Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Demonologia Livros de Demonologia O Dragão Vermelho Capítulo terceiro, sobre o Látego Fulminante

Capítulo terceiro, sobre o Látego Fulminante

Contendo a verdadeira composição da vareta misteriosa, ou Látego Fulminante, tal como esta representada abaixo.

Na véspera da grande experiência, ireis procurar uma vareta ou vara de aveleira silvestre que jamais tenha sido usada e seja exatamente igual a que vedes na ilustração acima, quer dizer, com a mesma bifurcação em uma das extremidades. Seu comprimento deverá ser de nove a dez polegadas e meia. Depois de haverdes encontrado uma vareta deste tamanho, não devereis tocá-la a não ser com os olhos, esperando ate o dia seguinte, dia da operação, quando ireis cortá-la, ao nascer do sol. Nessa ocasião, devereis despojá-la de suas folhas e pequenos ramos, si ela os tiver, com a mesma lamina que ainda deverá estar manchada de sangue, visto que devereis ter o cuidado de não enxugá-la. Iniciareis a operação de cortar a vareta, quando o sol começar a despontar neste hemisfério, pronunciando as palavras seguintes:

Eu te recomendo, oh grande Adonay, Eloim, Ariel e Jehová, a me sereis favorável e dotar esta vareta que corto, com a força e a virtude do bastão de Jacó, de Moisés, e do grande Josué. Eu te recomendo também, oh grande Adonay, Eloim, Ariel e Jehová, a encerra nesta vareta toda a força de Sansão, a justa cólera de Emanuel e a excomunhão do grande Zariatnatmik, que vingará as injurias dos homens, no grande dia do juízo final. Amen.

Após haver pronunciado estas grandes e terríveis palavras, sempre com os olhos postos no lado do sol nascente, cortareis a vareta, levando-a, em seguida, para o vosso quarto. Procurareis, depois, um pedaço de madeira que devereis afinar até tornar-se da mesma grossura das duas pontas da verdadeira vareta, levando-a a um serralheiro para fazer ferrar os dois pequenos ramos forcados pela lâmina de aço que serviu para degolar a vítima, prestando atenção para que as duas pontas estejam um pouco agudas, quando forem colocadas sobre o pedaço de madeira. Isso executado, voltareis á vossa casa e colocareis, vós mesmo, a referida ferragem na verdadeira vareta, tomando, em seguida, de uma pedra magnete que aquecereis, para magnetizar as duas pontas, pronunciando nesta ocasião, as seguintes palavras: (Vide nota H).

Pelo poder do grande Adonay, Eloim, Ariel e Jehová, ordeno-te a unir e arrojar todas as matérias que desejarei. Pelo poder do grande Adonay, Eloim, Ariel e Jehová, ordeno-te, pela incompatibilidade do fogo e da água, a separar todas as matérias, como elas foram separadas no dia da criação do mundo. Amen.

Regozijai-vos, em seguida, em honra e glória do grande Adonay, certo de que possuís o maior tesouro de luz. Na noite seguinte, tomando de vossa vareta, vossa pele de cabrito, vossa pedra ématille e duas corôas de verbena, assim como também de dois castiçais e dois círios de cera virgem, um batedor de fogo novo, duas pedras novas com a respectiva isca para acender o fogo, meia garrafa de aguardente de vinho, uma porção de incenso bento, com cânfora a ainda quatro pregos, tirados do ataúde de uma criança (vide nota i), ireis ao local onde deverá ser feita a grande experiência, procedendo exatamente como explicaremos a seguir e imitando fielmente o grande círculo cabalístico, tal como será demostrado no

Dragão vermelho

Conteúdo relacionado