Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: CriptoZoologia Bestiário Lobisomem textos-lobisomem Conclusões sobre as crenças do lobisomem

Conclusões sobre as crenças do lobisomem

Examinando o material da pesquisa de campo e o resultante da bibliografia e documentação, chega-se à seguinte conclusão sobre o mito do Lobisomem, no Brasil e fora dele.

- Aspecto físico1

Brasil:
Como pessoa, é um homem magro e pálido. Possui grandes orelhas e, às vezes, nariz levantado. É provido de pélos abundantes por todo o corpo. O ante-braço e as mãos são calosos, pois usa-os como patas, quando transformado em quadrúpede. É triste, sorumbático.

Exterior:
Tem pêlos abundantes, mãos cabeludas, mãos rugosas,

- Fator determinante

Brasil:
Ser o primeiro ou o último de uma série de sete filhos; o sétimo filho de um casal que só tinha fêmeas; filho de incesto, no qual se incluem as comadres; homem ou mulher cheio de maldade, que nunca fez o bem; permanecer durante dez anos sem confissão ou comunhão ou sem molhar os dedos em água-benta; permanecer, por mais de 7 anos, casado só no civil; ter sido amaldiçoado por pais ou padrinhos; nascer no dia 12/12 às 24 h.; nascer com os dedos tortos; transformar-se em Lobisomen por vontade de Deus (castigo ou penitência); haver sido tocado pelo Inimigo (Diabo); ser portador de ancilostomose (amarelão), páludismo (maleita), anemia, ou da moléstia, denominada licantropia; ter herdado o fadário ao desencantar um Lobisomem.

Exterior:
Ser criminoso que não confessa o crime; passar dez anos afastado do confessionário e sete sem molhar os dedos em água-benta; ser o filho homem depois de seis filhas; filho de incesto; o último de uma série de sete filhos; comer carne na 6a feira Santa; partilhar o covil de um lobo.

-Idade em que se manifesta a maldição

Brasil:
Logo após o nascimento; aos 7; 12, 13 e 24 anos; em qualquer idade, quando for amaldiçoado por pais ou padrinhos.

Exterior:
Aos 13 anos; em Portugal. Em outros lugares, não foi encontrada referência.

- Como anular a maldição

- Brasil:
Ser batizado pelo irmão mais velho ou pelo do meio, o quarto. Receber, na pia batismal, o nome de Bento ou Custódio.

Exterior:
Ser batizado pelo irmão mais velho. Chamar-se Benito.

- Rituais propícios à metamorfose

Brasil:
Procurar uma encruzilhada, galinheiro, chiqueiro, debaixo de uma goiabeira; encruzilhada com mariscos de praias; lugar onde qualquer quadrúpede se espojou. Despir-se. Dar 4 nós, um em cada ponta da camisa; 7 nós na camisa e urinar em cima; vários nós na camisa e no lenço; virar a roupa pelo avesso; esconjurar pai, mãe, padrinho, madrinha, o nome de Deus e de Nossa Senhora; colocar a camisa sobre cascas de mariscos do mar e sobre ela rebolar; desarticular-se, encostando a cabeça nos pés; dar cambalhotas, recitando palavras mágicas; espojar-se sobre urina de boi; comer cascas de mariscos; colocar-se sob os raios da Lua; espojar-se sobre a roupa ou sobre o solo.

Exterior:
Procurar a margem de uma estrada, ou lugar onde um jumento se espojou: Despir-se. Comer determinadas ervas; ingerir beberagens oferecidas pelo Demônio; esfregar-se com folhas de plantas, pomada ou ungüento, fornecidos pelo Diabo; bater a parte de baixo das costas em porta de igreja, pronunciando palavras mágicas; cobrir-se ou usar cinto confeccionado com a pele do animal no qual deseja transformar-se; beber água acumulada nos seus rastros; comer alimentos abandonados pelo animal; conjurar os astros; despir-se e urinar à volta das roupas.

- Ocasião propícia à metamorfose

Brasil:
Qualquer dia da semana, exceto sábados e domingos. Na noite de 5.a para 6.a Feira Santa. Durante a Quaresma. A meia-noite, na 6.a feira da Paixão. No dia 13. As 6.as feiras, em especial a primeira de cada mês. Nas noites de S. João. Com qualquer lua. Com lua cheia. No quarto-minguante.

Exterior:
Numa 3.a ou 5.a feira. Todas as 3.as e 6.as feiras. A meia-noite das 6.as feiras. A meia-noite. Com lua cheia.

- Aspecto físico; após a metamorfose

Brasil:
Lobo. Lobo com o pêlo para dentro e a carne para fora. Cachorrão preto ou escuro, com a parte de trás mais alta do que a da frente. Cachorrão com a carne para fora e os pêlos para dentro. Porco. Porco com garras. Bezerro. Bezerro negro. Bezerro negro com longas orelhas. Bezerro negro com pêlo encaracolado. Animal com dorso de dragão e garras. Cavalo. Burro. Bode. Morcego, Onça. Cão sem cabeça. Cão que solta fogo pela boca. Cachorrão que solta fogo pelas patas. Mula branca; com cabeça de homem. Qualquer quadrúpede em cuja cama o homem se espojou. Homem de olhos afogueados, pêlo eriçado, ventre aberto e sangrando, unhas açuçadas, e que expele fogo pela boca. Homem fininho como uma linha (para passar pelo buraco da fechadura). Sombra escura. O morto, encontrado na localidade pesquisada, apresenta-se sempre na cor branca e na forma de um cachorrão ou de um bezerro.

Exterior:
Lobo. Híbrido de lobo e leão. Tigre. Leopardo. Hiena. Pantera. Vaca. Jumento. Gato. Gata. Bode. Bode com garras. Cabrito-montês. Cão negro com enorme cabeça: Cão negro sem cabeça. Meio homem, meio cavalo. Sombra escura, sem contornos definidos. O morto aparece, em Portugal, como bezerro, cão, sombra negra.

- Em que Consiste o Fadário

Brasil:
Correr 7 praças (lugares) em cada noite de maldição e voltar ao lugar de partida antes que o galo cante, antes que clareie o dia, dentro de uma hora, até às 2 h ou até às 3 h da madrugada.

Exterior:
Visitar 7 adros de igreja, 7 vilas acasteladas, 7 partidas do mundo, 7 outeiros, 7 encruzilhadas, até regressar ao mesmo espojadouro de onde partiu, em cada noite de maldição.

-Do que se alimenta

Brasil:
Devora fetos, crianças pagãs, cabeças de crianças mortas sem batismo, crianças de qualquer idade, adultos, cadáveres, cachorros e outro animais, especialmente filhotes; carniça, excrementos de animais, gordura de sabão, melado. Costuma lamber as crianças. Aprecia sangue humano. Alimenta-se do sangue dos que morreram sem confissão, e do de todas as suas vítimas.

Exterior:
Devora crianças e adultos de qualquer idade, assim como cadáveres e cachorros. Alimenta-se de sangue, tanto de pessoas vivas (suas vítimas ) como de mortas.

- Atuação do Lobisomem

Brasil:
Espalha o terror, amedrontando e atacando pessoas e animais. Desvirgina donzelas. Morde quem encontra, transmitindo-lhe o fadário. Se for o morto, ataca sempre para matar.

Exterior:
Mata e bebe o sangue das vítimas. Morde as pessoas transmitindo-lhes o fadário. Acasala-se com fêmeas de lobo.

-Quando readquire forma humana

Brasil:
Após percorrer 7 lugares e retornar ao local de partida, onde deixou as vestes. As 3 h, quando o galo canta. Ao clarear o dia. Quando o galo canta. No fim da fase lunar.

Exterior:
Ao clarear o dia. Quando despe o cinto mágico ou a pele do animal; com que se cobre. Ao ingerir a beberagem específica, para esse fim. Após permanecer 100 anos ajoelhado no mesmo lugar. Mergulhando na água; espojando-se no orvalho.

- Sexo do Lobisomem

Brasil:
O mais comum é o macho. Em MG aparece o Lobisomem-fêmea, na forma de onça. Em MT a mulher casada há mais de 7 anos, só no civil, transforma-se em Lobisomem.

Exterior:
Nas Américas, com exceção do Brasil, são sempre machos: Em países da Europa, Asia, Africa, podem ser tanto machos como fêmeas.

- Como se herda o fadário

Brasil:
Fazendo-o sangrar. Sujando-se no seu sangue. Contando-lhe que é Lobisomem. Sendo mordido por ele.

Exterior:
Fazendo-o sangrar. Sujando-se no seu sangue. Sendo mordido por ele.

- Como se interrompe o fadário

Brasil:
Ferindo-o de forma que perca sangue ou com objeto de prata. Saudando-o com o sinal da cruz. Contando-lhe que é um Lobisomem. Queimando as roupas que despe, na ocasião da transformação, e substituindo-as por outras, virgens. Chamando-o pelo nome de batismo. Quando for batízado pelo irmão mais velho. Dando-lhe uma surra com duas cordas de fumo e amarrando-Ihe uma terceira no pescoço. Jogando-lhe água-benta e fazendo 7 rezas, 7 noites, com 7 velas acesas. Quando tratar-se de nenê, procedendo ao ritual de espetar-lhe 7 agulhas virgens em trés 6.as feiras seguidas, logo após o batismo na igreja.

Exterior:
Ferindo-o de forma que sangre.

- Como se perpetua o fadário

Brasil:
Desfazendo os nós das suas roupas ou dando-lhes sumiço.

Exterior:
Se ele não encontrar a garrafa com a beberagem específica, fornecida pelo Demônio.

- Proteção Contra o Lobisomem

Brasil:
Abrir os braços em cruz e rezar o Crendospadre. O chuço. O alho. Lâmina de facão ou de machado.

Exterior:
Colocar um ramo de avenca sob os berços. O Sino Saimão (Signo de Salomão). Participar da fogueira de festa de S. João.

- Como Esconjurar um Lobisomem

Brasil:
Colocando-se sob a língua um pouco de terra dos seus rastros e chamando-o três vezes.

Exterior:
Dizendo-se três vezes Ave-Maria.

- Como Matar um Lobisomem

Brasil:
Atirar no seu dedo mindinho do pé (5° artelho). Usar bala lambuzada de cera de vela de altar. Usar bala benta.

Exterior:
Usar arma e bala bentas. Usar bala que permaneceu no bolso de uma pessoa enquanto assistia à missa, durante dois domingos seguidos.

A vista do material coletado na pesquisa e estudado como superstições e crendices, e através da bibliografia nacional levantada, conclui-se que há unidade na conceituação brasileira do lobisomem, suas características físicas, como homem, e sua atuação como amaldiçoado ou vítima do destino.

A feição do Homem-Lobisomem é a mesma, no Brasil inteiro.

Ele é sempre magro, macilento, triste. O fato da doença ressaltar essa aparência, ou ser a causa dela, não invalida, no norte ou nordeste do país, o conceito generalizado. Porque lá, também, ele aparece como expiação de culpa, ou destino (fadário do sétimo filho), confundindo-se com o indivíduo que, por moléstia; já está estigmatizado.

1- O aspecto físico da Mulher-Lobisomem nâo foi encontrado , nesta pesquisa.

Lobisomem: assombração e realidade
Maria do Rosário de Souza Tavares de Lima