Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Vampirismo Vampirismo Astral Missa de Sangue: O Ritual da Comunhão Vampírica

Missa de Sangue: O Ritual da Comunhão Vampírica


Por Inkubus

Altar VampíricoEste é o ritual que separa o praticante sério do vampirismo dos meros curiosos. Seu objetivo é atrair os espíritos dos Antigos, os  vampiros ancestrais e comungar com Eles trocando a energia vital coletada de outros seres humanos pela energia Deles. A energia vital, carregada de impressões humanas, vai para eles, enquanto a Deles carregadas com impressões, técnicas, pensamentos, Deles, vem para você.Objetivo desta cerimônia é libertar o corpo astral do físico, soltar as amarras astrais, e dar ao vampiro a liberdade astral.

Os Vampiros Ancestrais já viveram em carne como o vampiro que realiza esta cerimônia, mas hoje vivem no Sonho Compartilhado, o Astral, aonde o vampiro pode experimentar Ser um deles, quando faz a projeção. Tudo no vampirismo é voltado para a liberdade astral, aonde o vampiro é capaz de drenar a força vital através da vontade, consegue se projetar pela vontade, altera o astral pela vontade, desejo.

O Caminho do Dragão foca unicamente nisso, em trazer ao Sonhador a consciência dele, do seu Eu Verdadeiro,  livre de tudo que ele um dia impôs como si próprio, e de todas as técnicas que ele usa para obter o que deseja. A comunhão é parte do Caminho, mas não o Caminho em si. Ela é uma ferramenta, uma muleta para que se adquira o controle astral mais rápido. Não se preocupe com o certo ou o errado. Realize. Chame por Eles, e busque a força deles.

ATENÇÃO: Alguns podem precipitadamente acusar este ritual de ser uma cópia da comunhão vampírica ensinada por algumas organizações Vampíricas ao redor do mundo. Estas pessoas estão certas. Contudo este ritual é antiqüíssimo e não propriedade de nenhum templo moderno. A comunhão vampírica acontece independente de sua filiação a qualquer grupo, quer os donos destes grupos gostem disso ou não.

Preparação

A Missa Vampírica de Sangue deve ser efetuada em solidão, preferencialmente. O segredo desta comunhão é relaxar, quando você se coloca num estado relaxado, a magia se abre.O corpo astral se expande. Garanta que você estará sozinho e não será incomodado. Além disso a iluminação deve ser mínima. Uma vela negra é melhor que uma branca e a escuridão total é preferível. Não se preocupe em precisar de luz para ler alguma invocação, o ideal é que você as tenha entendido e fale com sinceridade e força com suas próprias palavras. De preferência as roupas deve ser cerimônias ou nenhuma roupa. É ideal uma roupa que te deixe á vontade, um tecido leve, se possível.

Lembre-se o segredo aqui é estar relaxado, estar a vontade com a escuridão que lhe cerca.

Interessante notar que independente de ter os instrumentos ou não, a comunhão é Mental. O Contato com Eles, é feito através da mente, e que a mente estar livre de qualquer medo de interrupção, é o ponto vital desta magia.A comunhão ideal deve se iniciar dentro do mundo real, e pode ser fazê-la dentro dos Sonhos, através dos Sonhos Lúcidos.

Existem pessoas naturalmente mais apegadas ao psicodrama, ao trabalho teatral que outras. Algumas, como eu, conseguiram o sucesso nessa cerimônia apenas com seu corpo nú, na escuridão. Outros preferem um ambiente ritual.

Esforce-se para levantar um espelho grande o bastante para mostrar seu corpo todo. Este espelho deve estar voltado para o Oeste. Um espelho pequeno que mostre o rosto também será tolerado. Mirra, incenso, musica solene e outros acessórios próprios aos funerais são algumas vezes usados para colocar a mente no estado apropriado, mas de nenhuma maneira obrigatório. Na frente do espelho um cálice de vinho deve estar ao alcance das mãos. Junto dele no altar uma faca ou adaga de cabo preto.

O RITUAL DA MISSA DE SANGUE


PARTE I - O SACRIFICO

Voltado para o oeste permanece alguns momentos em silêncio como quem é observado, e então diga em suas palavras:

"Me escutem Mortos Vivos e Venham até a mim! Eu busco comungar com vocês, Bebedores de Sangue, Vampiros Imortais! Sintam o poder que há em mim, o fluir do meu Sangue, da energia que tenho em mim e venham!  Venhar se alimentar, venham beber do meu sacrificio!  Eu estou aqui para fortalecer a minha ligação com o Corpo de Sangue, e fazer parte da Hekal Timat! Ouçam-me e atendam-me”

Apontando com a adaga para cada um dos pontos cardeais faz-se agora os chamados:

O praticante que não estiver com a adaga, pode simplesmente voltar-se para os pontos cardeais.

Para o Sul –"Deuses Mortos Vivos, Grandes Vampiros Ancestrais! Mestres da Terra! Unam-se aqui comigo! Quero ser como vocês, quero me projetar livremente, ter controle astral e consciência nele!"

Para o Leste –"Eu chamo por vocês, verdadeiros Deuses da Terra para lhes dar minha essência vital! Venham Mortos Vivos, até a mim!"

Para o Norte –"Eu vos invoco Vampiros Antigos! Me dê Sabedoria e Poder! Venham até á mim!”

Para o Oeste –"Unam-se agora em torno de mim para beber do meu sacrifício!"

Neste momento o celebrante dirige toda sua força vital acumulada pela predação astral aos Vampíros Ancestrais que estão presentes.

A força vital é dirigida através da respiração; o celebrante inala profundamente e exala pela boca completamente, repetindo isto até que se fique sem energia alguma.Essa respiração pode ser praticada de modo lento ou rápido, de acordo com a preferencia do praticante. E deve ser voltada ao espelho, ou mentalizar os Ancestrais, enquanto solta.

O esforço para expelir toda energia deve ser feito ao extremo, sem sequer pensar na própria sobrevivência. Uma respiração forte como que bombeando a força vital para fora pode ajudar e o esgotamento físico deve ser esperado, sinal de que o sacrifício terminou.

PARTE II - A COMUNHÃO

Quanto maior for o sacrifício maior será o retorno na transformação que será promovida a seguir. Neste momento alguns sinais podem acusar a presença de Vampiros Ancestrais satisfeitos. Entre eles sensações de formigamentos, pulsões emocionais fortes, visão de vultos e espectros,impressão de que escutou algumas palavras sendo tidas no ar, ver tudo apesar de estar escuro ou enxergar mesmo de olhos fechados, sensações  pulsar no plexo solar, sensações de prazer sexual  e em alguns casos raros ocorrência de fenômenos de materialização ou poltergeist. Estes sinais se manifestam gradualmente, de acordo com a quantidade de força vital exalada, mas a ausência de sinais não significa que o ritual fracassou, especialmente nas primeiras vezes.

O segredo é dar o máximo de si.

Depois que der seu sacrifício, inicia-se uma troca sutil. Eles darão ao praticante a energia deles.Isso é chamado de Retorno.Deve se ficar parado, prestando atenção ao próprio corpo e as sensações que terá.

Alguns minutos depois, o praticante deve encerrar o ritual.

Para encerrar o ritual o celebrante eleva o cálice de vinho ao espelho e antes de beber declara em suas próprias palavras:

"Este é o sangue das minhas vítimas. Eu bebo a essência de vida destes animais que só existem para me servir. Eu sou um Vampiro, um predador de humanos!”.

O ritual é encerrado como último gole do vinho.

CONCLUSÃO

Sensação de calma intensa, de poder, ou de alegria acompanha a conclusão.

A comunhão, que inicialmente é feita de uma forma cerimonial é levada a pratica diária sem precisar de pretextos. Os Mortos Vivos acompanharão o praticante onde ele for, e conforme o tempo, ele poderá estar em qualquer lugar,  e comungando, apenas através da respiração. Inicialmente, a comunhão, é uma conversa, que pode ser feita mentalmente até, e após isso, a respiração é movimentada em forma de sacrifício, e o Retorno, vem sem até o praticante perceber.

A Comunhão é um ritual que quanto mais praticado inicialmente, melhor é. Realizá-lo diariamente é extremamente importante, no inicio. Vale lembrar que Toda a preparação não é necessária, mas delineia um ritual padrão para servir de guia. Pode se chamá-los e Comungar com Eles apenas num quarto Escuro, sozinho. Ou num ambiente ao ar livre, mas também Sozinho. O ideal é que o praticante veja ela como um instrumento, não como um fim.Ela é parte do caminho, não o caminho em si. Como tudo no vampirismo, a pratica dela, depois de conseguir um resultado extremo, é descartada. Livrando-se das amarras astrais o vampiro pode viver sua verdadeira condição, dominando assim, um dos mistérios do Sonho.

E que o Sonhar traga bons frutos.


Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.