Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Satanismo Textos Satânicos A Moralidade do Satanismo

A Moralidade do Satanismo

Tradução por Diabolus Shugara

Revisado em 124yf

moralidade

A essência da moralidade satânica – desde como o individuo Satanista é interessado – pode ser simplesmente expressa: um Satanista faz uma avaliação dos outros, julgando eles, e então decide se esses outros, em uma base individual, são vitimas convenientes. Se eles são convenientes, como vitimas, então o Satanista atua de acordo – e.g. manipulando eles, usando eles e outros. O julgamento é baseado no caráter – i.e. a pessoa que está sendo julgada possui um caráter fraco? Eles são escória, indignos? Se eles são julgados serem, pelo individuo Satanista, então eles são sujeitos convenientes.

É uma das metas do treinamento Satânico é cultivar julgamento Satânico em um nível individual. Entretanto, deve ser notado que há duas formas de julgamento Satânico – o pessoal, e o aeonico. O aeonico é um refinamento do pessoal, a pessoa sendo julgada não somente por seu caráter mas também por aeonicas, em termos de sua utilidade no alcance de metas sinistras de acordo com a dialética sinistra da história. Esse MS tem relação com o tipo pessoal de julgamento – outros MSS tratam do segundo tipo.

O cultivo de julgamento Satânico – a avaliação de outros – é uma qualidade essencial, e uma que o Adepto Satânico deve possuir. Esse cultivo é basicamente uma experiência de aprendizagem – às vezes, o noviço comete um erro, mas aprende com isso. Uma vez que um julgamento for feito a respeito de outra pessoa ou pessoas (e com experiência, isso se torna instintivo) o Satanista pode atuar cruelmente, se ação é necessária ou requerida – e.g. para alcançar um objetivo pessoal ou ajudar a dialética. O ato ou atos podem e envolvem o que outros [a fraca maioria] consideram atos imorais e/ou mal.

Algum caso dos arquivos secretos dos membros ilustrará melhor a moralidade Satânica, ainda que deva ser lembrado que esses (com uma exceção) representam o estagio de noviço de desenvolvimento Satânico. Como tal, eles representam primariamente uma experiência de aprendizado para o noviço Satânico em particular envolvido, ainda que tais ações frequentemente ajudem o sinistro em geral (como no primeiro exemplo).

(a) Um homem jovem deseja experimentar alguns dos prazeres da vida e então procura dinheiro para capacitá-lo para alcançar isso. Ele decide se envolver com o que é chamado ‘comércio de drogas’ – suprindo varias drogas para outros. Ele julga, muito corretamente a partir de um ponto de vista Satânico, que aqueles que usam tais coisas ou necessitam e tais coisas porque eles são viciados, são fracos – eles fizeram sua escolha. Eles são vitimas naturais da vida, e mostram por sua própria escolha e ações que eles são basicamente indignos. Nosso jovem noviço julga que se os usuários de drogas não tem a força de caráter para resistir de usar tais coisas, ou se eles se tornam viciados, eles são fracassados – uma cobrança Satânica muito obvia.

Consequentemente, ele faz contatos e após um tempo tem um negócio muito lucrativo. Assim, ele está hábil para indulgência na maioria dos prazeres da vida e então ajudar sua educação Satânica. Naturalmente, como um Satanista, ele é astuto e cuidadoso em seu negócio – ele é somente um meio para um fim. Além disso, ele está ciente que ajudando certas coisas, ele está promovendo o sinistro em geral – ajudando a dialética separando as ovelhas, e enfraquecendo a sociedade e talvez criando oposição e assim mudança criativa.

(b) Uma jovem noviça, recentemente mudada para uma nova cidade, encontra sua qualidade de vida destruída por vizinhos grosseiros e inquietos. Ela os taxa como escória. Sua primeira ação é tentar falar com eles – mas esse é um gesto que ela sabe que é provavelmente inútil. Ele é, mas ele condena seus vizinhos. Ela os ataca com magicka – querendo causar doença, ruptura, talvez uma morte. Isso tem algum efeito, mas não soluciona o problema [como acontece frequentemente na vida real quando noviços empregam magicka]. Então ela decide por uma ação mais drástica. Ela procura um parceiro conveniente, que ela atrai com sua malicia Satânica e usando sua sexualidade. Esse homem uma verdadeira pessoa desprazível e tem alguns amigos levemente menos desprezíveis. Nossa noviça é cuidadosa para não deixar seus vizinhos saberem de seu envolvimento – seu novo parceiro e amigos importunam seus inimigos continuamente, usando suas próprias táticas. Há algumas lutas, uns poucos ‘acidentes’ com a casa, o carros do lado de fora, e outros. Não é muito antes que seus inimigos decidam que tem tido o bastante e se mudam (um deles foi hospitalizado).

Essencialmente, a noviça controlou a situação, de inicio – ela usou e controlou outros, por meios Satânicos, para alcançar sua meta após fazer julgamentos.

(c) Um homem chegando a meia-idade, iniciado a um ano, conduz um pequeno negócio. Ele quer alcançar mais sucesso. Há uma firma rival – o proprietário é um típico homem de negócio arrogante, sem caráter que está tentando provocar o noviço e passar por cima do seu negócio. Então nosso noviço decide atuar – ele taxa seu rival como uma vitima conveniente. Essa taxação também inclui a esposa e a jovem filha do homem, os quais nosso noviço julga serem obnóxios, tendo experiência dos seus modos. Todos foram julgados e condenados por suas ações. Nosso noviço seduz a esposa do rival – e então sua filha, usando varias habilidades Satânicas e astúcias para alcançar isso. Ele então apresenta a filha para algumas pessoas, que mexem com drogas e prostituição – ela parece maliciosa o suficiente, e está logo envolvida com a ‘turma’, usando drogas e geralmente se comportando mal. Fotografias comprometedoras são tiradas e ela se vicia em drogas. Ela começa a roubar para pagar por seus hábitos, e então prostituição. Ela é presa. Isso distrai o pai dela. Nosso noviço infiltra algumas pessoas na firma de seu rival e eles criam alguma desordem – perdendo arquivos, perdendo alguns negócios, arruinando o quadro de funcionários. A esposa do seu rival é apresentada para outro, aparentemente homem romântico, e ela se rende ao seu encanto. Eles têm um breve caso. Mas ele a despreza [isso é tudo planejado pelo nosso noviço]. Ela começa a beber e tenta cometer suicídio.

Tudo isso se prova muito para o rival – seu negócio declina. Nosso noviço faz uma oferta, que é aceita. Então seu objetivo foi alcançado, por algum custo humano. Mas isso não causa abalo em nosso noviço – as vitimas foram vitimas de si mesmos, de suas próprias fraquezas.

(d) Uma Senhora da Terra que conduz um Templo de sucesso por muitos anos, deseja um opfer. Há um candidato a Iniciação que ela sente que pode ser conveniente – ele tem certos desejos que ele acha difícil de controlar, e mais propriamente um caráter fraco. Ela arranja para ele encontrar algumas pessoas envolvidas em distribuição de pornografia. Logo, ele está profundamente envolvido em certas coisas, de sua própria livre escolha. Ela dá a ele varias chances para fazer alguma coisa por causa de si mesmo, mas ele não as aproveita. Ela arranja vários testes para provar seu caráter – e ele falha em todos. Ela o avisa, mas ele finalmente rompe com ela e o Templo dela, cheio de auto-ilusão sobre suas habilidades. Assim, ele se torna um opfer em potencial...

 

Todos os exemplos (na maioria triviais) ilustram moralidade Satânica em ação em nível individual – i.e. eles tem relação com julgamento e com o Satanista atuando sobre esse julgamento para alcançar algum objetivo pratico que eles desejam. Isso é um aprendizado, uma expressão das forças sombrias presenciadas na Terra por atos Satânicos individuais, e assim a feitura, ou destruição, de noviços Satânicos e disso a criação de Adeptos Satânicos.

As ilustrações devem servir para mostrar que tal moralidade é individual, é única para o individuo Satanista.