Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Biografias Biografias Edward Kelley

Edward Kelley

Edward KelleyEdward Kelley foi um dos maiores médiuns de seu tempo que dizia conseguir entrar em contatos com anjos e espíritos utilizando uma bola de cristal. Para entender sua importância no legado ocultista é importante primeiramente uma breve recordação de seu grande parceiro John Dee. Escreveram sobre ele que: "Ele tinha muita vontade de aprender, era tão dedicado aos estudos que trabalhava dezoito horas por dia, dormindo apenas quatro horas enquanto nas outras duas dividia as refeições diárias. Sua paixão era a matemática..."


Durante 1546, um ano antes de se graduar, Dee começou a fazer observações astronômicas, a astrologia era muito bem aceita na época mas ele buscava explicações científicas para explicar a influência dos astros sobre as "porções elementais" do mundo, como por exemplo a posição dos planetas no momento do nascimento de uma pessoa afetando seu futuro. Ele acreditava que cada corpo emitia raios de força que agiam sobre todos os outros corpos.


Na Inglaterra ele trabalhou para o Conde de Pembroke em fevereiro, então passou a servir o Duke de Northumberland no fim do mesmo ano. Após a morte de Edward VI iniciaram as disputas entre católicos e Protestantes para assumir o trono real. Mary foi então coroada Rainha contra a vontade de muitos Protestantes que passaram a temer por sua própria segurança, e tinham motivos para isso. Em uma das campanhas promovidas pela Rainha Católica contra Protestantes eminentes Roland Dee foi preso, sendo liberado em 1553 após ser privado de todos os seus bens financeiros. John que contava com a herança de seu pai para levar adiante seus estudos científicos livre de preocupações financeiras se encontrou em uma situação difícil.


Em 1554 recebeu a oferta do posto de matemático na Universidade de Oxford, mas recusou, em maio de 1555 ele é preso e acusado pelo crime de "calcular". Nesta época a matemática era considerada uma forma de possessão de poderes mágicos, as autoridades "queimavam livros de matemática como se fossem livros de evocação".


Mesmo sendo culpado das acusações Dee foi libertado em Agosto, após três meses de encarceramento. Ele foi liberado como um homem livre, mas teve todos os seus bens confiscados, seu pai morre neste mesmo ano sem conseguir recuperar seu dinheiro. Em 1556 apresentou para a Rainha Mary planos para uma biblioteca nacional, como o projeto não recebeu o suporte oficial Dee, apesar de suas dificuldades financeiras, começou a criar sua própria biblioteca. A Rainha Mary morreu em 1558 e a herdeira Protestante Elizabeth se tornou Rainha. Dee logo encontrou apoio na Rainha Elizabeth e até recebeu dela o pedido de usar suas habilidades astrológicas para escolher a data mais apropriada para a a sua coroação, no que foi prontamente atendida. Fica então uma dúvida: como alguém associado tão intimamente com a prévia administração Católica encontrou apoio tão rapidamente? Estudiosos como Woolley acreditam que Dee pode ter sido um espião trabalhando para Elizabeth durante a administração de Mary.


Durante os cinco anos seguintes Dee investiu seu tempo em conseguir livros para sua biblioteca e em estudos de astronomia, astrologia, matemática, criptografia e magia, todos tópicos que estavam ligados ao objetivo de ajudá-lo a compreender a derradeira Verdade sobre o universo. Apesar de ser muito próximo da Rainha Elizabeth e aconselhá-la frequentemente Dee nunca conseguiu dela a segurança financeira que desejava para se dedicar inteiramente aos seus estudos.


Edward Kelley entrou na vida de Dee em março de 1582. Dee acabou se envolvendo cada vez mais com o seu contato com anjos e espíritos, guiado talvez por sua frustração de não ter conseguido, por conta própria, descobrir a Verdade sobre o universo. Este período de sua carreira durou aproximadamente cinco anos e muitas das referências e detalhes dessas conversações podem ser encontradas em seu diário. É difícil precisar a posição religiosa de kelley, parece que ele evitou tomar lados entre Católicos e Protestantes, mas após sua soltura ele se entrosou muito bem com o regime Católico que o havia encarcerado, ele pode ter trocado de posição por conveniência política, mas existem teorias que mostram que talvez ele fosse um espião.


Em 1583 Edward Kelley propõe uma mudança no calendário para alinhá-lo com o ano astronômico, o calendário Inglês era baseado na data do Conselho de Nicéia de 325, apesar do apoio de outros conselheiros reais a proposta foi recusada, o calendário Inglês foi atualizado apenas em 1752.


Keley e Dee viajaram para a Polônia e para Bohemia durante os anos de 1583 e 1589. Ao retornar para sua casa em Mortlake em 1589 Dee descobre que parte de sua biblioteca e instrumentos científicos haviam sido roubados, foi nesta época que se tornou amigo de Thomas Harriot. Durante muitos anos Dee tentou ganhar uma compensação pelas suas perdas financeiras. Em 1596 ele recebe o cargo de diretor do Capítulo do Colegiado em Manchester, muitos acreditam que isso aconteceu para conseguirem tirar ele de Londres. Em 1605 Manchester sofreu uma praga e a esposa de Dee e alguns de seus filhos morreram. Ele voltou para Londres onde morre alguns anos mais tarde.


Ainda hoje a vida de Edward Kelley permanece, em grande parte, desconhecida para a maioria dos historiadores e pesquisadores. Existem muitas insinuações de envolvimento com necromancia, magia negra e outras práticas sinistras, mas dificilmente as evidências passavam de boatos ou testemunhos também sem provas sólidas que os sustentassem. Kelley nasceu em Worcester, muitos acreditam que seu pai fosse um boticário de nome Talbot, o mesmo nome que Kelley usou para se apresentar a John Dee quando se conheceram; existem aqueles que afirmam também que Talbot era o nome real do alquimista e Kelley uma identidade assumida posteriormente. Existem evidências de que ele tinha pelo menos um irmão, conhecido como Thomas Kelley. Existem ainda especulações indicando a possibilidade do pai de Kelley ter morrido e sua mãe se casado novamente, o que poderia explicar a confusão de nomes: Kelley seria seu nome de nascimento e Talbot o nome de seu padrasto, o boticário. Há também aqueles que acreditam que o interesse de Kelley pela alquimia tenha nascido enquanto estudava química na loja de seu pai/padrasto.


Com dezessete anos Kelley viajou para Oxford se registrando sob o nome de Talbot na universidade de Gloucester Hall, abandonando os estudos pouco tempo depois. Dois anos mais tarde ele começa a trabalhar com direito imobiliário, primeiro em Londres e então em Lancaster. Foi trabalhando com imóveis e terrenos, levantando títulos de propriedade de terra e pedidos de posse que se envolveu no incidente que o perseguiu pelo resto da vida.


Conta a história que Kelley, junto com seu amigo Paul Waring e um homem contratado para ajudá-los, invadiram o cemitério que fazia parte da Law Church no parque de Wotton-in-the-Dale (também conhecido como Walton Ledale) em Lancaster e desenterraram o corpo de um indigente a pouco sepultado. Kelley havia sido pago por um jovem da nobreza do distrito para animar o corpo utilizando rituais e práticas necromantes para conseguir descobrir seus segredos. De acordo com os relatos do antiquário Ebenezer Sibley eles obtiveram êxito em sua empreitada e conseguiram descobrir através do corpo reanimado a suposta localização de um tesouro escondido pelo morto.


Se isso foi verdade ou não, não impediu que os boatos sobre a violação do túmulo começassem a se espalhar. Mesmo que nada pudesse ser provado sobre o envolvimento de Kelley sua carreira como escriba e advogado foi manchada permanentemente. Ele deve ter passado por mau bocados durante alguns anos, tentando ganhar a vida como advogado enquanto se envolvia em práticas ocultistas, que eram sua real paixão. Em 1580 Kelley é acusado de forjar títulos de posse para um de seus clientes

1555-1597