Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Livros Satânicos Renascer Anticristão Amor Universal

Amor Universal

O ícone cristão disse:”Amai o próximo como à ti mesmo”.Por tal afirmação,este é tido por muitos como o maior humanista de todos os tempos.Contudo,em realidade,deveria de ser reconhecido como o maior misantropo de todos os tempos.

O Amor é um sentimento que jamais deve de ser menosprezado(assim como todos os sentimentos humanos).E no entanto é justamente isto que a frase dita por Jesus realiza:Total menosprezar do sentimento amoroso.Certamente,perguntar-se-á o porquê de tal frase tão esmerada e aparentemente bela realiza tal hediondo acto.Bem,o menosprezar reside no tom universalizante que a mesma dá ao sentimento.

“Amar-se sobre todas as cousas”.Esta seria uma frase melhor empregada.Um ser que não se conhece plenamente e não se reconhece como,em seu microcosmo,o mais importante ser nada pode compreender da dimensão do Amor.

Amar à si é um acto de auto-preservação,uma ferramenta que a Evolução deu aos seres vivos para evitar à Morte e a Destruição.Auto-preservação é justamente considerar-se uma parcela mais importante de todo o resto e insubstituível para si.O Homem é como todo e qualquer outro animal,muitas vezes melhor,mas muitas vezes pior que os outros animais ditos “irracionais”’.Graças à sua espiritualidade duvidosa e progresso intelectual mais cruel de todos.Destarte não pode negar o clamor auto-preservativo animalesco dentro de si,pois seria negar sua própria Natureza.

O ser,por não conhecer-se e não se amar mais do que outros seres,irá “projetar-se”sobre outra pessoa.Projetando-se este jamais poderá conhecer a dimensão microcosmial da outra pessoa,pois vê somente o que quer ver.Ocorre uma procura de macroscosmo-microcosmo,quando deveria ser o inverso,por si próprio mantendo esta forma de amor.Assim,forma-se um ser inconstante e ignorante no amar e no conhecer de outros seres.

Por fim,pode criar-se um Parasita.Não gerando para si primeiramente, poderás gerar para outro,e por fim diminuirá o que deveria ser dado para ti(a pessoa mais importante do Mundo para si próprio,afinal à Vida é sua).E no mais,irás favorecer o estabelecimento de sedentários que só sugam  energia e trabalho de terceiros,tornando o Mundo ainda mais populoso desta corja desprezível.

Caso todos amassem à si primeiramente não existiriam parasitas e a dimensão das relações seria mais profunda pois os seres se entenderiam não vivendo ilusões à cerca do outro.

Ama-te como amas um assassino que não dá qualquer valor à Vida?Se a resposta for sim,é prova cabal de que estás sendo hipócrita no seu sentir ou está a denegrir à si mesmo.Agindo de forma hipócrita está enganando à si e dissolvendo o sentimento na ojeriza da ilusão.E actuando de forma diminutiva consigo está tornando o amor-próprio menor,pelo simples facto de se considerar no mesmo patamar de apreço que um ser que não possui,quiçá,os seus méritos de receber tão nobre sentir.Em ambos os casos o amor foi menosprezado.

Além de que,avaliando-se a frase de Cristo e a própria consciência cristã,descobre-se que o amor deve ser universal segundo ambas.Nisto reside um rapace do Amor em prol de algo visivelmente inumano.

Se amares o teu pai e seus entes mais queridos como amas um total desconhecido estarás dissolvendo seu amor no todo.Seu amor deixa de ser algo estimado e caro para se tornar algo vulgar e barato.Qual seria o mérito de ser sua ou seu consorte,por exemplo,se todos tem o seu amor?O que de mágico e fantástico existe em seu amor se todos o tem em igual grau?

O Amor é seletivista por si.A partir de um sistema de avaliação e de medidas pessoais,o ser estabelece inconscientemente aquelas pessoas que são dignas deste sentir.É um processo Humano e natural.Selecionando poucos e sabendo dar o devido valor ao Amor,o ser fortalece este sentir e não o dilui ou se auto-engana com falso sentir.

A maior Busca Humana é pelo Equilíbrio.Caso o Amor seja dado a todos,entra-se em desequilíbrio pois está-se a ser injusto com as pessoas que realmente merecem seu sentir pois dá-o no mesmo grau para outrem que não o merece.

Caso o amor fosse empreendido para ser dado a todos não existiria,desde os tempos paleolíticos,o construir de círculos de amizade e família ou formação tribal.O Homem,precisa muito mais voltar as origens e adentrar na sua natureza Humana do que simplesmente tentar chegar a “novos patamares” como diz o cristianismo.A consciência de negar a própria Natureza e galgar degraus supostamente mais evoluídos gerou consciências reprimidas como a vista entre o povo germânico nas primeiras décadas do século XX,e que serviram de campo prolífico para o nazismo(“Consciência Wotan” como Carl Gustav Jung nomeou).

Amar não é desperdiçar nobilíssimo sentimento com ingratos,fracos,parasitas e desconhecidos.Invés disto dirija tal a quem merece:a quem conheces e a vosmicê mesmo(o único ser do qual pode-se ter plena certeza que merece todo este sentir).

Renascer Anticristão