Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Alta Magia Magia Cerimonial Autodefesa Psíquica Outros Métodos de Defesa

Outros Métodos de Defesa

Há dois tipos de trabalho prático que podem ser utilizados em separado ou em  combinação, e o segundo método, em minha opinião, dá melhores resultados,  embora os representantes de um estejam prontos para depreciar o outro. O  método que distinguiremos como meditativo consiste na meditação sobre  qualidades abstratas, tais como paz, harmonia, proteção e o amor de Deus. É o  método da escola do Novo Pensamento, e seu valor reside no efeito  harmonizador que exerce sobre o estado emocional e na sua capacidade de  neutralizar as auto-sugestões nocivas. O outro método, que chamaremos de  invocativo, consiste na invocação das potências externas e no emprego de  métodos  formais para a concentração de sua força. Esse método tem muitas  gradações de complexidade e uma infinita variedade de técnicas. Elas vão desde  a oração mais simples que evoca o Cristo com o Sinal da Cruz até os rituais  mais elaborados de exorcismo realizados com sineta, livro e vela. A essência do  sistema reside no esforço de extrair da força geral do bem o aspecto particular  de energia necessário, e na utilização de algum símbolo para agir como veículo  mágico dessa força no plano da forma. Esse símbolo pode ser um retrato mental  do manto azul de Nossa Senhora; pode ser o ato de fazer o Sinal da Cruz; pode  ser a água consagrada espargida em sinal de limpeza; ou pode ser algum objeto  especialmente magnetizado para agir como um talismã. No método invocativo, o objetivo é concentrar a força, e por conseguinte algum símbolo de forma deve  ser empregado. No método meditativo, o objetivo é penetrar, para além das  amarras da forma, na atmosfera do puro espírito, glorioso demais para que o mal possa nela entrar, e portanto a utilização de qualquer forma ou fórmula é  descartada, uma vez que impede a alma de elevar-se a esse puro ar .

 Em minha opinião, e com todo o respeito aos praticantes desse último método,  resultados muito melhores seriam obtidos se o método invocativo, com o seu  emprego das fórmulas, fosse utilizado para permitir que a mente subisse ao ar  puro da consciência espiritual, onde o mal não existe. Somente aqueles que  estão altamente treinados na meditação conseguem elevar-se aos planos sem  ajuda. É extremamente difícil “decolar” da consciência dos sentidos sem a  utilização de alguma espécie de estratagema psicológico para agir como  trampolim. Há pouco sentido em recusar por razões puramente acadêmicas um  método de comprovada eficácia. Se compreendemos que a utilização de formas  e simbolos é simplesmente um estratagema para permitir à mente controlar o  intangível, não cairemos no erro das observâncias supersticiosas. Uma  superstição pode ser definida como a utilização cega de uma forma cujo  significado foi esquecido .

 Por outro lado, seríamos insensatos se contássemos exclusivamente com  métodos formais ou cerimoniais sem dispor ao mesmo tempo de métodos  meditativos para purificar e harmonizar a nossa própria consciência. Se  negligenciamos esse aspecto de nosso trabalho, recontaminaremos tão  rapidamente o círculo mágico com as nossas próprias vibrações quanto o  purificamos. De nada nos vale selar um círculo com os Nomes protetores, se  permitimos que uma imaginação em pânico se descontrole, retratando toda  espécie concebível de mal e deixando espaços em branco para a possibilidade  de espécies inconcebíveis. Da mesma forma, contudo, descobriremos que é  muito mais fácil realizar a meditação harmonizadora se estamos trabalhando  com a proteção de um círculo mágico. Tentar realizar um trabalho de exorcismo  apenas por meio da meditação é como levantar um peso pelo esforço apenas de  nossas mãos. O emprego do método mágico assemelha-se à utilização de uma  alavanca, ou uma roldana e uma plataforma. Nossos músculos são ainda a única  fonte de energia, mas pelo emprego de princípios mecânicos redobraremos o  seu poder. Utilizemos, portanto, na meditação, símbolos que concentrem nossa  atenção; descobriremos que isso é muito mais fácil do que a meditação nos  termos do pensamento abstrato. Além disso, em épocas de cansaço e crise, o  pensamento abstrato pode ser impossível para nós, a não ser que tenhamos  muita experiência em sua utilização; mas raramente atingiremos um estado  quando não imaginamos a Cruz e invocamos o Nome de Cristo .

 Os ataques ocultos podem ser divididos em dois tipos, aqueles que ocorrem por  meio das formas mentais, e aqueles que operam por meio de uma corrente de  força. Mas mesmo neste último caso a corrente de força reúne ou germina  formas mentais semelhantes à sua natureza. Por conseguinte, em todo distúrbio psíquico a forma mental é um fator que deve ser considerado e enfrentado, e  que constitui, na verdade, um dos dados mais disponíveis para a diagnose, pois  é pela percepção das formas mentais associadas que o sensitivo experiente é  capaz de detectar a natureza do ataque .

 A força mental é algo que não tem relação com a posição geográfica, pois é um  assunto de pura consciência e de sintonia com a sua nota tônica. Podemos  captar as forças de crenças mortas uma centena de anos depois da morte de seu  último devoto, e no lado oposto do globo daquele em que floresceram. Mas as  formas mentais são uma coisa diferente. Elas têm uma posição no espaço, e  embora possam mover-se com a velocidade do pensamento, e possam ser  lançadas ao nível mais sutil do astral e aí ancorar-se numa idéia, evitando assim  os choques com os planos da forma, não obstante, para todos os propósitos  práticos, embora essas formas mentais não ocupem espaço, elas podem prenderse a posições definidas no espaço. Elas podem, por exemplo, associar-se a um  objeto particular e, permanecendo em seu campo magnético, seguir-lhe as  deslocações. O campo magnético imediato tem cerca de quatro a dez metros; o  campo magnético remoto, cem a trezentos metros. Locais santos poderosos,  como Glastonbury ou Lourdes, têm um campo magnético bem maior do que  isso, estendendo-se possivelmente a um par de milhas; esses centros interligamse também entre si por linhas de força. Essas coisas devem ser consideradas no  trabalho oculto prático .

 Quando nos defrontamos com uma influência que emana de um foco de força,  como o sítio de um velho templo, temos que enfrentar o campo magnético  remoto por meio do rito. Como isso é um método que só pode ser utilizado por  um iniciado de grau superior, não o consideraremos aqui Para os fins práticos,  num ataque psíquico é o campo magnético imediato que deve ser considerado .

 O melhor método para enfrentá-lo é fazer um círculo mágico. Um simples  esconjuro não é tão eficaz quanto um esconjuro realizado dentro de um círculo,  pois este impedirá efetivamente as forças banidas de retornarem. Há várias  maneiras de realizar essa operação, mas o princípio de todos os métodos válidos  é o mesmo. As conjurações mais potentes não podem ser dadas nestas páginas,  porque a sua utilização efetiva depende do grau de iniciação da pessoa que se  propõe a utilizá-las, e possuir uma fórmula sem o grau ao qual ela pertence é tão  inadequado quanto possuir um revólver sem qualquer conhecimento de seu  manejo. A fórmula dada a seguir será efetiva em todas as condições ordinárias.  As condições extraordinárias só podem ser conjuradas por uma pessoa  experiente .

 Ao fazer o círculo mágico, o operador permanece de pé, com a face voltada  para o leste. Ele encara o leste porque a corrente magnética sobre a qual pretende operar corre no sentido leste-oeste. Como primeiro procedimento, ele  deve fixar as próprias vibrações e purificar a sua aura. Para isso, ele desenha a  Cruz Cabalística sobre o peito e sobre a testa. Tocando a fronte, ele diz: “Para  ti, ô Deus (tocando o plexo solar) seja o Reino, (Tocando o ombro direito) e o  Poder (tocando o ombro esquerdo) e a Glória, (juntando as mãos) para os  séculos dos séculos. Amém” .

 Por meio dessa fórmula, o operador afirma o poder de Deus como único criador  e lei suprema do universo diante de quem todas as coisas devem curvar-se, e ele  instala magneticamente essa fórmula em sua aura pelo ato de fazer o Sinal da  Cruz sobre si. Este sinal não é um símbolo exclusivamente cristão, e pode ser  utilizado tanto pelo judeu quanto pelo católico, pois a cruz empregada é a Cruz  de quatro braços iguais e não a Cruz do Calvário, cuja haste tem o dobro do  comprimento da trave e que é o símbolo do sacrifício. A Cruz de quatro braços  uniformes refere-se aos quatro pontos cardeais do globo e aos quatro elementos,  e a fórmula que lhe está associada proclama o domínio de Deus sobre eles,  estabelecendo dessa forma o Seu reino na esfera do operador .

 A seguir, o operador imagina estar segurando em sua mão direita uma grande  espada em forma de cruz, tal como é representada nas imagens dos cruzados.  Ele a levanta com a ponta para cima e diz: “Em Nome de Deus, detenho a  Espada do Poder que defende contra o mal e a agressão”, e imagina ter o dobro  de sua altura, uma poderosa figura armada e vestida com cota de malha,  vibrando com a força do Poder de Deus com a qual foi investida pela  formulação da Espada do Poder .

 Ele traça em seguida, no chão, com a ponta da Espada do Poder, o Círculo  Mágico, e deve ver em sua imaginação uma linha de chamas seguindo a ponta  da Espada, iguais àquelas que o álcool metilado produz quando é aceso, mas de  cor ouro-pálido. Com um pouco de prática, esse círculo de luz será formulado  eficazmente. Continue a traçar o círculo até que ele seja completado. O círculo  deverá ser sempre traçado de leste para sul, de sul para oeste, de oeste para  norte, da mesma maneira que os ponteiros de um relógio se moveriam se o  relógio estivesse com a face para cima no chão. A direção contrária é como as  bruxas dançavam nos Sabás. O movimento horário afirma o governo da lei de  Deus sobre a Natureza, porque é o Caminho do Sol; o movimento anti-horário  nega-lhe o governo sobre a Natureza, movendo-se contra o sol. Ao resistir a um  ataque oculto, toda a fórmula deveria ser sintonizada pela nota tônica da  afirmação do domínio de Deus sobre toda a existência, sendo o objetivo do  operador alinhar-se com a Lei Cósmica e fazer com que o Poder de Deus  destrua a interferência.Tendo formulado o círculo, o operador cessa de visualizar a espada, mas, ainda  visualizando o círculo, junta as mãos em oração e, erguendo-as sobre a cabeça  para o leste, ora: “Que o poderoso arcanjo Rafael me proteja de todo mal que se  aproxima do leste”. Voltando-se para o sul, ele repete a mesma fórmula numa  prece a Miguel. Voltando-se para o oeste, invoca Gabriel. Voltando-se para o  norte, invoca Uriel. Encarando o leste novamente, e assim completando o  círculo, ele repete a fórmula da Cruz cabalística .

 Esta formulação do círculo mágico é especialmente valiosa para proteger o local  onde se dorme, traçando-se o círculo em redor da cama. Não precisamos nos  mover de um lado para outro do quarto, ou mudar a disposição- da mobilia para  traçar o círculo, pois este será formulado onde quer que o visualizemos .

 É necessário reafirmar este círculo todas as vezes que as correntes mudam, ou  seja, um círculo feito depois do poente se manterá até o nascer do sol, e um  círculo feito após o nascer do sol manterá a sua potência até o ocaso. Depois de  o círculo ter sido afirmado várias vezes no mesmo lugar, a sua influência  persistirá por um período considerável, mas é aconselhável reformulá-lo de  manhã e à tarde durante a fase ativa do ataque .

 Queimar incenso no círculo é uma medida útil, mas é preciso tomar cuidados ao  escolhê-lo. Incensos chineses de composição desconhecida jamais deveriam ser  utilizados, pois eles são geralmente compostos visando a prestar auxílio à  manifestação. Incenso eclesiástico de boa qualidade,  tal como o que pode ser  adquirido em muitos fornecedores de igreja, é seguro e satisfatório, pois é  composto de acordo com receitas tradicionais; qualidades inferiores podem não  preencher essas condições .

 Para enfrentar entidades elementais ou não-humanas, o Pentagrama, ou  Pentalfa, é a melhor arma. Trata-se de uma estrela de cinco pontas desenhada de  modo particular. Apontando o primeiro e o segundo dedo da mão direita e  dobrando os outros na palma e tocando suas pontas com o polegar, comece a  traçar o Pentagrama no ar, mantendo o cotovelo rijo e suspendendo os braços  em toda a extensão. Comece com o braço direito ao lado do corpo, a mão ao  nível do quadril esquerdo, os dedos estendidos, apontando para baixo e para  fora. Dirija a mão para o alto, como se desenhasse uma linha reta no ar, até que  os dedos apontem para cima, sobre a cabeça, na extensão do braço. Deslize-a  para baixo novamente, mantendo o cotovelo preso, até que a mão ocupe a  posição oposta no lado direito, àquela com que começou à esquerda. Você  traçou um gigantesco V de cabeça para baixo. Em seguida, levante  diagonalmente o braço ao lado do corpo, até que ele atinja o mesmo nível do  ombro esquerdo, apontando para a esquerda. Conduza-o através do corpo  horizontalmente, até que ele esteja na mesma posição na direita, com os dedos apontando para fora do corpo. Desça o braço pelo corpo até que a mão volte ao  ponto no quadril esquerdo de onde começou. Esse é um sinal  extraordinariamente potente. O valor da Estrela de Cinco Pontas, o símbolo da  Humanidade, é amplamente conhecido entre os ocultistas, mas seu poder  depende da maneira pela qual é traçado. O método que  ensinei é o método  correto para o esconjuro. A potência do sinal pode ser ilustrada por uma  experiência pela qual eu mesma passei, mas os céticos estão livres para duvidar  de sua veracidade; eu a menciono apenas em beneficio daqueles que podem  estar interessados .

 Eu participava certa vez de um trabalho com um ocultista indiano, quando  suspeitei que algo não estava certo, fiz meu protesto e fui convidada a me  retirar. Eu o fiz, determinada a observar os acontecimentos à distância, e, caso  as minhas suspeitas se confirmassem, a ter um exposé. Poucos dias depois,  estava eu sentada em meu quarto numa tarde, conversando com uma amiga;  escurecera há pouco e falávamos à luz de gás. Repentinamente, tomamos ambas  consciência ao mesmo tempo de uma presença no quarto e nos voltamos  espontaneamente para a mesma direção. Minha amiga sentiu uma presença  adversa, e eu, sendo mais sensível, vi quem era, e não tive nenhuma dificuldade  para perceber a forma de meu confrade indiano numa esfera ovalada de difusa  luz amarela. Pedi a minha amiga para deixar o quarto e esperar no corredor, e  assim que a porta se fechou atrás dela fiz uso do Pentagrama que descre vi,  juntamente com certos Nomes de Poder que não é conveniente divulgar nestas  páginas. Imediatamente, a aparição no canto próximo à porta se desfez e  desapareceu, e ao mesmo tempo houve um forte estalo, que minha amiga ouviu  no corredor. Chamei-a de volta e quando entrou ela exclamou: “Veja o que  aconteceu à porta!”, e descobrimos que uma de suas almofadas se havia partido  inteiramente em dois. Foi isso que causou evidentemente o forte estalo que  ambas ouvimos. Não ofereço nenhuma explicação para esse incidente pela boa  e suficiente razão de que não sei qual possa ser. Eu simplesmente relatei o que  aconteceu. Meus leitores podem explicá-lo como bem entenderem .

 Quando não é possível selar o quarto, a melhor coisa a fazer é selar a aura.  Fique de pé e faça o sinal da cruz, tocando a testa, o peito, o ombro direito e o  ombro esquerdo, dizendo “Pelo poder do Cristo de Deus em mim, a quem sirvo  com todo o meu coração e com toda a minha alma e com toda a minha força”  (estenda ambas as mãos para a frente  até alcançar o nível do plexo solar,  juntando a ponta dos dedos, e dirija-as para trás das costas, tocando novamente  as pontas dos dedos atrás de si), e diga “Eu me cerco com o Círculo Divino de  Sua proteção, em torno do qual nenhum pecado mortal ousa colocar seu pé”.  Essa é uma antiga fórmula monacal. É muito eficaz, mas seu poder dura apenas  cerca de quatro horas.Há vários outros estratagemas que são úteis, não apenas para enfrentar os  ataques psíquicos, mas em qualquer caso de influência ou domínio indevidos .

 Se você tem que entrevistar-se com pessoas cuja influência você acha  irresistível, imagine que elas estão separadas de você por uma folha de vidro  laminado. Você pode vê-las e ouvi-las, mas o magnetismo delas não pode  alcançá-lo. Visualize essa folha de vidro até que ela lhe pareça ser  absolutamente tangível. Se você tem que associar-se a pessoas que o afligem, e  que não estão em sua presença, imagine que elas se acham separadas de você  por um muro de tijolos, e diga a si mesmo “Você não está aqui. Eu não posso  vê-lo ou ouvi-lo, e você simplesmente não existe” .

 Quando estiver negociando com uma pessoa que mina a sua vitalidade, cruze os  dedos, e deponha as mãos entrelaçadas sobre o plexo solar, mantendo os  cotovelos pressionados contra os flancos. Conserve os pés juntos. Assim você  pôs em contato todos os seus terminais e fez de seu corpo um circuito fechado.  Nenhum magnetismo escapará de você enquanto mantiver essa atitude. Seu  amigo provavelmente se queixará de seus modos, mas você pode sempre falar  com gentileza .

 Se alguém tenta dominá-lo fixando-o propositadamente nos olhos, não tente  retribuir olhar com olhar, pois isso apenas conduz a uma exaustiva batalha na  qual você pode levar a pior, mas olhe fixamente o ponto imediatamente acima  do nariz de seu adversário, entre as pontas internas das sobrancelhas. Se você  estiver enfrentando apenas um valentão ordinário, você imediatamente terá o  domínio da situação. Se, no entanto, o seu antagonista tem conhecimentos do  poder mental, você pode não ser capaz de dominá-lo, mas ele certamente não  será capaz de dominar você, e o resultado será um empate. Não tente dominá-lo,  mantenha simplesmente os seus olhos no ponto e espere que ele se canse de sua  tentativa. Você não precisará esperar muito tempo .

 Utilizando os métodos descritos nas páginas anteriores, qualquer pessoa de  coragem e mentalidade normal, desde que evite drogas, álcool e longos períodos  de jejum, pode, se não perder o sangue-frio, vencer qualquer ataque psíquico  ordinário; ou, no caso dos ataques de potência anormal, pode pelo menos  ganhar tempo para conseguir escapar e buscar ajuda .

 Os sacramentos são também uma fonte muito potente de poder espiritual, e uma  igreja em que o Santo Sacramento é conservado, ou que é suficientemente  antigo para ter sido consagrado antes da Reforma, é um santuário eficaz.

Autodefesa Psíquica

Conteúdo relacionado