Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Envie seu texto
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Yoga Fire Textos Yoga Fire O sutra das características do não-eu

O sutra das características do não-eu


Buda 2O Anatta-lakkhana Sutta, "O sutra das características do não-eu" foi o segundo discurso que Buda fez aos seus cinco primeiros seguidores  Nesse sutra Buda ensina que o que chamamos de Eu é formado por cinco agregados:

 

  • Forma física
  • Percepção
  • Sentimento
  • Formações mentais*
  • Consciência 

*tradução disputada, pode significar condicionamento, opiniões, memória ou como sinônimo de karma

 

Mas nenhuma dessas coisas pode ser chamada de Eu (soberano, permanente, imutável), pois são todas: insubstanciais e impermanentes e assim sofrem.

Todos os agregados são Insubstanciais pois não tem a soberania de definir como será ou não será:

“A consciência é não-eu. Pois, se a consciência fosse o eu, essa consciência não conduziria ao sofrimento e seria possível obter da consciência: ‘Que a minha consciência seja assim; que a minha consciência não seja assim.’ Mas porque a consciência é não-eu, a consciência conduz ao sofrimento e não é possível obter da consciência: ‘Que a minha consciência seja assim; que a minha consciência não seja assim."


O mesmo é dito de todos os outros agregados:

  • A forma é não eu…
  • A percepção é não-eu…
  • O sentimento é não-eu…
  • A formação mental é não-eu...

Todos os agregados são Impermanentes e sujeitos a mudança e por isso são Sofrimento:

"- O que vocês pensam, o sentimento é permanente ou impermanente?

- Impermanente, senhor.

- E aquilo que é impermanente é sofrimento ou felicidade?

- Sofrimento, senhor."


O mesmo é dito de todos os agregados:

  • A forma física é permanente ou impermanente?...
  • A percepção é permanente ou impermanente?...
  • A formação mental é permanente ou impermanente?...
  •  A consciência é permanente ou impermanente?...

 

A conclusão de Buda é que devemos ver os agregados pelo que são, ou seja: não-eu.

“Portanto, qualquer forma, quer seja do passado, futuro ou presente, interna ou externa; grosseira ou sutil; inferior ou superior, próxima ou distante: toda forma deve ser vista como na verdade é, com correta sabedoria: ‘Isso não é meu, isso não sou eu,  isso não é o meu eu."

 

O mesmo é dito de todos os agregados:

 

  • Portanto, qualquer percepção...
  • Portanto, qualquer sentimento...
  • Portanto, qualquer formação mental...
  • Portanto, qualquer consciência...

 

Os cinco discípulos  ficaram satisfeitos e contentes com as palavras do Buda. E enquanto essa explanação era dada suas mentes foram libertadas das impurezas através do desapego. Através do desapego a mente alcança a liberdade e o conhecimento.

 

Quer publicar seu texto no Morte Súbita inc? Envie para nós.