Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Miscelânia Textos Diversos Técnicas para sair do corpo Meditação

Meditação

Este é um assunto que merece uma boa explanação diferencial entre meditação, concentração e contemplação. Conforme explicado, vi-mos que, para mim, particularmente, este foi o método mais eficaz para uma saída efetiva do corpo físico. Sssim, achei-me no dever de explicar o que é realmente a meditação.

Concentração:  Focalização da atenção na observação e conclusão de algo, ou um princípio.

Contemplação:  O conjunto entre discernimento e razão empregados conjuntamente para a avaliação de nossos estímulos sensórios e imagens mentais. Através de certas técnicas conseguimos controlar nosso mundo interior e exterior.

Meditação: Técnica de discernimento e indicação de futuras possibilidades. Estímulos interiores são despertados, auxiliando-nos a encontrar maneiras novas de agir levando-nos a novas descobertas.

Algumas vezes estas soluções vêm através de símbolos oníricos ou sonhos em seu contexto simbólico. O sonho será abordado mais a frente.

A meditação é uma arte que deve ser praticada diariamente e não treinada por alguns dias e deixada de lado. Trata-se de persistência e perseverança, ambas combinadas para, assim, conquistarmos um objetivo.

Esta técnica possui um efeito direto no físico, quando devidamente praticada. Já tive a oportunidade de observar pessoas totalmente estressadas recuperarem-se em questão de minutos de meditação.

Qual será, então, o segredo?

1 – Contenção de qualquer estímulo sensorial e emocional.

2 – Relaxamento do corpo físico mas a mente desperta para as impressões provenientes do próprio subconsciente.

3 – Vontade de praticar a técnica

Lembre-se, a meditação não é um momento de solicitações divinas. É mais que isso. Trata-se de um momento usado para seu próprio restabelecimento, paz e interiorizarão, fazendo com que o "eu" menor fique sob controle total.

Um garoto não se torna um homem de um dia para o outro. Em termos espirituais os homens da Terra não passam de embriões que estarão nascendo em breve para o verdadeiro caminho do autoconhecimento.

A meditação, em nosso caso específico, pode ser considerada como uma contemplação das realidades paralelas. O conhecimento, pelo menos introdutório, desta arte, fará com que determinados mecanismos de transformação interior comecem a ser disparados mostrando ao iniciante que existem verdades que encontram-se ocultas no seu próprio "EU".

O objetivo desta técnica é justamente despertar no homem aquilo de mais essencial que existe dentro de si possibilitando-o a integrar-se diretamente com as mais variadas realidades de sua vivência sobre este Planeta.

A meditação está intimamente ligada com a ativação chácrica (veículos de manifestação), assunto este que demandaria mais um capítulo para explicar de forma detalhada o funcionamento específico destes vórtices de energia, os quais possibilitam a interconexão com os mundos paralelos.

Acredito que o fato do leitor submeter-se aos exercícios da projeção, não só constantes neste livro, mas em outros vários, iniciará o despertamento necessário para que a ativação chácrica ocorra. A idéia é tornar a experiência da viagem fora do corpo mais simples possível, evitado tantos dados técnicos que possam, porventura, complicar o praticante.

No intuito de não alongarmos mais, gostaria de apresentar algumas preparações prévias para o início da meditação.  

Vestimentas

Se possível, a meditação deverá ser realizada em vestimentas folgadas e de cores claras, tais como branco, amarelo infantil, azul claro, etc. Muitos preferem meditar totalmente nus.

Uma vestimenta específica para este fim é aconselhável pois além das características do tipo da confecção, a mente criará um estímulo automático cada vez que visualizá-la, ajudando na motivação em meditar. Poderíamos considerar isto como uma simbologia especificamente falando.

 

Postura

Muitos consideram a postura como algo extremamente importante. Na realidade devemos lembrar que a postura mental é o que realmente é válido pois não importa se sua meditação está sendo realizada na posição vertical, horizontal, inclinado ou o que seja, mas sim o que voga, e muito, é a condição mental para a realização da interiorização.

A meditação é mais importante que a postura, exatamente como o tronco da árvore é mais importante que os galhos.

Se sua postura for sentada, sua coluna vertebral deverá ser ereta e não esticada. A coluna, em sua forma anatômica, fica deformada causando problemas de sustentação do peso e conseqüentemente o cansaço sobrevêm.

Se uma cadeira ou poltrona for usada, escolha aquela que mais confortável e que molde o corpo, no sentido de que todos os músculos posteriores possam relaxar.

Lembre-se, a meditação exige uma mente alerta, não confundindo-se com o sono ou devaneio. A atenção faz-se necessária, o que não ocorre no sono.

 

Respiração

 

Como exercício preliminar à meditação, o hábito de se respirar bem poderá ajudar imensamente na desintoxicação orgânica e conseqüentemente na irrigação da energia prânica ao cérebro material, intensificando determinadas áreas envolvidas no desprendimento do duplo etérico.

Para aqueles que nunca praticaram este tipo de respiração, proposto logo a seguir, o efeito poderá ser de tontura, enjôo, ou elevação de temperatura, conseqüência do choque energético do organismo deficiente com uma energia mais vitalizante.

Nossa proposta para uma respiração preliminar é a seguinte: 

1 – Respire profundamente. Ao relaxar contraia os músculos do estômago para que o restante do ar já utilizado seja expelido, ocasionando, assim, uma limpeza geral dos pulmões. Repita o processo três vezes. Agora siga para o segundo passo.

2 – Respire profundamente e prenda respiração, até o mexi-mo que agüentar. Agora exale vagarosamente. Retire o resto do ar contido contraindo os músculos do estômago. Repita o processo três vezes.

3 – Após as respirações profundas, vamos partir para a respiração oposta.

Exale todo o ar dos pulmões. Mantenha-os sem ar o máximo de tempo que agüentar. Dado seu tempo limite, inspire vagarosamente e retorne sua respiração normal por alguns segundos. Repita o processo.

Após este exercício mantenha-se calmo e quieto, na posição que mais 1he aprouver. Interiorize-se e instigue sua mente a pensar sobre uma saída do corpo físico.

Os seguintes estímulos poderão ser sugeridos: 

a) Imaginar estar olhando seu próprio corpo.

b) Visualizar o ambiente fora de sua casa.

c) Visualizar um vôo sobre o local onde se encontra.

d) Ir em direção a algum amigo ou amiga que se encontra distante.

e) Imaginar o corpo tão leve como uma pluma etc.

Lembre-se, qualquer pensamento que invada sua mente, que não seja aquele solicitado por você, dever ser rejeitado para não atrapalhar o bom andamento do trabalho da meditação.

Este trabalho de meditação ajuda a acelerar o processo de transformação psicobioenergética do indivíduo, preparando-o para uma experiência transcendental.

Esta transformação gradativa, demandando apenas persistência e força de vontade.

A visualização não é imaginação. Imaginação é, geralmente, disparada por estímulos sensoriais. Um exemplo elucidativo pode ser elucidado. Quando andamos por uma estrada escura e subitamente ouvimos alguns arbustos se mexendo logo adiante, imediatamente a nossa mente "imagina" o que poderia ser. "Talvez um animal? ou um ladrão?"

Somos, em geral, negativamente estimulados, ou melhor, receptivos a estímulos. A imaginação é uma faculdade negativa e incontrolável, pelo menos para a maioria de nós.

Por outro lado, a visualização é um processo positivo. Imagens visuais são introduzidas em nossa mente de uma forma controlada De fato, a mente. sob controle constrói a imagem à margem do

mundo material, deliberada e criativamente. O procedimento não é iniciado por um impulso súbito, por exemplo, o resultado de um susto, ou desejo, ou estímulo sensorial.

Na realidade, a visualização é bem sucedida quando a entrada sensória é cortada completamente, isto é, quando os sentidos convencionais ficam suprimidos pela vontade.

Os estímulos visuais anteriormente propostos, deverão ser praticados minuciosamente, ou seja, um deles deverá ser escolhido e sua visualização mental deverá ser clara e bem definida.

Lembre-se que quanto mais inerte o corpo físico melhor a visualização e conseqüentemente a saída do corpo em completo grau de consciência ocorrerá.

Você e somente você ser responsável pelo primeiro passo para a exploração de si mesmo. Após isto, a grande alquimia interior iniciará sua transformação de simples ninfa em uma esplendorosa borboleta.

 

Técnicas para sair do corpo