então um presidente correndo para defender seu pais e a liberdade e a democracia do ocidente, ela foi completamente frustrada. Todo protocolo do Serviço de Segurança para proteger o Presidente nestes casos, a correria para o levar a um lugar seguro, criarem um perímetro de proteção, etc. foi ignorado, o presidente estava visitando escolas infantis e, depois de uma cara de "ã", simplesmente continuou na escola que se encontrava, bateu mais algumas fotos tranquilamente e deu alguns telefonemas, ele permaneceu na escola por mais tempo, até as 9:30, como se soubesse que não corria risco algum. 

Outra estrela dos ataques foram os destroços dos aviões, uma lembrança das vítimas que tiveram a infelicidade de embarcar naquela manhã para atravessarem o país de avião. Esses destroços foram filmados, fotografados, mostrados ao mundo, até que o mundo percebeu que curiosamente eles não existiam no pentágono, apenas uma cratera cercada por tudo, menos pedaços de aviões. A própria cratera era pequena demais para ter sido causada pelo impacto de um avião. Por isso logo pararam de mostrar qualquer imagem que envolvesse o acidente do pentágono, todas os vídeos e fitas de seguranças de lojas, bancos e prédios das imediações foram confiscadas pelo governo e nunca mais ouvimos falar nada sobre isso.

Então deram atenção aos destroços de avião do vôo 93, que rumava a Whashington, e foi corajosamente defendido pelos patriotas americanos que enfrentaram os sequestradores. Só que essa atenção mostrou que os destroços se espalhavam por mais de 8 milhas nas fazendas da Pennsylvânia, o que seria estranho se o avião tivesse caído inteiro e então se espatifado, aqueles destroços pareciam mostrar que o avião se despedaçou no ar, antes de cair, como aconteceria se ele tivesse sido abatido em pleno vôo. Isso se tornou desconfortável também, imaginar que o exército atiraria em aviões cheios de civis que já estavam lutando e supostamente levando vantagem sobre os sequestradores.

E por falar em sequestradores, essa palavra não era forte o suficiente, então resolveram mudar para terroristas. Aquilo não era uma série de ataques, eram atos terroristas. Como se para comprovar isso em menos de 12 horas depois dos ataques encontraram um culpado: Osama Bin Laden. Surgiu até uma fita de vídeo do próprio Osama assumindo a autoria dos ataques. Alguns dias depois Osama Bin Laden, curiosamente exibindo uma aparência bem diferente daquela da primeira fita negou os ataques - que tipo de terrorista faria isso? Existem terroristas bi-polares? Um árabe que finalmente teria conseguido vencer a segurança do Grande Satã Branco, e então destruir aquele que supostamente seria o seu prédio mais indestrutível, além de assustar e matar milhares de americanos de repente diz que não tem nada a ver com aquilo? Mais detalhes aqui.

Desta forma praticamente todo aquele evento passou a ser ligado apenas às Torres Gêmeas do World Trade Center, que também logo começaram a feder. Os vídeos que mostravam os aviões e as Torres colapsando começaram a assustar bombeiros, engenheiros, físicos... mas não por serem imagens fortes demais, simplesmente por mostrarem um estrago que não poderia nunca ser causado por dois aviões se chocando contra prédios. A mídia então passou a se focar apenas em Osama Bin Laden e na guerra contra o terror, e o mundo suspirou aliviado por isso. Os mocinhos estavam indo atrás dos bandidos. Mas se de fato eram mocinhos, por que tantas mentiras?

Para mostrar a quantidade e tamanho das mentiras vou focar este artigo apenas naqueles fatos que não podem ter duas interpretações. Nos fatos que não podem ser manipulados ou mal compreendidos, pois são aqueles reflexo da realidade que vivemos. Assim o que leremos agora será concentrado em um ponto muito importante que não pode ser alterado, interpretado ou analizado de forma ambigüa:  O colapso dos prédios World Trade Center, que quando examinado atentamente nos utilizando de conceitos básicos como forças físicas, gravidade e química, não batem com a história oficial.

 

Word Trade Center 7


Antes de mais nada vamos ver o que de fato era o complexo conhecido como World Trade Center (WTC). Diferente do que a maioria das pessoas acha ele não era composto por apenas dois prédios altos, as famosas Torres Gêmeas, ele era composto de sete edifícios. As Torres Gêmeas eram respectivamente chamadas de Edifícios 1 e 2. Ambos entraram em colapso de forma admirável e voltaremos a eles depois, mas o que chamou a atenção e serviu de estopim para o início desta investigação foi o estranho colapso do World Trade Center Building 7, o sétimo edifício. Provavelmente você nunca ouviu falar dele, e verá agora o porquê disso.

Veja abaixoo desenho do complexo com os edificios numerados.

MAPA

As Torres Gêmeas eras os quadradinhos WTC1 e WTC2, além dos outros quatro edifícios que ocupavam essa mesma quadra, havia o WTC7 que ficava do outro lado da rua. Ele era uma estrutura de aço e concreto de 47 andares cobrindo uma área de 158.000 m². Ele não foi atingido por nenhum avião e não foi atingido por nenhum destroço do WTC1 e WTC2. Inclusive, se reparar, ele estava protegido não só pela distância, mas haviam o WTC6 e o WTC5 formando uma berreira entre o WTC7 e as Torres Gêmeas. Todos os outros edifícios 3,4,5,e 6, que estavam mais próximos, foram atingidos pelos destroços e nenhum deles caiu. Resumindo, o  WTC7 estava situado em outro quarteirão, era o edifícios do complexo mais distante das Torres Gemeas e estava protegido delas pelos WTC 5 e 6.

O complexo foi inaugurado no dia 4 de Abril de 1973 e os edifícios foram erguidos entre 1975 e 1985. COmo já vimos o WTC1 e 2 eram as torres gêmeas. O WTC3 era o edifício Marriott World Trade Center, um hotel de 22 andares com 825 quartos. O WTC4 era um edifício de escritórios de 9 andares, os dois maiores ocupantes do edifício eram o Deutsche Bank e a New York Board of Trade uma empresa de transações de commodities. WTC5 era um edifício de 9 andares e em seu subsolo havia o acesso à estação de metro do WTC. WTC6 era um edifício de 8 andares e a sede da Alfândega Americana. Já o WTC7 tem uma história tão peculiar quanto seus ocupantes.

Ele era um edifício de 47 andares de altura. Ele foi construído sobre uma sub-estação da Con. Edson, uma das maiores companhias de energia dos Estados Unidos. Essa sub-estação de energia foi desenhada para suportar o prédio que seria construído sobre ela, originalmente um edifício de 15 andares. Quando perceberam que o edifício construído seria muito maior do que o planejado, desenvolveram uma planta especialmente concebida para que o prédio fosse extremamente sólido e seguro. Ele foi criado com a forma de um trapezoide, possuindo um sistema de colunas de transferência de gravidade com treliças e vigas localizadas entre o 5 e 7 andares para que o peso fosse melhor distribuído e absorvido pela base. Os tubulões - fundação, na qual se escava um poço de um determinado diâmetro, revestido de concreto armado, até alcançar terreno firme como rocha sólida, é muito usado em pontes, mas também edifícios sobre terrenos pouco resistente ou para se reforçar estruturas - existentes em 1967 foram usados junto com outros novos para acomodar o prédio. O 5 andar foi criado para funcionar ocmo um diafragma estrutural, criando maior estabilidade lateral e distribuindo o peso entre os tubulões. Do sétimo andar para cima a estrutura do prédio era um típico projeto tubular, com colunas no núcleu e no perímetro, o que aumenta a resistência contra ventos, abalos e terremotos, e cargas laterais de armações de perímetro de momento (perimeter moment frame), que entre outras coisas garantem um maior espaço aberto nos andares (menos peso com bases de concreto internas), vistas desobstruídas, uma grande capacidade de absorção de energía sísmica e uma resistência a colapsos que aumenta progressivamente. O WTC7 foi criado como uma caixa forte, projetada para absorver impactos, terremotos e qualquer coisa que pudesse danificar sua estrutura.

Em junho de 1986, antes que a construção do prédio estivesse completa, o prédio inteiro foi alugado para a Drexel Burnham Lambert, na época uma das maiores, se não a maior firma de investimentos de Wall Street, por um período de 30 anos. Em dezembro do mesmo ano, depois do escândalo do investimento de Boesky, DBL cancelaram o aluguel. Até 1988, como resultado da crise do mercado imobiliário de Manhattan não houveram inquilinos regulares. Em novembro de 1988 os Salomon Brothers fecharam um acordo de alugar os 19 andares superiores do edifício em um contrato de 20 anos. Em 2011, além dos Irmão Salomão outros inquilinos eram a seguradora ITT Hartfort, o American Express Bank International, o Standart Chartered Bank e algumas outras empresas não particulares, como o serviço secreto americano e o Escritório de Gerenciamento de Emergências Novaiorquino, Office of Emmergency Managmente, a OEM, que juntos formavam um dos mais sofisticados centros de comando para emergências do planeta.

Às 17:20, quando o mundo aparentemente não podia ficar mais chocado com o que via os olhos se voltaram para o WTC7 que misteriosamente desabou. A história que saiu instantes após as imagens é que por causa de escombros pesados que atingiram sua face sul, duas coisas aconteceram com o WTC7: sua estrutura foi comprometida e incêndios se iniciaram, queimando durante toda a tarde. Escombros também causaram danos na face sudoeste entre o 7 e 17 andares e na face sul entre o 44 andar e o telhado. Focos de incêndio podiam ser vistos nos andares 6 a 10, 13,14, 19 a 22 e 29 a 30, o fogo dos andares 7,8,9,11,12 e 13 queimou durante toda a tarde. Às 17:20:33 o edifício começou a cair e "oficialmente" às 17:21:10 ele estava completamente no chão.

Ai temos o primeiro mistério, assista o vídeo abaixo:



Veja outros vídeos do WTC7 aqui.

Curiosamente você pode ver pelo vídeo que a estimativa de tempo para a queda do edifício não levou os 47 segundos que foram oficialmente declarados. Pegue um cronômetro se quiser ou use o relógio do próprio vídeo. O WTC7 levou 6,5 segundos para ruir completamente, do momento que começa a dar sinais de ruir até não haver mais nada para ser visto.

Como disse acima, este artigo terá como base apenas fatos, não interpretações. Você pode criar histórias e deturpar verdades, mas ainda não inventaram uma forma de ferrar com o tempo.

Por que esses 6.5 segundos são importantes?

Todos nós somos vítimas da gravidade. É por causa dela que quando pulamos voltamos para o chão, ao invés de irmos parar no espaço. Quando soltamos algo, por exemplo uma maçã, e ela cai, dizemos que isso é uma queda livre, pois a única coisa que interfere na queda é o ar que existe em baixo da maçã. Se retirarmos todo o ar de uma sala e soltarmos a maçã ela realmente sofrerá uma queda livre, pois nem o ar oferecerá resistência. Se pegarmos uma placa de concreto e a colocarmos em um tubo gigante, com aproximadamente 190 metros de altura, tirarmos todo o ar e a soltarmos, sabe quanto tempo ela leva para chegar ao chão? 6 segundos. Isso é física básica, aquela que você usava em provas da sétima série. Um prédio inteiro levar 6.5 segundos para cair completamente é o mesmo que dizer que a cobertura inteira do prédio caiu sem nenhuma resistência. Se você acha que um prédio por ser mais pesado cai mais rápido, está enganado. Lembra-se de Galileu Galilei? Ele provou que não importa o peso, dois corpos sempre caem na mesma velocidade, que é a velocidade da aceleração da gravidade. Para a cobertura do WTC7 chegar no chão em 6.5 segundos isso não significa que ela era pesada demais para o ar segurar, isso significa que nenhum dos andares a segurou. É como se o teto do prédio fosse tocar no chão, o chão não estivesse mais lá, pois também tivesse caido, e o teto de cada andar não tivesse um chão em baixo para bater. Isso poderia acontecer apenas se cada andar caisse por inteiro, todo junto, segundos antes do andar de cima tocar nele.

Os porta-vozes oficiais declararam que o que houve foi um efeito panqueca. O teto do prédio caiu, bateu no chão do último andar, o impacto foi tão forte que fez o chão cair, com o teto em cima, e bater no chão do penúltimo andar e assim por diante até o térreo. Se formos deixar de lado que o WTC7 foi construído para absorver impactos pesados, abalos sísmicos e outras coisas do gênero, cada andar teria que bater no andar debaixo. Colapsar o andar debaixo que cairia, batendo ambos no andar seguinte. Isso faria com que a queda do prédio levasse muito mais tempo do que os 6.5 segundos, mais tempo do que os 47 segundos oficiais. E isso ainda deixaria alguns andares em pé, já que a cada batida de um andar de cima com um debaixo, a força da queda diminuiria. Mas o prédio caiu como se abrissem um buraco no chão e ele simplesmente afundasse. Como se todos os andares estivessem sofrendo uma queda livre.

Isso é realmente plausível? Realmente possível?

Julgue por si mesmo. Assista esses vídeos do WTC7 caindo. Ele leva 6.5 segundos. Use um cronometro se quiser. 

 

A Queda das Torres Gemeas


O estranho colapso do WTC7 nos faz reconsiderar todo o episódio. Comecemos portanto, por investigar o modo como as Torres Gemeas cairam.  Se fizermos uma análise detalhada dos vídeos disponíveis, frame a frame, a primeira coisa que nos chama atenção é a forma como o segundo avião bateu no WTC2. O Vôo 175 da United Airlines pesava cerca de 80 toneladas e se deslocava a 350 m/h. Quando houve o impacto não se nota qualquer movimento visível na estrutura do prédio. Pergunte ao seu professor de física favorito: Como pode um edifício que não apresentou nenhum movimento ao ser atingido por um projetil em alta velocidade, colapsar próximo a velocidade de queda livre cerca de trinta minutos depois?

Se voltarmos nossa atenção para as vigas de aço que caem ao lado dos predios  conforme eles ruem. As vigas caem na mesma velocidade das torres. A segunda torre tinha 415 metros. A esta altura, uma queda livre no vácuo (leia-se, sem resistência do ar) deveria ser de 9.2 segundos. Os registros mostram que a torre colapsou em 10 segundos, e os relatórios oficiais atestam que foram 14. Mesmo assim, isso significa que as torres caíram apenas mais 0.8-4.8 segundos a mais do que a queda livre. Assim como o WTC7 esta velocidade parece impossível se cada um dos 110 andares tivessem que colapsar individualmente como insiste o governo.

A física que aprendemos no primário basta para sabermos que é impossível que cada um dos andares tenha sido esmagado pelo andar superior, que é diga-se de passagem, a versão oficial do governo americano. Existe um princípio chamado "Lei da Conservação de Energia" e outro chamado "Lei da Conservação do Momentum." Se você não lembra destas aulas, eu vou retomá-las brevemente para você. Vamos assumir que dois Honda Civics idênticos estão em uma estrada. Um deles está parado (0 m/h) e outro está correndo a 60 m/s. Este segundo carro bate na traseira do primeiro. As leis acima dizem que o primeiro carro acabará aumentando a velocidade após o choque e o segundo desacelerará. O carro número dois não poderia transferir a energia para o primeiro e continuar na mesma velocidade.

A explicação acima mostra como estes princípios trabalham numa direção horizontal. Para trabalharmos com a direção vertical basta adicionarmos a constante gravitacional. Com física de quinta-série sabemos portanto que um andar não pode destruir o andar de baixo e continuar caindo na mesma velocidade. Jim Hoffman, engenheiro que pesquisou independentemente os eventos do 11 de setembro, publicou uma série de artigos explorando o assunto. Ele calculou que mesmo que a estrutura do prédio não oferecesse nenhuma resistência a teoria da "panqueca" exigiria pelo menos 15.5 segundos para que o edifício chegasse ao chão. Ou seja, isso é o mesmo que dizer que mesmo se os 110 andares de concreto não oferecessem nenhuma resistência, ainda assim o processo de cada andar colapsar o andar abaixo demoraria 15.5 segundos.

Outra observação inescapável ao assistirmos os vídeos é a imensa nuvem de poeira e detritos, incluindo barras de aço, lançadas a dezenas de metros horizontalmente nas torres conforme elas colapsavam. Se formos acreditar na teoria oficial do esmagamento, esse tanto de detritos e concreto pulverizado seriam um indicativo forte de que havia uma resistência massiva ao colapso vertical. Assim, nos deparamos com este conflito impossível. Ou você assume que houve ma histórica, instantânea e miraculosa falha que ocorreu em uma fração de segundo em todos os andares e arremessou destroços e poeira para todo lado ou assume um sólido edifício que não se move depois que um forte projétil o atinge. Ou vocẽ tem um castelo de cartas ou um castelo de pedras. Mas não os dois. Ou o prédio resiste ao colapso ou não.

E como sabemos as torres do WTC eram de aço e concreto reforçado.

Assim posto, a versão oficial se torna insustentável. Os edifícios caíram rápido demais. Para essa velocidade ser atingida todos os andares deveriam cair ao mesmo tempo. Mas como isso é possível?

E Quanto ao Fogo?


A versão oficial dos fatos argumenta que o fogo enfraqueceu a estrutura do prédio. O combustível do avião queimando supostamente derreteu as fortes colunas de aço que sustentavam as torres. De fato houve fogo. Mas uma estrutura de aço de um arranha céu não pode ser destruída por fogo uma vez que Aço só derrete a 1510 ºC. Nenhum combustível, nem mesmo o usado por aviões ( que no fundo é apenas querosene refinado ) chega a sequer a 815 ºC. Apenas fornos industriais de siderúrgicas conseguem bater os 1000 ºC. Aliás no WTC 7 tínhamos um avião, quanto mais combustível.

De acordo com a declaração da Federal Emergency Management Agency (FEMA), já três anos depois do ocorrido: " As especificidades do fogo no WTC 7 e como ele fez com que o edifício a desmoronasse permanecem desconhecidos neste momento. "

Além de uma indiferença surpreendente sobre o assunto, essa declaração faz uma afirmação arbitrária. Historicamente, nos 100 anos de história da construção de arranha-céus, que antecederam o 11 de setembro, não existe nem um único caso de edifício colapsando por conta de incêndios. Este fato é um conhecimento comum entre bombeiros. Não é surpresa que eles correram para os arranha-céus para apagar o fogo. Parcialmente isso atesta a bravura da profissão, mas parcialmente é devido ao conhecimento bem estabelecido que arranha-céus não caem por causa do fogo. Entretanto depois de 100 anos, três caíram em um único dia.

Será que os investigadores do FEMA não pensaram em perguntar ao departamento de Bombeiros de Nova Iorque qual a opinião deles sobre o fogo ou como ele pode ter causado este históricos colapsos? Este parece ser um passo elementar em qualquer investigação envolvendo um incêndio. Mas em vez disso eles preferiram deixar a causa do colapso como desconhecida.

Conclusão


Se podemos confiar na física, sabemos que os andares dos três edifícios do WTC não foram esmagados em série por seus respectivos andares superiores. Sabemos também que fogo de querosene é uma explicação insuficiente para causar o colapso de uma estrutura de aço. Então... como os prédios do WTC caíram?

Existe um método capaz de eficazmente derrubar arranha-céus de forma que caiam tão rápidamente quanto os três predios do  World Trade Center. Neste método cada andar é destruído em sequência conforme o andar superior cai. Assim todos os andares ruem simultaneamente. Este método quando usado com precisão, dá uma velocidade bem próxima a queda livre e tem sido usado pelo setor de demolição urbana há algumas décadas. Este método poderia ter derrubado o WTC7 em 6.5 segundos. É a chamada demolição controlada.

Veja aqui se lhe parece familiar:



Esta hipótese, foi inclusive a primeira a ser traçada por especialistas de segurança e engenharia antes que o governo americano divulgasse a sua versão oficial. Avner Semest, Ex-oficial de inteligência da polícia anti-terror de Israel disse a Revista Isto É logo no dia 11/09: ""Embora tenham sido atingidas lateralmente as duas Torres do WTC caíram na vertical. Isso indica que poderia haver explosivos previamente colocados dentro dos prédios." A mesma opinião foi dada por José Chacon de Assis, Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do RJ: "O modo como o prédio caiu principalmente a segunda torre, de forma tão vertical, dá a idéia de uma perfeita implosão, consequência de explosivos colocados na base do edifício."
-
Uma demolição controlada arremessa detritos horizontais rapidamente. Uma demolição controlada explicaria a poeira de concreto pulverizado, ao passo que o esmagamento de andares teria pedaços grandes de concreto. Uma demolição controlada explicaria os dois pequenos "terremotos" que os registros sísmicos registram pouco antes da queda de cada um dos prédios (e não no momento do choque dos aviões). E finalmente, um demolição controlada explicaria como três estruturas de aço - duas atingidas por aviões e uma não - ruiram exatamente da mesma maneira.

Questões em aberto


Sabendo que as torres do WTC precisaram de uma ajuda bem planejada para que caíssem. Ficamos com uma incomoda pergunta em mãos. Quem poderia ter implantado os explosivos necessários para explodir os predios em uma demolição controlada? Será que fundamentalistas islamicos conseguiram a planta dos predios, arquitetaram a demolição e implantaram os explosivos em cada um dos andares, para então sequestrar os aviões e fazer parecer que foram eles que derrubaram tudo?

Se isso já lhe parece improvável, talvez saber que o WTC 7 abrigava os escritórios da CIA, do FBI e do OEM, coloque isso na categoria das impossibilidades. Além disso, porque um terrorista se preocuparia com uma implosão controlada quando poderia causar ainda mais dano e terror aos prédios vizinhos explodindo tudo e arremessando destroços para todo lado? E porque se preocupar em disfarçar tudo com os aviões? Talvez o WTC 7 tenha sido demolido justamente para destruir evidências que respoderiam estas questões. Sinceramente, ainda não sabemos as respostas, mas já sabemos que as respostas oficiais não contam.

A resposta financeira empresa pesa muito. Então talvez devêssemos nos perguntar. Quem mais saiu ganhando com todo este desastre? A resposta é que muitas pessoas lucraram com tudo isso. O irmão do então presidente Bush, Marvin Bush por exemplo é sócio de companhia que hoje fornece o esquema de segurança tanto para a United Airlines como para a American Airlines. Outro exemplo é o do poderoso investigor nova-iorquino, Larry Silverstein, que comprou os direitos de arrendamento do complexo do WTC em maio de 2001 por $200 milhões e recebeu quatro meses depois $3.55 bilhões graças ao seguro. Não apenas isso, mas ganhou uma adicional de $7 bilhões pois cada torre foi considerada separamente, sendo portanto contados como dois ataques terroristas.

Concluindo, sob risco de parecer repetitivo. Nenhum dos pesquisadores independentes do 9-11 pode definir com exatidão o que aconteceu naquele dia em setembro de 2001. Mas qualquer pessoa razoável pode facilmente apontar estas inconsistências na história oficial. E fato é, a maior parte das evidências disponíveis aponta para pelo menos algum nível de cumplicidade ou conivência por parte do governo dos estados unidos.

Meu apelo é que você investigue por si mesmo. Não simplesmente acredite no que escrevi. E mais importante ainda, não compre tudo o que a mídia e o governo diz sobre qualquer assunto que seja. sabemos que não pode ser mera coincidência  vários aviões serem sequestrados e apontados para o WTC ao mesmo tempo. Claramente há muitas teorias da conspiração, mas a própria versão oficial dos fatos defende uma conspiração de fanáticos religiosos. A pergunta é, qual das conspirações é real.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.