Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Espíritos & Fantasmas Livros sobre Fantasmas Torne-se um Caça-Fantasmas por diversão e lucro 14 Dicas práticas para Caçadores de Fantasmas

14 Dicas práticas para Caçadores de Fantasmas

Como muitas das pessoas que estão lendo este material nunca tiveram uma experiência séria em campo, pedimos para alguns dos caçadores de fantasmas mais experientes, do Brasil e Exterior, para darem algumas dicas para quem está começando, dos "Faça" e "Não Faça" mais comuns, as respostas foram resumidas na lista a baixo, tenha em mente que ela não é um guia do que fazer ou deixar de fazer, mas dicas dos veteranos que já viram muita coisa e já passaram por muito também:

1- Cigarro

Fique algumas horas andando para cima e para baixo com um detector CEM nas mãos e você vai começar a procurar seu maço de cigarros. Antes de acender um tenha em mente que nada polui mais um ambiente do que um cigarro. Em vídeos e fotos é praticamente impossível se distinguir o registro de uma aparição da fumaça que sai do cigarro ou das baforadas. O que é para muitos um hábito, se torna um comprometimento em uma caçada. Caso não consiga ficar sem fumar, ou tenha um fumante ativo em sua equipe, estabeleça um local fora do perímetro como fumódromo e garanta que ele seja usado o mínimo possível. A luz da faísca do isqueiro ou do fósforo também pode ser registrada por outros caçadores caso o ambiente esteja na penumbra ou aparecer em um vídeo feito em outros cômodos ou mesma a centenas de metros de distância em campo aberto, criando alarmes falsos de atividades fantasmagóricas. Isso sem mencionar que o cheiro do cigarro pode confundir pessoas que passem posteriormente pelo local. Quanto menos se fumar melhor, o ideal é que os fumantes se segurem até para depois da caçada.

2- Comida


Algumas caçadas se estendem por horas e é natural que você sinta a necessidade de mastigar algo, caso isso aconteça se lembre do som de uma embalagem de salgadinhos se abrindo. Comer algo não é problema durante uma caçada, o problema é qualquer som que possa contaminar o ambiente. Alimentos crocantes não apenas podem terminar no seu gravador como também atrapalham a sua audição. Da mesma forma que um facho de luz nos seus olho, quando você está no escuro, pode te cegar por instantes e faz com que você gaste alguns segundos para voltar a adaptar sua visão para o escuro, mastigar algo que faça barulho satura
seus ouvidos e faz com que leve um tempo para se adaptar ao silêncio. O som da mastigação também pode ser captado e mal interpretado por outro caçador.

O ideal é que uma área seja estabelecida como lugar para lanches. Se isso não for feito não leve alimentos embalados em papel alumínio ou algum outro tipo de embalagem que faça barulho, e tente levar algo que não faça ruídos ao ser mastigado.

O mesmo vale para bebidas gaseificadas ou enlatadas. Quanto menos barulhos desnecessários houver, melhor.

3- Papel Higiênico

Muitas caçadas podem ocorrer dentro de residências, mas outras tantas poderão surgir em locais abertos, abandonados ou não habitados. A pior coisa que pode te acontecer é ter que ir ao banheiro e descobrir que vai ter que improvisar quando terminar.

4- Baterias (de novo)


A questão das baterias é tão importante que vamos repetir aqui. Você levou todo seu equipamento para o local, está pronto para começar e descobre que parte do seu arsenal está sem energia. Evite dores de cabeça se prevenindo, alguns equipamento tem um medidor que avisa quanta energia ainda possui, outros não, é sempre melhor prevenir do que ficar se xingando depois.

5- Cheque bancos, assoalhos e portas

Bancos de igreja, degraus de lugares antigos, pisos de madeira. É comum que lugares tenham seus próprios barulhos, alguns chegam a dar a impressão de serem um local de piquenique fantasma por conta dos estalos e ruídos. Quando estiver visitando o lugar pela primeira vez veja se ao andar o piso estala, range, se as portas fazem ruídos. Isso serve para você se habituar ao local e não ser iludido na hora de caçar.

6- Encanamentos


Encanamentos de água e esgoto costumam ter dois comportamentos: ou eles são silenciosos ou rabugentos. Alguns tipos de encanamentos costumam ficar "se ajeitando" por anos, e parece que quanto mais velhos mais resmungões ficam. Os sons de encanamentos podem variar ao som de metal se expandindo até a ruídos que são idênticos aos de bebês chorando, mulheres gritando e mesmo pessoas conversando, e eles tem a capacidade incrível de não parecer vir de trás das paredes. Às vezes isso acontece quando a temperatura muda, às vezes não. Às vezes quando alguém abre alguma torneira ou dá uma descarga, outras vezes não.
Sempre que for investigar um local antes de uma caçada pergunte sobre os encanamentos e verifique-os, caso estejam expostos. E sempre que começar a ouvir choros, gritos e conversas pelo local se lembre dos encanamentos antes de pular para conclusões precipitadas.

7- Tenha sempre uma rota de fuga

Quando for caçar em lugares que possuam túneis, porões, cavernas ou rotas sinuosas, certifique-se de ter uma rota de fuga rápida e limpa. Mesmo caçando em duplas ou trios é normal que algumas situações causem ataques de pânico e que antes de perceber todos esteja correndo em disparada. Estabelecer rotas de fuga para um ponto seguro é essencial para evitar acidentes ou que membros, ou você, se percam. Durante o dia, ou com a ajuda de uma lanterna defina sua rota, caso existam obstáculos no caminho os retire para evitar tropeços e tombos.

Se houver escadas no local, teste os corrimãos para se certificar que ele não vá se soltar em suas mãos, cheque os degraus, lembre-se que pode ser que você tenha que subir ou descer em disparada, e na hora não vai ter tempo para tomar cuidado ou descobrir se a escada é segura.

Caso existam fendas, túneis, cavernas, sótãos ou porões, cheque sempre o ponto mais baixo do teto, ou se existe alguma viga no caminho, pior do que tropeçar e cair é tentar quebrar uma viga de madeira ou concreto com a cabeça, é por isso que em algumas situações o ideal é usar:

8- Capacete e equipamento de segurança

Caso o local da caçada seja naturalmente desconfortável e inóspito, como um local que tenha uma área com teto baixo, vigas, uma caverna ou um túnel antigo com escadas, buracos, etc. lembre-se sempre de levar proteção. Muitas caçadas ocorrem no escuro, e no escuro não temos como calcular velocidades ou distâncias, mesmo caminhando uma cabeçada em uma viga de teto é extremamente dolorosa e pode comprometer o rendimento do caçador ou mesmo da caçada, além de poder por em risco real a saúde. Caso perceba que cabeçadas tenham uma probabilidade de acontecer não se acanhe em levar um capacete.

9- Forma de sinalizar

Na verdade isso pode ser traduzido como: forma de fazer as pessoas te encontrarem. Isso é importante principalmente se sua caçada for ocorrer em campo aberto ou áreas grandes ou que possuam túneis, poços, cavernas, etc. Caso opte pelo uso de rádios ou celulares, quando for fazer o reconhecimento da área verifique se eles funcionam em todos os locais. Se for caçar sem companhia, certifique-se de avisar a alguém onde está indo e dê uma estimativa do tempo que pretende permanecer fora e, claro, respeite essa estimativa.

Uma dica que muitos dão é levar algum sinalizador, um apito ou algo que consiga guiar as pessoas até você. Se for entrar em cavernas ou túneis, leve giz para ir marcando as paredes, faça check-ins regulares com seus parceiros, não se enfie em buracos que não sabe onde vão dar ou entre em poços sem uma maneira fácil de sair, por exemplo uma escada. Nunca dê chance para o azar e se meta em situações onde tenham dificuldade para te encontrar caso você se machuque ou fique
imobilizado. Caso a caçada seja a noite combine de usar a lanterna como sinal no caso de ser de dia leve algo que possa ser visto ou ouvido.

10- Improvise e use a imaginação

Não existem regras para se caçar um fantasma. O que funciona extremamente bem em um caso pode não dar resultado nenhum em outro.  Assim tenha sempre um plano B caso as coisas não estejam se desenvolvendo como gostaria. Se, por exemplo, estiver há três noites seguidas em um local e não conseguir nada além de leituras no seu detector CEM, talvez não seja porque o fantasma não queira se comunicar, talvez ele não tenha como. Uma boa técnica pode ser usar
uma televisão e uma câmera de vídeo para tentar criar um canal de comunicação através da gravação da estática. Ou talvez você peça para que o fantasma tente se comunicar enquanto você tentar sintonizá-lo com um simples rádio de pilhas. Leve espelhos para o lugar e tente colocar um espelho diante do outro, ou caso existam espelhos no lugar desalinhe-os. Um dos caçadores entrevistado disse que durante uma época levava um jogo de palavras cruzadas, ele fazia perguntas e
deixava uma caixa aberta com as peça com letras dentro, depois voltava para ver se o fantasma tinha deixado algum recado. Use aparelhos que gerem campos eletro magnéticos ou traga para o lugar objetos que o fantasma apreciava em vida. Tudo é válido para se conseguir abrir um canal de comunicação com o fantasma.

11- Fita adesiva, muita fita adesiva

Muitas vezes você vai descobrir que o melhor lugar para se deixar um equipamento é em um canto e em uma posição em que a forma, o peso e a gravidade não vão ajudar. Outras vezes você vai se ver em um quarto grande sem móveis, e ninguém gosta de ter seus gravadores e câmeras  pisados por estarem no chão de um quarto escuro. A melhor opção nesses casos é fita adesiva e parede. Caso use equipamentos que tenham fios, fitas são uma ótima opção para evitar que tropecem neles, basta esticar o fio no chão e passar a fita em cima.

Isso sem contar inúmeras situações onde um rolo de fita pode se tornar o seu melhor amigo: marcar áreas que estão isoladas. Deixar marcas por cômodos que você já tenha visitado, suspender fios, prender coisas na parede, na própria roupa, evitar que portas batam, que correntes passem por janelas quebradas, etc. Não perca tempo imaginando que situações podem ou não precisar de uma boa fita, apenas a leve e na hora você vai se agradecer por ter feito.

12- Kit de Primeiros Socorros

Não que você tenha que se preparar para reduzir uma fratura, ou dar pontos em um machucado, mas nunca se sabe. Gaze, ataduras, esparadrapo, algo para limpar feridas como mertiolate, iodo, mercurio cromo, pomadas para queimadura e até mesmo talas para eventuais tornozelos torcidos serão sempre bem vindas em alguns casos de acidentes leves.

Caso algo mais sério aconteça, suspenda a caçada e chame os outros para que te ajudem. Caso algo mais sério aconteça por causa da ação de um fantasma, mantenha a calma, tente sair de maneira calculada de perto da manifestação e peça por ajuda. No próximo capítulo veremos como lidar com casos de fantasmas mais extremos.

13- Tenha um equipamento de apoio

Monte um kit básico de reserva caso tenha os meios para isso. O que muitos recomendam é: um detector CEM, um termômetro laser, uma câmera digital e um gravador digital e uma lanterna. Mantenha-os sempre carregados e em uma caixa guardada por perto. Caso algum equipamento dê pane, ou alguém tenha que se afastar do grupo esse equipamento vem sempre a calhar.

14- Não apenas conheça o local, TENHA UMA LANTERNA

Não adianta você achar que conhece um terreno ou propriedade como a palma da mão. Num momento de pânico ou de retirada rápida você não terá tempo para pensar, apenas para reagir e é bom que possa ver ao que está reagindo. Buracos no chão, escadas, portas de vidro. Qualquer coisa pode se tornar uma surpresa desagradável caso você perceba que vai sair correndo em alguma direção. Nunca tente adivinhar um caminho, veja por onde anda. Sem contar que se o pânico bater de vez, uma fonte de luz pode ser a única coisa que te impeça de sair gritando e correndo. Luzes vermelhas, aparelhos de visão noturna, é tudo ótimo
enquanto você está no controle de seus nervos, mas quando a coisa apertar tenha como acender uma luz perto de você.

Manual dos Caça Fantasmas