Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Livros Satânicos Guia de Leitura da Bíblia Satânica Vida Mundana

Vida Mundana

Citação Chave: "A vida é a grande indulgência – a morte a grande abstinência. Então aproveite ao máximo a vida – AQUI E AGORA! Não existe um paraíso de glorioso esplendor ou um inferno onde os pecadores queimam. Aqui e agora é nosso local de tormento! Aqui e agora nosso momento de alegria! Aqui e agora é nossa oportunidade! Escolha então este dia, esta hora, pois nenhum redentor jamais viveu! Diga a seu próprio coração: “Eu sou meu próprio redentor”."

Comentário:

O assunto dominante deste ato é a Vida Mundana. Ou seja, a vida do mundo, a vida terrena e contraposição a vida do além e as promessas de todas as outras religiões. Resumindo, o Satanismo não devota tempo ou material demasiado para a possibilidade de uma existência após a vida, ele deixa essa possibilidade ou impossibilidade, aberta para a crença pessoal de cada Satanista. Seja qual for esta visão do pós-morte o Satanista encarará a vida que vive como a única vida que ele tem agora, por isso fará de tudo para a levar de maneira satisfatória.

O quarto ato do Livro de Satã também fala sobre o conceito da indulgência satânica, que mais tarde será intelecualizado por LaVeu no capítulo "Indulgência... NÃO Compulsão" do Livro de Lúcifer." Em poucas palavras para o satanista o temro Indulgência tem a mesma significação que Verdadeira Vontade tinha para Aleister Crowley, no Manual do Satanista Morbitvs Vividvs elucida:

A Verdadeira Vontade não tem nada haver com compulsão muito menos abstinência, pois é a medida verdadeira de toda a estrela. O desejo advindo da compulsão é um risível capricho do id, o comportamento oriundo da abstinência é mera sujeição á sociedade. Em contrapartida, indulgência é a sublime manifestação de Baphomet (Logos/Cosmos) no indivíduo. A indulgência é a articulação de quando as coisas acontecem no momento em que os indivíduos se articulam ao movimento natural das coisas, como um animal do campo ou um bebê.