Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Livros Satânicos O Livro Negro de Satã II

Livro Negro de Satã - II


Este é um livro de mistérios da Ordem dos Nove Ângulos. Ao contrário do primeiro livro negro de Satã, que é liturgico e cerimonial, esta não é uma obra de estudo, mas de comtemplação. Seu significado profundo só está acessivel à aqueles que conhecem a tradição e só poderá ser posto de fato em prática por quem já domina o conteúdo do NAOS, livro interno da tradição.

Entretanto deve ser tido para aqueles que chegam até aqui sem qualquer referência anterior que nada no conteúdo deste livro está velado para aqueles que souberem comtemplar a escuridão e deixar o silêncio falar por si próprio.


C A E L E T H I

O Livro Negro
de
Satã II

by
Christos Beest

O.

Faça todas as Invocações como mostradas, por

Use também o tetraedro de cristal como chave para o Poço Negro debaixo da lua...

I : N A O S

A mulher sob as águas
O Templo interior
De planícies dilaceradas pela Guerra, colinas negras
Apanhe o relâmpago e o segure
Bombardeada
A Graça ao alcance de seus braços...

II : A O S O T H

A Terra Que Sangra
Da garganta de tolos
em riachos
Do portal
um pássaro vermelho
Isto, se alimentar de creais precisa
Reserva para o Inverno:
A Donzela está pronta.

III : L I D A G O N

Outono -
Um casamento sob a Terra
Com Elixir
Ela lava as mãos
Uma Águia Negra
Um Palácio de Luz
Ela se torna a serpente
Que oferece a espada
Para cortar fora o braço...

IV : M A C T O R O N

Ela rema um bote em um poço negro
De seus passos:
O Hermafrodita,
o corpo submerso.
O Planeta d'Eles
E a primeira gota
Em um deserto branco
Em águas cristalinas
Aktlal Maka.

V : A T A Z O T H

As profundezas do mar
Um túnel de facas.
Há uma união aqui
Enquanto ele guia os Escolhidos
Fúria no Olho
do Bode -
O triângulo dourado
Se destaca contra um céu de fogo.

VI : D A V C I N A

De uma montanha de crânios
Árvores azuis
Um jardim de rosas abre passagem
Duas mulheres o atravessam;
O cadáver em um vestido de noiva
Não guia mais
Quatro quedas d'água inundam a Terra
E livros se tornam cinzas...

VII : A Z A N I G I N

Em um deserto vermelho
Três dedos e um crânio
estão dispostos sobre peles
As pedras de um círculo
Se tranformam em sapos
O esqueleto de uma criança
O nascimento de um exército
Um Nexion é aberto.

VIII : A B A T U

Em uma masmorra, um leito de fogo
De uma esfera explodida
Borboletas vermelhas
Com um olhar
A guerra teminício
Uma máscara andrógena
Nas cavernas sob o mar.

IX : V E L P E C U L A

Agora no deserto,
Um bufão
Saúda o cavalo transparente
Na colina Dourada gente
Se torna fogo
A nevederrete
As faces das Montanhas
O corvo com
A face de mulher,
Seu ouro produz o Sangue...

X : V I N D E X

Dois cavalos
Lutam contra um círculo de árvores
(O Sol de Noite)
Dois anjos
Rindo em uma câmara de sacrifícios
Dois
Envoltos em névoa de ouro
Além da Porta.

XI : S A U R O C T O N O S

Um menino aleijado
Um túnel de osso
Uma estrela descende em uma floresta
Rostos são removidos
E Ela se senta na casa de perda
Desapercebida.

XII : N O C T U L I U S

A Lua envolve
O Deus Selvagem;
Empalado em um trono
Enquanto a roda de crânios gira.
A senhora adornada com jóias
A velha...
Inverno na mais selvagem das florestas.

XIII : N Y T H R A

O curso de um canal alinhado
Por Grifos brancos.
Um vórtex de espaço cinza e sem estrelas.
O cálice derrama seu
Sangue Branco
E a luz do Pastor brilha
Na Câmara da Esfinge.

XIV : S H A I T A N

O rubi é a senha
Ela que usa o robe branco
Cavalga o cavalo transparente
A donzela se fecha.
Com pernas quebradas ele se aproxima
Ele se torna o Dragão...

XV : S H U G A R A

Um sapo exibe cabeças humanas
Dentro de sua boca
Campos brancos arados
Brancas, árvores carregadas de neve -
A face dela iluminadapela Lua;
Seus olhos descobrem
O Poço,
Avance pela escadaria espiral
para chegar ao cômodo Azul...

XVI : N E K A L A H

O Nome d'Eles ...
Dentro de uma câmara de Sacrifício:
Flores brancas.
Seco, um jardim de rosas mortas.
A senhora de máscara
Segura sua nova criança.

XVII : G A W A T H A M

O poder interior é grandioso
A águia devora
Sua cria humana
Música fria aqui
A Mulher Azul segura a cabeça do cavalo Enquanto o Vidente tece.

XVIII : B I N A N A T H

Decaptado
O anjo branco empalado
Por Sete.
Sete sinos tocaram,
O cortejo vindo de uma colina negra
Deixaram para trás a cabana do invasor.
Chamas negras engolfaram
Chamas negras devoraram o 'sagrado'.

XIX : K A R U S A M S U

Sappho dança em águas paradas
Correntes e rosas azuis
Invoque o Sol
Para um arco de fogo
Lápides, borboletas
E rios de cobras.

XX : N E M I C U

A estátua azul
Seus olhos vermelhos observam o labirinto
Ele,que traz a sabedoria
A criança perfeita
E o Tetraedro
Lavando cabelos no Poço Negro
Sucessor...

XXI : K T H U N A E

O Elixir da Lembrança
Escorre até águas cristalinas
O pacto com a Estrela Negra A remoção do atrator
O Poço está aberto
Mergulhe mais fundo


Contra todos E sempre cada vez mais obscuro, Se Lembre.

Aprovação: Christos Beest
Ordem dos Nove Ângulos
Yf 103 Era Horrificus
A G I O S O S H U G A R A




Tal como usado pela Order of Nine Angles