Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Bruxaria Rituais Pagãos Dança da Chuva para Não-Índios

Dança da Chuva para Não-Índios

Guerreiro Ojibwa A famosa Dança da Chuva nasceu nas tradições dos Windigokan, uma casta guerreiros-feiticeiros nativo-americanos da  tribo Ojibwa. Os Windigokan eram temidos canibais e escalpadores, considerados além da vida e da morte e tinham a fama de aterrorizar as pessoas a noite na forma de grandes pássaros negros. Conta-se que durante os primeiros anos do relocamento indígena nos Estados Unidos, as danças xamânicas foram proibidas: nomeadamente a Dança dos Espíritos e a Dança do Sol. Mas era sabido que os Windigokans continuaram suas práticas. Quando as autoridades dos federados foram tirar satisfação, os Windigokans  por meio de um representante legal convenceram a todos que o que eles faziam era a Dança da Chuva e não a Dança do Sol e a tradição seguiu ainda por muitos anos. A técnica a seguir é inspirada nesta prática embora tenha suas próprias particularidades.

Um xamã é alguém que muda a realidade para atingir seus próprios fins usando métodos que as pessoas comuns não conhecem ou não e atrevem a usar. Por isso magistas se dedicam a conhecer as leis que regem a realidade em si, para então pervertê-las para seu próprio fim. E desde o início da prática mágica a milhares de anos, o controle de clima é uma das coisas mais interessantes de se fazer. Era mais urgentes quando as colheitas e caça dependiam disso, mas ainda pode ser relevante se você quiser pegar uma praia neste fim de semana. O propósito da prática abaixo de fato nem é tão difícil: é só fazer os metereólogistas errarem suas previsões.

Kitchi Manitou é o "Grande Espírito" da cosmogonia Ojibwa. Mas do que um mero criador como o deus nas mitologias judaico-crstãs, Kitchi Manitou é o mantenedor do universo. Ele não apenas criou o mundo e vela por ele, mas sonha o mundo e assim faz com que ele exista. Quando um xamã consegue dividir essa mente com Kitchi Manitou então ele também percebe que está dentro deste sonho e adquire o poder de sonhar a realidade ao seu redor.

Prática:


1 - Escolha um dia em que a previsão do tempo anunciar chuva.

2 - Em alguma hora perdida da madrugada  desperte e coloque alguma música rítmica de percussão. Volume baixo e de preferência em looping. Feche os olhos e ouça o ritmo por alguns minutos e diga algo como "Quero sol."

3 - No exato momento em que falar estas palavras sinta como se um clarão enorme iluminasse todo ambiente e nele se fixasse. Desperte para o fato de que a mente humana o espaço e tempo são ilusões e diga: "Está Sol."

4 - De olho fechados sinta que está Sol, que está quente e luminoso. Diga: "Sinto o Sol".

5 - Mantendo esta sensação comece a  inspirar profundamente. Conforme respira imagine que o sonho do qual você faz parte está entrando pelos seus pulmões e fazendo parte de sua essência.

6 - Permaneça assim por poucos minutos, volte a dormir.

Este procedimento pode ser adaptado para transformar um dia de sol em um de chuva, bastanto para isso mudar os itens para as frases e projeções adequadas. O ponto mais importante aqui é a postura mental. Busque tomar consciência de que tudo o que existe é um sonho e que  cada consciência tem uma escolha: ou dorme nele e vive como um animal ou acorda nele e sonha de forma lúcida. Quando este estado for atingido então mantenha por meio da imaginação mantenha a mente focada para formas sua nova realidade. Windigokan quer dizer literalmente "povo contrário" ou "povo do avesso", isso porque eles de fato pareciam viver em outra espécie de mundo. Tratavam os anciões como crianças, corriam nús no inverno e pareciam satisfeitos mesmo em épocas de fome, ninguém sabia o que eles iriam fazem em seguida.

Robert Greene conta em seu livro “33 Strategies of War” que certa vez o líder dos Windigokan foi convocado para batalha, mas ele foi até o chefe dos Ojibwa e disse: "Nós não entraremos em guerra! Nós não mataremos nenhum Sioux. Nao escalparemos quatro deles nem faremos os outros fugir assustados. Só iremos lá amanha de manhã." Na madrugada seguinte eles partiram em silêncio usando peles de animais e lama pelo corpo e usando máscaras assustadoras. Eles foram até a tribo dos Sioux mesmo em grande desvantagem numérica. Começaram a dançar como que possuídos por espíritos de modo que muitos que dormiam acordaram para então fugir apavorados e confusos. Então o líder Windigokan gritou: "Não atirem" e os guerreiros sacaram suas armas e atiraram em quatro Sioux e levaram seu escalpo embora dançando. Os xamãs reconhecem a si mesmos como o corpo de Kitchi Manitou, por isso eles foram embora dançando com o couro cabeludo de quatro homens em suas mãos. E ninguém teve coragem de segui-los.

Morbitvs Vividvs King