Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Miscelânia Textos Diversos 23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos A Esperança

A Esperança

GuadalupePoderia ser dito que a Igreja Católica inventou a Esperança, mas embora ousada essa  informação é imprecisa. Isso porque o anseio de esperança está presente no coração de todos os homens, mas antes do cristianismo este era um desejo nunca satisfeito.  Seria mais exato dizer que a Igreja Católica revelou a esperança ao mundo. Essa declaração é ainda mais ousada, será justificada a seguir e é o próprio coração do catolicismo.

Esse desejo de acreditar que no fim tudo dará certo no final sempre existiu e é retratado, por exemplo, no mito grego da Caixa de Pandora. Nessa história, contada por Hesiodo, diz que Zeus aprisiona todos os males e dores do mundo em uma caixa e confia sua guarda a Pandora. a primeira mulher que por curiosidade abre a caixa e libera todos estes demônios, restando no fundo apenas elpis, a deusa da Esperança. Mas se Elpis era elgo bom, porque estava presa como os demais demônios? Arrisco dizer que é porque ela representa o desejo do bem e não o seu triunfo. Essa história é muito semelhante a narração bíblica da expulsão do jardim do éden, mas que contraste enorme não é com aquilo que é dito por Jesus no sermão da montanha: "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos."

A Igreja transformou o desejo de esperança em uma certeza. Não mero otimismo, mas o próprio conceito de Esperança que temos hoje. Isso porque a própria Esperança entrou no mundo e se fez presente na história transformando para sempre a história e o mundo. Não apenas um sentimento, mas um artigo de fé. Não é por acaso que a Esperança é uma das 3 virtudes teologais ao lado da Fé e da Caridade. Essas três virtudes já estavam presentes desde o início da missão apostólica e foram consagradas pela formula paulina presente na carta aos Corintios e mais tarde exaltada por Santo Agostinho em Manual da Fé, Esperança e Amor  e por São Tomás de Aquino no tratado das virtudes dentro da Summa Teológica.

Compare essa ênfase com as demais correntes de pensamento que existiam quando o cristianismo nasceu. O paganismo em todas as suas correntes é sempre uma forma nobre de lidar com o desespero. As religiões orientais não oferecem muita margem para esperança na medida que lida com as doutrinas do destino, da repetição da reencarnação e da extinção no nirvana. As seitas protestantes são ainda mais pessimistas pois herdaram de Calvino a crença de que seria melhor para muitas pessoas nunca terem nascido já que estão inexoravelmente destinadas ao Inferno. O secularismo e materialismo não apresenta qualquer forma de consolo e as taxas de suicídios nas sociedades ateias falam por si só.

Mas na Igreja Católica há esperança. A salvação é oferecida para todos aqueles que a quiserem. E ainda que Jesus tenha alertado seus discípulos de inevitáveis perseguições, ele deu tal esperança que mesmo na perseguição seus discipulos são supremamente felizes. Ele lhes deu a certeza de sua promessa: os portais do inferno não prevalecerão contra a Igreja. Muitos de seus detratores, tais como Antonio Gramsci e Oscar Wilde, que por toda sua vida renegaram todos os outros benefícios existentes na fé católica sederam a esperança nos momentos finais de sua vida. Quem já ouviu falar de alguém se converter ao marxismo no seu leito de morte?

Por meio desta virtude, os cristãos tem na vida eterna e o Reino de Deus como a felicidade última para eles, colocando as suas confianças nas promessas de Cristo. Para merecer e perseverar esta confiança até ao fim da vida terrena, os cristãos acreditam que a ajuda da graça do Espírito Santo é essencial. Desta forma ele é instado a imitar Cristo e carregar a sua própria cruz, pois sabe que no final da história, entenderemos o mistério da dor e toda agonia será feita glória.

23 Razões para Agradecer (de joelhos) aos Católicos