Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Demonologia Livros de Demonologia Infaernalea Dictionariis Demônios com a letra B

Demônios com a letra B

Baal: (hebreu) na demonologia, é representado como o grão - duque do inferno, chefe dos exércitos, comandante direto de legiões de demônios . Representado com três cabeças , sendo uma de gato, outra de homem e a terceira de um sapo. Seu corpo, bastante forte, termina em pernas de aranha, podendo se tornar invisível. Sabe-se também de sua natureza hermafrodita e que já foi adorado por caldeus, babilônios e israelitas. Governa o mês de Outubro e os ventos de outono no hemisfério norte, também adorado como o deus do furacão. Entretanto, através da história, Baal teve outras designações, sendo considerado a divindade suprema dos fenícios e dos cartagineses, para quem eram sacrificados crianças a fim de garantir fartas colheitas, bem como a segurança contra os inimigos. Servia ainda para designar muitas deidades. É também o deus semítico da fertilidade, cuja adoração era associada à grosseria sexual. O seu culto chegou mesmo a simbolizar a presença ou o retorno periódico, em toda civilização, de uma tendência a exaltar as forças instintivas. O culto jeovista salientava a sacracidade de uma maneira mais integral, santificava a vida sem desencadear as forças elementares..., revelada uma regra espiritual em que a vida do homem e seu destino se outorgavam novos valores; facilitava uma experiência religiosa mais rica, uma comunhão divina mais pura e completa.

Aparece na Bíblia , com diferentes predicados : Baal, Senhor da Aliança, Baal - Zebul - O Baal das Moscas , que aparece na Vulgata - versão latina da Bíblia, revista por São Jerônimo - com sentido pejorativo . Entre os sumérios e babilônicos , assume a forma de Bel, Bel- Mardux. Os Baalim eram protetorers dos oráculos- templos - sendo certo que alguns reis de Israel incentivaram seu culto, o que motivou a reação dos profetas . É uma palavra hebraica que significa senhor, marido, dono, sendo certo que nos primeiros tempos usavam o termo Baal para o verdadeiro Deus .

Baalzebu: ver Belzebu.

Baalberith, Balberith: (Cananéia) demônio de Segunda ordem, senhor dos casamentos, secretário, chefe e arquivista do inferno . É advogado astucioso e possui uma prodigiosa memória. Os fenícios o tomavam como testemunha de seus juramentos. Entre os séculos XV e XVII, apareceu invocado com freqüência nos grimórios populares como campeão de causas perdidas. Preside o mês de junho. O demonologista I. Wier representa-o como um pontífice sentado entre os príncipes do inferno. Também costuma aparecer como um deus da morte, senhor do assassinato e da blasfêmia.

Baalzephon: (Cananéia) Capitão dos guardas e sentinelas do Inferno de acordo com Wierius.

Babael: (Desconhecida) Guardião dos túmulos.

Bad: Um Djin (ou gênio) da Pérsia, que supostamente comanda os ventos e as tempestades. Ele preside sobre o vigésimo segundo dia do mês.

Bael: (Hebraica) primeiro rei do inferno, comandante de 60 legiões, possuidor de três cabeças, sendo uma com a figura de um gato, a outra de um sapo e a terceira de um homem .

Balaam: um dos demônios maus que se apossou da madre Joana dos Anjos. A paixão de Balaam era a mais perigosa de todas. Identificado como um demônio de três cabeças , cavalgando um urso e carregando um falcão em suas mãos . Uma das cabeças era semelhante á de um touro , a outra igual à de um homem e a terceira de um carneiro. No Velho Testamento, aparece o nome de Balaão, profeta, vidente e adivinho, originário da cidade mesopotâmica de Petor . Diz a lenda bíblica que , convocada por Balak, filho de Sefor, rei de Moavo, a ir ao encontro dos israelitas para amaldicoá-los, pôs-se a caminho , montado numa burra, quando lhe surgiu um anjo, com uma espada nua . O animal parou , recusando-se a andar . A burra, dotada com o Dom da palavra, condenou a sua crueldade . Deus, então, abriu os olhos de Balaão , que viu o anjo e , assim, em vez de amaldiçoar os israelenses, abençoou-os.

Balan: (Desconhecida) Um demônio que aparece na hierarquia proposta por Wierius como possuindo destaque na monarquia infernal. O demônio da "finesse" e da astúcia. Também um príncipe do Inferno.

Baltazo: (Desconhecida) O demônio que possuiu Nicole Aubry em Laon em 1566.

Baphomet: adorado pelos Templarios como símbolo de Satan. Saiba mais.

Bar-Lgusa: Um antigo demônio Semítico que se supõe sentar em cima das casas para pular sobre seus habitantes. As pessoas afligidas por ele eram chamadas d'barebara.

Barão: demônio criado sob as instruções do barão Gilles de Rais ( 1404-1440) . Este , morto pela Inquisição após um processo que ainda gera controvérsias, foi acusado de sacrificar mãos e corações de criancinhas para obter o segredo da pedra filosofal, ou seja, descobrir a maneira de transformar metais em ouro.

Barbas: (Desconhecida) um demônio da mecânica de acordo com algumas hierarquias.

Barbetos: (Desconhecida) Duque do Hades.

Barbado (Demônio Barbado): O demônio que ensina o segredo da Pedra Filosofal. Entretanto ele não deve ser confundido com Barbatos, um grande e poderoso demônio que se acredita ser duque do Hades, apesar de não ser um filósofo; nem com Barbas cujos interesses estão na mecânica. Ele é assim chamado por causa de sua impressionante barba.

Barbatos: um dos três demônios a serviço de Eleuretty, tenente- general ds forças do inferno.

Barq: De acordo com a lenda, este demônio possui em seu poder o conhecimento para a Pedra Filosofal.

Barzabel: Associado com Machidael e Barchiel.

Bast: (Egípcia) deusa do prazer. Representada por um gato.

Bathym, Bathim, Bathin: (Desconhecida) Demônio das ervas e pedras preciosas de acordo com Wierius. Um dos 72 espíritos de salomão.Também conhecido como Marthim.

Batsaum-Rasha: demônio turco invocado para produzir bom tempo ou chuva.

Bayemon: (Desconhecida) De acordo com o Grimoire do Papa Honório um monarca reinante que preside sobre a região ocidental do Inferno.

Bechard, Bechaud: (Desconhecida) demônio que pode ser invocado por satanistas, usando a expressão "Vem Bechard - Vem Bechard " . Sua invocação deve ser feita ás quintas-feiras, chamando-o três ou quatro vezes no centro de um círculo, exigindo ele, com pagamento pela sua presença e seus serviços, tão somente uma noz . Ele também é mencionado nas Clavículas de Salomão como o demônio das tempestades, das forças naturais.

Behemoth: (Hebraica) personificação hebraica de Satan na forma de um elefante.

Porque se lê no capítulo XL de Jó que Beemot come feno como um boi, os rabinos transformaram-no no boi maravilhoso, reservado para o festim de seu messias. Esse boi é tão enorme, dizem eles, que engole todos os dias o feno de mil montanhas imensas com o qual se vem cevando desde o começo do mundo. Jamais abandona suas mil montanhas, onde a forragem que ele comeu durante o dia torna a brotar durante a noite, para o dia seguinte... Os judeus prometem-se muita alegria no festim do qual ele será a iguaria melhor, a mais substancial. É comum jurarem pela parte que lhes caberá do boi Beemot. Na verdade, esse boi é um hipopótamo e, se come o feno de mil montanhas, não mora nas montanhas, mas sim sob o lótus e as plantas aquáticas dos rios ou dos pântanos. Simboliza o animalesco, o irracional, a força bruta. Foi somente numa tradição posterior que ele passou a simbolizar uma imensa reserva de alimento a ser repartida entre os convivas de futuros festins solenes ou míticos.  Mais informações sobre Beemot

Beherit:
nome sirio para Satan.

Belfegor (Belphegor): (moabita) o demônio das descobertas, dos inventores, dos descobrimentos e das soluções engenhosas, seduzindo os homens com a distribuição de riquezas . Algumas vezes aparece com uma mulher jovem e sedutora . Um fato peculiar que pode ser estudado é a de que ele sempre se apresenta de boca aberta. Seus adoradores lhe rendem culto servindo-se de gretas e fendas, através das quais lançam as suas oferendas. Muitas vezes é visualizado como "uma aparência feminina de deslumbrante juventude e beleza". Governa o mês de abril, no apogeu da Primavera no hemisfério norte. Alguns rabinos dizem que ele está sentado numa cadeira e nessa posição foi representado por Bosh, pintor, escultor e gravador holandês (1462 - 1516) , no "Jardim das Delícias" . Os antigos Moabitas o adoravam e lhe prestavam homenagem, chamando-o de Baal-phegor, no Monte Phegor. Acreditava-se que ele concedia riquezas a seus seguidores. Mais informações sobre Belphegor.

Belial: do hebraico BELLHHARAR , que quer dizer "inútil ", sem valor, seu nome também aparece significando Rebelde e/ou Desobediente, existem também especulações de que seu nome se derivaria da frase beli ya 'al que significaria "sem valor". Sinônimo de Satã e também de Belzebu, com designativo do chefe dos demônios . Rege o mês de janeiro. Dentre suas características destaca-se a mania de mentir . Aparece sempre com uma beleza sobre humana, apesar da igreja e da tradição católica sempre representa-lo com as mais grotescas das formas. Este grande corruptor especializou-se em seduzir adolescentes, mas é verdade que paga os seus favores com uma devota proteção. O inferno nunca recebeu espírito mais dissoluto, mais bêbado, nem mais enamorado enquanto o céu nunca perdeu mais formoso habitante. Sabe-se que Belial foi um dos primeiros anjos a aderir a Rebelião de Lúcifer e que foi o que mais arrastou outros consigo, ele é um ícone de todos as rebeldes e inconformados sendo de natureza louca e de pouca profundidade filosófica, altamente destrutivo. No Novo Testamento , aparece uma vez (Segunda Epístola aos Coríntios , 6 , 15) . O mais imoral de todos os diabos. No Livro das Revelações, e cognominado "a besta ". Num dos pergaminhos encontrados no Mar Morto, aparece com o chefe das forças do mal . Sua intenção é fazer proliferar a perversidade e a culpa . Alguns o identificam com o anti cristo . No primeiro século d.C. foi considerado o anjo da desordem que governa o mundo . É o demônio da pederastia e cultiva a sodomia . Algumas vezes é representado numa carruagem de fogo . Há um trabalho alemão da Idade Média, exclusivamente a seu respeito, denominado Das Buch Belial . Segundo , ainda , o Novo Dicionário de Personagens Bíblicas, de José Schiavo ( pag.118) , seria um monstro fictício, mencionado no Apocalipse sob o misterioso número 666. Possuia sete chifres e sete cabeças, ostentando sobre cada cabeça sete nomes blasfemos e , sobre os chifres, dez diademas . Assemelha -se a uma pantera, com os pés de urso e boca de leão . Noutro passo, é mencionado como possuindo dois chifres, falando com um dragão . Alguns intérpretes o deram com figuração dos falsos profetas advindo da Ásia . O elemental da terra. Príncipe da vigarice, outro dos 72 príncipes de Salomão. Mais informações sobre Belial.

Belit: Deusa semita da fecundidade, sobretudo agrária, parceira de Baal. Os profetas judeus, que anunciavam em Jeová um Deus de concepção mais elevada opuseram-se a esses cultos antigos que renasciam incessantemente e que celebravam, ao ponto da exacerbação e do monstruoso, a sacralidade da vida orgânica, as forças elementares do sangue, da sexualidade e da fecundidade.

Belzebu: o príncipe dos diabos . É usado no Novo Testamento , para identificar Satã . Na demonologia, ele é o primeiro ministro dos espíritos malignos, o "Senhor das Moscas " , manda moscas arruinarem a colheita e o povo de Canaã prestava-lhe homenagem na forma de uma mosca. Figura aterrorizante , enorme, preto , inchado, chifrudo, cercado de fogos e com asas de morcego. Milton, no Paraíso Perdido, descreve-o como um rei autoritário, cuja face irradia sabedoria. A expressão "Senhor das Moscas " empresta seu nome ao livro de William Golding, prêmio Nobel de Literatura. É lhe reconhecido o número dois na hierarquia infernal, imediatamente abaixo de Satanás. Alguns estudiosos afirmam que desde mil anos atrás é ele que domina o inferno. Talvez em razão a imensidade do seu poder e do pavor que seu prestigio provoca, sua iconografia é contraditória assim como os dados que possuímos a seu respeito. Como na maioria das escrituras sobre os demônios uma lenda negra foi escrita para Belzebu, mas sem contar estes conceitos cristãos impostos dizem que ele possui feições que refletem grande sabedoria e um ar ameaçador. Governa o mês de julho no centro exato do verão no hemisfério norte. Estava entre os demônios responsáveis pelas posesões demoníacas das freiras de Loudun. Chefe dos falsos deuses. Também conhecido como Baalzebub. Mais informações sobre Belzebu.

Berith: Um dos 72 espíritos de Salomão.

Besta: pseudônimo do próprio Diabo . No Livro das Revelações, o apóstolo João fala de duas bestas, sendo que uma sai do mar, com um leopardo de dez chifres e sete cabeças, pés de urso e mandíbula de leão, e outra que vem a terra, como dois chifres, parecendo um dragão. Trata-se de uma visão do apóstolo João ( Livro das Revelações , 13 ,14,17,3,8,11 ).

O profeta Daniel teve uma visão de quatro bestas representativas de quatro sucessivos impérios que se destruiriam uns aos outros . Todas as quatro representariam Satã . Comumente é tomado como o anti cristo.

Beyerevra: demônio indiano, mestre das almas que vagueiam pelo espaço.

Biffant: (Desconhecida) O demônio que supostamente possuiu Denise de la Caille.

Bifrons: (Desconhecida) De acordo com Wierius é o demônio da astronomia, geometria e outras ciências. Um demônio que acende estranhas luzes sobre os túmulos dos mortos.

Biemo ou Beemô: demônio da gula, denominando os prazeres do estômago, tomando a figura de animais de grande porte, principalmente o elefante e a baleia . Protege aqueles que vivem nas orgias e nas farras .

Bile: deus celta do inferno.

Bileth: Um dos 72 espíritos de Salomão.

Blisargon: (Desconhecida) Grande sedutor dos ladrões, até que leva a destruiçào a todos os seus seguidores.

Bogey: O bicho-papão americano e inglês (Bogey-Man) era um demônio originado do termo Eslavo bog, "deus". Outro "parentes" ingleses era o bugabow, bugaboo, bugbear e boggle-bo (todos possuem são chamados de Bicho-Papão no Brasil) que designava a imagem pagã carregada em processão para os jogos do Dia de Maio (May Day). "Humbug" (o trapaceiro) se originou do Nórtico hum, "noite", e bog ou bogey, um espírito na noite. A palavra "bug", do Galês bwg, "espírito", foi usada para designar insetos por causa da velha crença que os insetos eram na verdade almas procurando renascer. O louva-a-deus era o espírito de um vidente ou um mago. A borboleta era uma Psiquê, ou Alma Feminina. Outras derivações do bog eram o bogle escocês, o boogart e o Pug, Pouke e Puck inglês, o Puki da Islândia, o Putz ou Butz alemão. o Pooka irlandês e o Pwcca Galês. Além deles tem o Spoge dinamarquês, Spoka sueco que deu origem ao termo inglês "spook". O velho puca inglês, uma fada, foi usada juntamente com os deuses do Beltane. Assim como Puck era o mesmo deus das bruchas Robin.

Bonifarce: um dos demônios que se apossou de Elisabeth Allier, freira francesa do século XVII . Conta a história que essa foi exorcizada em 1639 , com muito sucesso , por Francois Faconnet - estava possuida por dois demônios , Bonifarce e Orgeuil, havia mais de vinte anos , admitindo-se que esses demônios tenham entrado em seu corpo quando ela tinha 7 anos de idade , por meio de pão que havia sido colocado em sua boca.

Botis: Um dos 72 espíritos de Salomão.

Buer: (desconhecido) demônio de Segunda grandeza, comandante de 50 legiões, com cabeça de leão . Locomove-se com cinco pés de bode, na forma de uma estrela . Outro dos 72 demônios de Salomão.

Bune: (Desconhecida) Um dos demônios da morte de acordo com Wierius.

Lla Infaernalea Dictionariis