O dia que Morte Súbita roubou o Natal — Morte Súbita inc.
Morte Súbita
Um Noite Feliz desde 1996

Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Blog O dia que Morte Súbita roubou o Natal

O dia que Morte Súbita roubou o Natal


Um Noite Feliz desde 1996

Dezembro, as igrejas estão cheias e as ruas estão enfeitadas com centenas de luzes. Pinheiros cheios de enfeites com embrulhos estrategicamente arranjados sob suas folhas. Músicas tocam e ao fundo o sino da velha catedral anuncia a todos que é Natal.


Mas essa não é uma época para o Projeto Morte Súbita inc e essa festa não é para nós, hoje é um dia como qualquer outro e é melhor ficarmos em casa esquecer o dia 25, certo? Errado! Natal é festa; e somos a favor de festas entre outras coisas.


O dia 25 de dezembro foi estabelecido pela Igreja como o dia de Nascimento de Jesus de Nazaré, pelo simples motivo de mascarar o aniversario do Deus Mitras, numa época em que o mitraismo era uma grande ameaça para a pregação deles. Só essa informação já arranca a data da hegemonia cristã. Mas nós temos mais, muito mais. Na Antiga roma antiga, aproximadamente no dia 25 de dezembro romanos penduravam mascaras de seu deus Baco em pinheiros para comemorar uma festa chamada "Saturnália" onde além de trocarem presentes, eles tinham uma farta ceia, e bebiam muito vinho.

A lista de referências pagãs é enorme e por esse motivo o Projeto Morte Súbita inc publicará na próxima semana um especial sobre a Desconstrução do Natal. Se você é cristão descobrirá como essa importante data do seu calendário é devedora das antigas tradições. Se você é pagão encontrará mil e um motivos para participar da ceia. Traremos detalhes sobre as origens, a deturpação romana, sua evolução e seu possível futuro. Já é tempo e já esta acontecendo gradualmente todos os anos, o Natal está voltando para o coração dos pagãos que nasceram num mundo pós-moderno.

De uma forma ou de outra a humanidade sempre comemorou essa data, e é provável que esse costume dure ainda por muitos séculos. Uma boa colheita, o nascimento de cristo ou o fim do ano fiscal, que importa?

Sem dúvida acharemos um outro bom motivo para as festas de dezembro daqui a mil ou dois mil anos.


Ações do documento