Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Tradição Nórdica Textos Nórdicos THJAZI

THJAZI


Por Grimm Wotan

wotamnTrês Æsir - Óðinn (Odin), Loki e Hænir - faziam uma expedição; um dia apanharam e mataram um boi para o jantar. Tentaram cozinhá-lo, mas toda vez que o experimentavam, a carne ainda não estava pronta. Acima deles estava um carvalho com uma águia pousada num galho. A águia revelou ser a responsável pela dificuldade no cozimento; a carne jamais chegaria ao ponto se ela não ganhasse a sua parte. Os deuses aceitaram a proposta e convidaram ave a se servir. Foi o que ela fez, depressa demais para o gosto de Loki. Este, enfurecido, apanhou um bastão e bateu nela. O bastão caiu em cima da águia, que fugiu voando com Loki pendurado atrás, preso ao bastão. Abalado e machucado, Loki ficou aterrorizado e implorou para ser solto. A águia concordou, sob a condição de que ele prometesse atrair Iðun (Idun) para fora da fortaleza dos deuses, trazendo consigo as maças, assim, Loki e os outros chegaram em casa salvos. 

Loki foi fiel à promessa feita, atraindo Iðun para o bosque. A águia, que agora revelara ser o gigante Þjazi (Thiassi), atirou-se sobre ela, carregando-a para sua casa em Þrymheimr (Thrymheim). Os deuses, sem as maças, começaram a envelhecer e enfraquecer. Ficaram intrigados com o que teria acontecido com Iðun, até alguém lembrar de tê-la visto pela última vez com Loki. Prenderam Loki e o ameaçaram com a morte se não encontrasse e trouxesse Iðun de volta. Loki transformou-se num falcão e voou para Þrymheimr. Por sorte, o gigante havia saído para pescar e deixara Iðun sozinha. Loki transformou-a em uma pequena noz, apanhou-a com as garras e voou. Þjazi, descobrindo que Iðun fora embora, voltou à forma de águia e saiu em perseguição, batendo as asas com tanta violência que provocaram tempestades.

Os Æsir viram o falcão lutando contra a tormenta, sendo perseguido pela águia e compreenderam a situação. Reunirão uma pilha de gravetos do lado de dentro de suas muralhas e, quando o falcão voou a salvo sobre elas, acenderam o fogo. A águia voava com muita violência e não conseguiu parar. Caiu no fogo e suas asas foram destruídas. Assim os Æsir mataram Þjazi.   

Þjazi tinha uma filha muito masculinizada chamada Skaði (Skadi). Quando soube que seu pai havia sido morto, apanhou suas armas, vestiu a armadura e saiu em busca de vingança. Os Æsir acharam melhor aplacá-la e ofereceram um de seu bando para casamento - mas ela teria de escolher pelos pés, sem ver nada do noivo. E assim, os deuses fizeram um concurso de tornozelos. Skaði viu um par muito elegante de pés e, acreditando que pertencessem ao belo deus Baldr, escolheu aquele. Mas era o velho Njörðr (Niord). O casamento entre os dois não durou muito tempo, Skaði queria viver onde seu pai vivera, nas colinas chamadas Þrymheimr. Por outro lado, Njörðr queria viver perto do mar. Assim entraram num acordo de que permaneceriam em turnos: nove dias em Þrymheimr e os nove seguintes em Nóatún. Quando Njörðr voltou para Nóatún, vindo das

montanhas, disse:  

 

“Me aborreço nas colinas, não fiquei muito por lá,

Apenas nove noites.

Detestei o uivo dos lobos,

se comparado ao canto dos cisnes.”

 

Skaði por sua vez ao voltar de Nóatún disse :

 

"Não consegui dormir junto ao oceano,

com os gritos das aves.

Toda a madrugada me acordavam

as gaivotas vindas dos mares."

 

Por isso Skaði foi para as colinas e passou a viver em Þrymheimr enquanto

Njörðr ficou em Nóatún.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.