Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Livros Satânicos Naos O Caminho da Mão Esquerda

O Caminho da Mão Esquerda

O CME é essencialmente magicka interna porque tal magicka significa o uso, pelo individuo, dos Caminhos Sombrios que ligam as sete esferas da Arvore de Wyrd. Não há caminho de luz desde que os caminhos por natureza implicam um fluxo de energia e tal energia pode ser somente direcional. Energia direcional significa Mudança, no causal – a  emergência de Caos através de um ‘portal’.

Por um longo tempo, a natureza do CME tem sido mal entendida. A definição tradicional como magicka usada para propósitos pessoais/destrutivos/negativos é insignificante porque assume uma estrutura de opostos morais que, na realidade, não existem em relação as energias magickas. Toda evolução de consciência é um ato magicko – uma expansão do acausal dentro do reino do causal. De um ‘tradicional’ ponto de vista moral/Nazareno, toda evolução, por necessidade, torna-se ‘má’ e faz parte da natureza de uma ‘serpente’ de acordo com certo mito da criação primitivo e infantil.

É uma calamidade que por um longo tempo esse simples fato tem sido, na maioria dos círculos magickos, obscurecido por sistemas fracos como a ‘Qabala’ com suas noções de um lado Sombrio da Arvore. Nenhum lado Sombrio existe, porque o que efetivamente existe (os sete Portais) é sombrio por si mesmo porque presencia não- Existência. A bifurcação da Qabala (exemplificada por sistemas como o ‘Nightside of Eden’) leva muito frequentemente a problemas severos se sistemas derivando dela são usados por indivíduos como magicka interna – como um meio de incremento de consciência.

Os caminhos que ligam as sete esferas são representações do acausal e como tal simbolizam aquilo que normalmente (pelo menos para a consciência ‘diária’) escondido. O que é escondido torna-se revelado e feito presente, em nosso mundo fenomenal, pelo ato magicko. Aquilo que é revelado é Caos, não-Existência. Esses atos são reveladores e destroem a consciência diária ou ‘ego’ consciente e como tal é a essência da verdadeira Iniciação.

É porque eles são (ou seriam) entendidos como somente o inicio da magicka interna do caminho septenario que aqueles usando esses Caminhos Sombrios são livres de problemas de bifurcação de identidade que surge com outros sistemas.

A essência do genuíno CME – e isso inclui a Tradição Sombria (ou sinistra) e Satanismo tradicional – é o uso de energias magickas para aumentar a evolução do individuo. Tal evolução não pode existir fora do CME como um ato de vontade. Evolução é desejada, enquanto um ato magicko, via experiência: por revelar o acausal, confrontando-o (usualmente por símbolos) e finalmente por integrá-lo. Não há outro modo.

NAOS, Order of Nine Angles