Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Demonologia Livros de Demonologia O Dragão Vermelho Capítulo quarto sobre a oração e oferenda do grande Círculo Cabalístico

Capítulo quarto sobre a oração e oferenda do grande Círculo Cabalístico

Começareis por formar um círculo com a pele do cabrito, tal como foi anteriormente indicado, pregando-a com os quatro pregos. Tomareis, em seguida, de vossa pedra ématille

e traçareis um triângulo dentro do círculo, tal como está representado na ilustração acima, começando do lado do sol nascente. Traçareis também, com a pedra ématille, o grande A, o pequeno E, o pequeno A e o pequeno J, assim como o nome de Jesús, no meio das duas cruzes (JHS), a fim de os espíritos não vos possam atacar pelas costas. Depois disso, o Karcist fará encontrar seus confrades no triângulo, postando-os em seus respectivos lugares, como está marcado e entrando também, ele próprio, sem se espantar com qualquer ruído que escute. Colocará os dois candelabros com as duas coroas de verbena, á direita e á esquerda do triângulo. Isso feito, começareis a acender vossos círios e colocareis um vaso novo á vossa frente, quer dizer, á frente do Karcist, cheio de carvão de pau de salgueiro, o qual tenha sido queimado no mesmo dia. O Karcist acenderá este carvão, tirando uma parte do espírito de aguardente de vinho e uma parte do incenso e da cânfora que tendes, reservando o resto para manter um fogo continuo, conveniente á duração da coisa. Feito exatamente tudo que foi indicado, pronunciares as palavras seguintes:

Eu te apresento, oh Adonay, este incenso, como o mais puro, do mesmo modo que esses carvões, saídos da mais leve madeira. A ti os ofereço, oh grande e poderoso Adonay, Eloim, Ariel e Jehová, de toda a minha alma, de todo o meu coração, esperando que te dignes, oh grande Adonay, aceitá-los como dádivas.

Devereis também estar atento para não terdes sobre vós qualquer metal impuro, se não ouro ou prata. Ao atirar a dádiva, será preciso colocá-la em um pedaço de papel, a fim de que o espírito não possa fazer nenhum mal, quando apresentar-se diante do círculo. Em quanto ele apanha a dádiva, começareis a seguinte oração, armando-vos de coragem, de força e prudência. Observai também que ninguém mais, além do Karcist, deverá falar. Os outros guardaram silêncio, mesmo que o espírito os interrogue ou ameace.

PRIMEIRA ORAÇÃO

Oh grande Deus vivo, em uma única e distinta pessoa, o Padre, o Filho e o Espírito Santo, eu vos adoro com o mais profundo respeito e me submeto com a mais viva confiança, á vossa santa e digna guarda. Creio com a mais sincera fé, que sois meus criador, meu benfeitor, meu esteio e meu mestre e vos declaro não Ter outra vontade, senão a de vos pertencer durante toda a eternidade.

Assim seja.

SEGUNDA ORAÇÃO

Oh grande Deus vivo, que criou o homem para ser venturoso nesta vida, que formou todas as coisas para o seu uso e que disse: "Tudo será subordinado ao homem", sede-me propício e não permiti que os espíritos rebeldes possuam os tesouros que criastes para as nossas necessidades temporais. Dai-me, oh grande Deus, o poder de despojá-los, pelas poderosas e terríveis palavras da clavícula. Adonay, Eloim, Ariel, Jehová, Tagla, Mathon, sede-me propícios. Amen

Tendo o cuidado de conservar o vosso fogo aceso, com o espírito de aguardente de vinho, o incenso e a cânfora, direis, então, a oração da oferenda, como se segue:

OFERENDA

Eu te ofereço este incenso, como o mais puro que pude encontrar, oh grande Adonay, Eloim, Ariel e Jehová! Digna-te aceitá-lo como dádiva. Oh grande Adonay, atendei-me, fazendo-me vitorioso neste grande empreendimento. Amen

Dragão vermelho

Conteúdo relacionado