Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Thelema Textos Thelemitas O Grau XI°

O Grau XI°


Traduzido por Antonio Carlos, Grupo de Tradução Oficial do MSinc

" Faça o que tu queres, há ser tudo da Lei."

 

FaraoTudo o que existe sobre esse Grau da O.T.O. são apenas três comentários feitos por Aleister Crowley.

O primeiro é encontrado em um diário em 1916:

“Estou inclinado a acreditar que o XI grau é melhor do que o IX grau. Oh, quão superior é o Olho de Hórus à Boca de Ísis!”

 

O segundo é encontrado no livro Liber CXVCI:

"No décimo primeiro Grau, os seus poderes, privilégios e qualificações etc. absolutamente nada é dito em qualquer outro grau. Ele não tem relação com o plano geral da Ordem, é inescrutável e habita em seu próprio palácio."

 

E o terceiro foi achado no Liber ABA:

"O iniciado do XI Grau O.T.O. irá observar que não existe uma fórmula totalmente diferente da ALIM, complementar com isso aqui discutido. 81 podem ser considerado como o número de Yessod em vez de Luna. O significado real da palavra pode ser tomado como indicando a fórmula. Aleph pode ser referido a Harpócrates, com alusão ao conhecido poema de Catulo. Lamed pode implicar a exaltação de Saturno, e a sugestão dos Três de Espadas de uma forma particular. Yod, depois, se lembrará de Hermes e Mem, “o enforcado”. Temos, portanto, um Tetragrammaton que não contêm nenhum componente feminino. A Força inicial é aqui o Espírito Santo e seu veículo ou arma é a "Espada e Saldos”.  Justiça é então feita em cima do Mercurial “Virgem”, com o resultado de que o homem é “enforcado” ou estendido e é morto desta maneira. Tal operação torna a criação impossível, como no caso anterior, mas aqui não há dúvida de rearranjo, a força criativa é empregada deliberadamente para a destruição e é totalmente absorvido em sua própria esfera (ou cilindro, sobre as equações de Einstein) de ação. Este trabalho está a ser considerada como "Santidade ao Senhor". Os hebreus, de fato, conferido o título de Qadosh (Santo) sobre seus adeptos. Seu efeito é consagrar os magos que o realizam de uma forma muito especial. Podemos tomar nota também da correspondência dos Nove à Teth XI, Leo, e a serpente. Os grandes méritos desta fórmula é que ela evita o contato com os planos inferiores, que é auto-suficiente, que não envolve responsabilidades e que deixa seus mestres, não só mais forte em si, mas totalmente livre para cumprir suas naturezas essenciais. O abuso é uma abominação." 

 

O poema Catulo que Crowley faz referência é, provavelmente, o poema número 102. Este poema fala de confiança a um amigo silencioso e leal cujo silêncio é mútuo e, assim, o poeta se transforma em Harpócrates. Mas o ponto que Crowley está fazendo é na diferenciação entre a falsidade da fórmula de ALIM lunar, que reorganiza a matéria, em vez de transformá-lo. Em vez disso, com ALIM somando o número lunar de 81 na Cabala Hebraica, o grau XI é atribuído a Yesod para propósitos destrutivos; por inferência, sendo transformadora.

XI° de Kenneth Grant é feito pelo sacerdote e a sacerdotisa da Missa Gnóstica e ocorre durante o que ele chama o eclipse da Lua (menstruação). Ele é usado para trabalhos de materialização e reificação. Ele baseia-se essencialmente na ideia de que a menstruação é o produto de um óvulo que falhou. Isso parece muito mais consistente com Grant decidir reformular a estrutura de classe da ordem como materialização e reificação são claramente contrários à ideia de destruição. Mas esta parece ser uma extensão da fórmula IX Grau, em vez de uma fórmula em separado.

Curiosamente, este é nota de Grant em Magick em Teoria e Prática no capítulo: "A Fórmula de Alhim" e pertencente à última citação por Crowley dado acima:
“O XI º OTO é um rito que emprega a sodomia (seja com um homem ou uma mulher). Todo o parágrafo contém alusões veladas aos diferentes aspectos deste rito, que Crowley usado na Paris de Trabalho (ver A Grande Besta). O significado da palavra Yesod é a base ou fundamento. Considerando que a fórmula de ALIM (81) envolve a utilização da corrente lunar, que de Yessod implica que, neste contexto, as XIº. Harpócrates é a ‘semente errante’, ou seja, esse deus do silêncio tipifica gestação. A pomba no poema de Catulus faz o mesmo através de sua conexão com Aleph, o ar ou o espírito, ou seja, semente. Crowley utiliza símbolos astrológicos e o tarô para indicar de maneira oculta um ato sexual, mas um em que a criação foi impedida. O uso desta fórmula, exceto para fins mágicos foi desaprovada por Crowley, daí sua denúncia dele como 'uma abominação’."

Marcelo Motta, que foi extremamente influenciado pelo trabalho de Grant em geral, vacilou frente e para trás sobre o funcionamento XI Grau, é como Grant chamou -  é homossexual por natureza. E, entre outros, que têm experimentado ao longo das linhas de homossexualidade como o trabalho oposto, Patrick King A.K.A. Frater Meithras veio à tona com a pesquisa sobre esta questão. Sentia-se que o grau ultrapassa a orientação sexual de um e que é uma fórmula subversiva que transforma os laços sociais dentro da estrutura da OTO para primeiro destruí-los e, em seguida, reconstituir-los. Ele usou a Torre Atu como uma chave para a sua fórmula.

Os emblemas a ele atribuídos ao grau XI são:

 

Emblema I: O Olho de Hórus- O ânus

Horus

O olho de Hórus, claro, também é consistente com a imagem da Torre Atu. Crowley identifica o Olho de Hórus com o Olho de Shiva, que após a abertura destrói o universo. Esta destruição é consistente com a idéia de que a perfeição final é o nada, dando-nos uma referência para o Ain Soph Aur ou mais apropriadamente, o quarto poder da Esfinge. Com a atribuição do rei do ânus para este emblema, encontramos algo válido em que o sexo anal era importante para Crowley como aprendemos através de trabalhos como o Bagh- I- Muattar . No Grau IX , Yesod é a vulva, e os fluxos de energia para cima para Tiphireth através do caminho de Samekh no plano físico . No entanto, no grau XI, Yesod é o ânus se movendo para baixo para Malkuth, ou para o plano Elemental.

 



Emblema II: O Olho Cego Que Chora - O Falo

Ao invés de envolver-se no Grau XI como o inverso do grau IX no plano da orientação sexual, estamos simplesmente movendo-se da vagina para o ânus independentemente de haver ou não o ato é homossexual ou heterossexual. O falo torna-se então o Olho de Hórus e o sêmen que emitem a partir dele são como os homens que caem na Torre Atu. Eles estão caindo de Yesod e fazendo seu caminho para Malkuth através do caminho de Tau. A "matéria" do ânus começa o processo alquímico de putrefação em que o produto do ânus é usado como fertilizante e, em sua decomposição, libera calor, uma vez que destrói a semente; dando lugar à nascença.

 

Crowley afirma isso em seu ensaio sobre a Torre:

"Além disso, há um significado mágico técnica especial, que é explicado abertamente apenas aos iniciados do Décimo Primeiro grau da OTO, um grau tão secreto que nem sequer é listado nos documentos oficiais. Nem sequer é para ser compreendido pelo estudo do XVI Olho no Atu. Talvez seja lícito mencionar que os sábios árabes e os poetas persas escreveram, nem sempre cautelosamente, sobre o assunto."

 

Crowley escreve sobre o XI° também como o AD fórmula em Magick em Teoria e Prática. O seguinte é uma extrapolação levado de sua nota de rodapé na Liber Samekh com uma nota adicional com base em Liber 805 (Cabala Inglês sendo desenvolvido neste momento):

 

AD- ON- A-I
Hebraico = 65
EQ = 5 +27 +2 +8 = 42 = 6
AD é o fomula paternal; Hadit
ON é o seu complemento; Nuit
Um é Espírito Santo; Bebê no Ovo, que sempre precede o aparecimento de:
I - o Yod final; Eremita ( significa "meu" etimologicamente e de acordo com símbolos de equalização , bem como sendo essencialmente o Mercurial , transmitida, semente virginal hermafrodita.

 

Runar fornece as seguintes notas:

 

Eu não acho que AD tem sido usada em outros lugares, a minha intuição diz-me que esta é a sua interpretação espontânea que atinge o resto do seu sistema e faz sentido. E isso faz sentido para mim também. AD são os dois caminhos que ambos têm como seu Chokhmah comum. A essência da Chokhmah é Abrahadabra que revela Hadit, o Mago, que é a essência geral do HGA, ou que estabelece a estrutura básica do mesmo.


Considero Aleph e Daleth. O Ayin vem depois. O Louco e a imperatriz do desejo são uma fórmula aberta no contexto do IX e XI fórmula. Mas separadamente, o caminho de Aleph contém o simbolismo gay, porque Aleph é o caminho para pura existência para além das obras do Mago da criação.


Eu acredito que um estudo mais aprofundado do Livro de Aleph pode explicar mais sobre a relação entre Aleph e Daleth. O versículo onde a força do mago é dirigida para o próprio Tao, em vez do útero, ou, no entanto, foi explicado. Alternativamente, o A e D podem considerado paralelo ao IH de IHVH, A centelha Santo e mãe de concepção; infelizmente o ato paternal. Mas esta nota explica ADNI de uma forma que agora se tornou útil para mim[i].


O olho de Hoor é o próprio eu. Mas há Legendas Egípcias como o de Sekhmet e também a de Set & Horus onde eu acho que a interpretação deve ser diferente. Eu acredito que esses mitos podem conter informações específicas sobre a galáxia, muito, da mesma forma que em maia ver que suas lendas são retratar fenômenos cósmicos.

O desenvolvimento do Olho de Hoor é uma coisa pequena conhecida, mas era parte da minha educação nos anos de 91-94, onde eu fui ensinado quase todos os dias.

Há um mau-olhado também. Como o Olho de Tiphareth é o eixo dos microcosmos, podemos dizer que é a posição factual, e, a fim de elevar esse olho para o não-local da Trindade, o mau-olhado deve ser ensinado e experimentado para ser usado em exterminar o posicionamento local do I menor.

O mau-olhado é uma consciência tão infeliz como o Olho de Tiphareth está feliz, a sua desumanização e não quer ver nada, mas nada. Na sua presença qualquer percepção é susceptível de ser vivida como nauseante.

ALIM: Aleph é alfa, a luz do tolo nos pés e no começo. O nó da lua; Caput Draconis, a cabeça-futuro. (O bom olho.)

Lamed: Ajuste e julgamento por exaltado Saturno, aquele pesado. Cauda Draconis, a cauda - o passado. (O olho do mal.) Estes se fazem o dragão que come sua cauda. (Criatura de Jungs, nos sete sermões)

Yod: Alpha extraído como iud, o candidato do pleroma. (A abertura do olho) Mem; iud absorvido pelas águas infinitas. Aleph Sendt cima para Kether em vez de Chokhmah. (colocação) Esta explicação deve ligar Crowleys escrevendo em Liber Aleph com o do tema Kadosh; A consagração muito específica e Santa de fato.

Se você ver agora o meu texto de Thoth; Rehui e vê a repetição de "... e eles estão se reunindo mais ..." faz sentido para mim que os papéis da operação estão descritos no A & L e durante o ato, esses papéis se enche com o conteúdo dos símbolos, de modo que o orgasmo transforma tudo isso em yod único, que é oferecido.

 

DE ARCANO NEFANO

De Liber Aleph

 

"Ó meu Filho, aprende isto sobre Magia, que o Yang se move, e, assim, dá-se eternamente, mas o Yin não se move , buscando sempre a envolver ou restringir, reproduzindo em sua própria semelhança que impressões assim sempre fez o mesmo, mas sem rendição. Agora, o Tao absorveu tudo sem Reprodução; assim, então deixe o Yang virar para o efeito, e não para ele Yin. E que tu possas entender isso, eu digo: É um Mistério da O.T.O.. O Sol não se levanta e entra para atacar em cima do altar-mor da Minster pela Great Western Gates, mas pela Rosa Oriel ele vos abrir caminho e Progresso em Seu Concurso. Ó meu Filho, as Portas de Prata estão abertas, e eles te seduziram com a sua beleza, mas pelo estreito Portal de Ouro Puro tu deves vir nobremente ao teu Santuário. Eis Tu não sabes quão perfeita é esta Magia, é o mais querido-comprado e mais sagrado da nossa Arcana. O que, então, é como o meu amor para Ti, que concedeu sobre ti este Tesouro da minha Sabedoria? Meu filho, negligência não, pois é o Exorcismo de exorcismos, e o Encanto dos Encantos."

 

Nem o IX° e nem o XI° consideram um outro rito de enorme poder. Existe o conceito tântrico de retenção de sêmen e o calor interno que cria junto com a união de Hadit e Nuit como os hindus ensinam que essa energia vai viajar até a coluna vertebral para o Sahasrara Chackra. A mulher no congresso sexual também não é trazida a orgasmo, a criação de seu próprio calor interno e iniciar sua própria experiência da Kundalini. Nenhuma Criança Mágica é criada, mas o Eu é destruído. Podemos, então, ter uma fórmula de trabalho em um nível alquímico com uma polaridade de destruição interna vs manifestação exterior. Isso pode ser chamado de castidade, o que não é a fórmula do velho Aeon por meio das proibições sexuais da igreja romana. Pelo contrário, este é um trabalho interno que "é inescrutável, e habita em seu próprio palácio." Neste caso, sua impenetrabilidade é algo insondável e impenetrável como a matriz energética interna do Sushumna.

Entre os seus méritos são de que não há Criança Mágica para nutrir. Outra promulgação eficaz desta fórmula está na consideração do Vama Marg. Isto é particularmente interessante quando se considera os Círculos Escarlates que são a versão de Thelema do Vama Marg. Gravidez física é completamente evitada com a prática do perito e dos inúmeros parceiros sexuais envolvidos em qualquer círculo é, então, a oportunidade de aumentar o poder e efetivação do círculo sem o medo de qualquer pausa.

[i] Cf.. Liber Aleph, 175 páginas (no olho de Hoor) e 207 (na sabedoria e loucura)

 

 

 

 

 

 


 

Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.