Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Livros Satânicos O Livro Negro do Satanismo O Preâmbulo

O Preâmbulo

Dos Ritos

É muito difícil descrever o uso dos ritos satânicos devido a uma ausência de coordenação. Contudo, pode-se apresentar, dentre as muitas, cinco cerimônias características oferecidas à quíntupla Satã, Lúcifer, Lusbel, Asmodeus e Belial. Em cada um desses ritos, um dos assistentes (aquele que se pretende honrar), inteiramente nu, é untado pela sacerdotisa (com mel, leite, óleo vegetal, gordura animal ou uma mistura de sêmen, mênstruo, sangue, vinho e água). Depois das consagrações, cada assistente irá lamber-lhe o corpo (não na cabeça, mãos, pés, pernas e joelhos). O “lambedor” receberá especiais bênçãos das potestades infernais.

A unção do mel é feita nos equinócios (com a respectiva oração acrescida à do dia da semana); a do óleo vegetal, feita nos solstícios; a do leite nos novilúnios; a da gordura animal, nos plenilúnios; e, finalmente, cada dois meses (seis vezes ao ano) é realizada a unção mista (sêmen, mênstruo, sangue, vinho e água)  com a Oração dos Pontos Cardeais, acrescida com a do dia da semana. Antes do cerimonial são apresentados em coro as ofertas dos respectivos elementos. Todas as reuniões são cruentas (pelo menos, um ente vivo deve ser sacrificado) e, em cada três anos, a história deve ser uma criança de menos de um ano, possivelmente, não batizada.

O Credo Satânico é pronunciado às sextas-feiras e, geralmente, nesse dia há o preparo para a confissão pública, na qual o crente, em voz baixa, anuncia os atos praticados para maior glória das forças infernais.

A comunhão consiste em beber de um cálice comum (sangue?) e manducar uma bola de carne crua (de animal?); há uma variante na qual um pedaço de bolo é untado com uma mistura (fezes, urina e ovo batidos).

A persignação é imitação da católica, apresentando cinco toques no corpo. A cruz é abolida ou apresentada invertida. A estrela de cinco pontas invertida é o seu signo.

O total das cerimônias é de treze, distintas uma das outras, com uma série de variantes. Num culto comum os ritos se processam como são expostos e numerados de 1 a 15, na primeira parte do Índice. Excetuado os números 8 (Confissão Pública) e 13 (Credo Satânico) envolvem todo o cerimonial diário, que se inicia com a Oração Privada Diante do Altar até o Encerramento, a fim de preparar a assistência para a orgia final a meia-luz. Como última observação, durante a bênção satânica, completamente nus, os fiéis jogam-se no chão, colocando a língua no solo.

Num sentido geral, o culto se fundamenta em solicitar a proteção de Satã e outras entidades das trevas e incitar suas hostes à prática da malignidade contra os cristãos que os perseguiam, levando os seus adeptos à fogueira.

Há ainda um linguajar especial no qual “Ethan!” corresponde ao significativo “Amém!” do catolicismo: “Har Har!” indica incitação, como se dissesse “Mais Mais!”; “Escriba” significa “copiador de textos”; “Babu” é a voz semita, determinando “ancião”, “sábio”, “ilustre”, “mestre”, etc., e tem origem em “Bab”, significando “porta”, “entrada”, “iniciação”.

Do Livro

O Livro Negro em si mesmo é uma coletânea de trabalhos de vários Babus e foi escrito – segundo os informes – em diferentes épocas e os satanistas asseguram que no ano 1000 já estava completo e, desde esse tempo, nada mais foi acrescentado ou diminuído. Representa a reação do podre, enjeitado, perseguido, injustiçado, diante de uma sociedade egoísta manejada pelos nobres e pelo clero. O deus dos ricos não atendia aos desgraçados, e estes buscaram, na própria fé cristã, a proteção de uma entidade poderosa que combatia a divindade. Por esse motivo, o satanismo reage contra a Trindade, e, em particular, contra Jesus e a Virgem Maria. Nascido no ambiente cristão da Idade Média, o satanismo, na realidade, é o próprio catolicismo visto às avessas, esforçando-se por tornar mais execráveis, tétricas e sexuais as idéias de pureza, esplendor e castidade preconizada pela Igreja.

A obra nunca foi impressa, mas é copiada de congregação em congregação por escribas especializados. Escrita em letras cursivas, redondas, em tinta verde, nenhum homem que não seja satanista poderá vê-la e poucos são entre os adeptos que podem manuseá-la. É proibida sua cópia nas mais ligeiras linhas por pessoas que não pactuaram com Satã. Perseguidos pelo Santo Ofício (a Inquisição), os satanistas ocultavam seu missal para a posteridade execranda.

Em síntese, o Livre Negro é uma cópia missal católico. Fundamenta-se no número cinco como o cristianismo adotou o três e o sete. Por esse motivo apresenta cinco entidades superiores: Satã, Lúcifer, Lusbel, Asmodeus e Belial.

Do Satanismo

Ignora-se a relação do satanismo com a astrologia, porém deve haver entrelaçamento, visto ser mantida a idéia dos metais correspondentes aos planetas e dias da semana; incluem-se neste grupo as festividades lunares (novilúnio e plenilúnio) e os equinócios e solstícios. A magia mimética faz-se representar no culto maldito em diferentes ritos.

A própria mitologia cristã, admitindo a luta entre os anjos bons e mais, a tentação sofrida por Jesus, etc. dá os elementos fundamentais da seita. Em última análise, esta crença está inserida no catolicismo e não será extinta enquanto houver fé nas sagradas Escrituras. Na invocação do novilúnio, Diana e Selene (da mitologia greco-romana) e Lilith (dos mitos judaicos) estão presentes, parecendo que somente neste rito são pronunciados esses nomes. Distingue-se da bruxaria por ser esta anterior ao cristianismo e tributar suas honrarias aos deuses de paganismo, especialmente Diana, Luna e Vênus. Dentre os autores que estudaram o satanismo, salientam-se Guaita, Garçon, Michelet, Papus, Eliphas Levi, etc. O último apresenta uma gravura na qual mostra que a sombra da mão que abençoa pode representar o Diabo. Helena Blavatsky assegura que o Diabo é o inverso (ou ausência) de Deus como as trevas o são da luz.

Do Material

Nas cerimônias ordinárias são empregados 13 fracos (dos 33), 24 vasilhas (das 42), um metal (dos 7), 3 bacias (das 5), uma planta, um perfume, uma tinta, a totalidade de instrumentos musicais (11); ainda empregam uma flor, um giz colorido e um fruto em determinados dias da semana. Nestes dias, não há flores no domingo, porém na terça-feira empregam-se todas as cinco flores; não há giz no sábado, contudo usam-se todas as cinco cores na quarta-feira; não há frutos na quinta-feira, todavia empregam-se os cinco frutos nas segunda-feira.

Por motivo de repetição de materiais, usam-se 29 unidade dos 20 elementos masculinos; 21 unidades dos 20 elementos femininos; 61 unidades dos 32 elementos neutros ou andróginos; num total de 111 em cada reunião. Há 27 ritos e orações, 37 ofertas, 49 consagrações e 8 cânticos, num total de 121, porém, em cada culto, são usadas apenas 32 orações imprescindíveis e 3 cânticos (5 x 7).

Babu Sotito Jaideaux

Babu Sotito Jaideux