Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Sociedades Secretas & Conspirações Textos Conspiracionais Nazi-Esoterismo: crenças e Magia no Reich de Hitler Nietzsche comentado e dispensando comentários

Nietzsche comentado e dispensando comentários

nietzsche.jpgA lógica filosófica é um território de movediças miragens, todas suficientemente verossímeis, o bastante para sustentar os sofistas, criadores de argumentos bem arrumados porém contestáveis e passíveis de completa desconstrução. Afinal, esse era o deleite peripatético dos filósofos gregos: discutir e discutir com toda a elegância trocando réplicas e caríci... digo, contradições em seus longos passeios pelos jardins atenienses. No caso de Nietzsche, não se pode dizer, com justiça, que suas idéias foram manipuladas ou editadas pelos nazistas. Aqui, alguns trechos do pensamento deste filósofo que, certamente, [quisesse ou não o homem do bigode portentoso], devem ter inspirado os jovens futuros carrascos nazistas alemães na hora de empurrar, sem culpa, os judeus para dentro da sauninha de gás letal.
 
Para a Genealogia da Moral ─ trechos & comentários
 
Imprime-se algo a fogo, para que permaneça na memória: somente o que não cessa de fazer mal permanece na memória. [É uma afirmação contestável, mas segundo Nietzsche] ...eis uma proposição mestra da mais antiga de todas as psicologias sobre a terra [NIETZSCHE, 1978 ─ p 304].
COMENTÁRIO: Piaget discordaria. A estratégia de uso da recompensa e, portanto do prazer, é indispensável, tanto quanto o desprazer ou dor,  nos processos de adestramento dos animais e no conjunto de didáticas utilizadas na educação de pessoas.
 
Nunca nada se passou sem sangue, martírio, sacrifício, quando o homem achou necessário fazer uma memória [como a Aliança de Abraão com seu deus, por exemplo]; os arrepiantes sacrifícios e penhores, entre os quais o sacrifício do primogênito [que muitos cristãos entregaram ao sacerdócio, outro exemplo], as mais repugnantes mutilações [como as castrações], as mais cruéis formas de rituais de todos os cultos religiosos [e todas as religiões são, em seu fundamento último, sistemas de crueldades]... [p 304]

COMENTÁRIO: Os Vril-Thulistas esqueceram esta passagem, especialmente Sr. Eckart que, segundo os indícios históricos, apreciava sangrias. As filosofias evocadas para sustentar uma ideologia e suas práticas são, freqüentemente, controversas, inexplicáveis, incoerentes entre si ou simplesmente deturpadas, distorcidas em favor do objetivo daqueles que são especialistas em manipular idéias.
 
Vejam-se os tempos de um povo em que o erudito passa ao primeiro plano: são tempos de cansaço, muitas vezes, de anoitecer, de ocaso ─ a força transbordante, a certeza da vida, a certeza do futuro, se foram. A preponderância do mandarim [no sentido de funcionários públicos ao modo republicano, elegíveis, de mandato temporário] nunca significa algo de bom: como tão pouco o surto da democracia, do tribunal de paz em lugar da guerra, da igualdade de direito das mulheres, da religião e da compaixão e de tudo mais que há de sintomas de vida que afunda. [321]

COMENTÁRIO: Em 1871, Sir Edward George Earle Lytton Bulwer-Lytton [1803-1873], inglês, 1º Barão de Lytton, publicou The Comming Race, um dos livros mais citados quando se fala da literatura que influenciou os ocultistas nazistas. A associação que Nietzsche faz entre decadência de um povo e democracia ─ ou democracia como sintoma de decadência é semelhante se não, idêntica, à forma como a democracia apresentada no conceito da civilização Vril-Ya, a raça subterrânea que vai nos suplantar na ficção de Bulwer-Lytton [veja resumo de The Comming Race neste site]. Note-se que o ensaio de Nietzsche, de 1888, é posterior ao livro de Bulwer-Lytton.

Anticristo ─ trechos
 
Denomina-se o cristianismo a religião da compaixão. ...{a compaixão] tem efeito depressivo. Perde-se força quando se compadece... Com a compaixão... o padecer mesmo se torna contagioso. ...A compaixão conserva o que está maduro para sucumbir [os velhos e moribundos em geral], arma-se em favor dos deserdados e condenados da vida e da multidão de malogrados de toda espécie... Este instinto depressivo e contagioso é... multiplicador da miséria... conservador de todo o miserável... instrumento capital para a intensificação da décadence... Aristóteles, como se sabe, via na compaixão um estado doentio e perigoso, que seria bom tratar... com um purgativo; entendia a tragédia como purgativo.
 
[O deus do cristianismo católico-luterano é um] ...deus dos fisiologicamente regredidos [degenerados], dos fracos. [Mas]... não chamam a si mesmo de fracos, chamam-se os bons... [O deus dos fracos é] ...uma tábua de salvação para todos os que se afogam... deus dos pobres, deus dos pecadores, deus dos doentes par excellence... Com isso  o Reino de Deus se tornou maior... Mas o deus do grande número, o democrata entre os deuses...permaneceu o deus do rincão, o deus de todas as esquinas e lugares escuros, de todos os quarteirões insalubres do mundo inteiro!... É um reino do submundo.. um reino do ghetto [aqui Nietzsche fala claramente dos judeus] ...
 
O veneno da doutrina direitos iguais para todos ─ foi o cristianismo que mais fundamentalmente o disseminou... O cristianismo é um levante de tudo o que rasteja no chão contra Aquilo que tem altura...
 
Estamos entre judeus... O disfarçar-se de santo... Isso requer raça. No cristianismo, como arte de mentir santamente, o judaísmo inteiro... chega a sua última maestria. O cristão... é o judeu mais uma vez.
 
Pode-se estabelecer entre cristão e anarquista uma perfeita equação:sua finalidade, seu instinto visa somente à destruição. [Foi o que aconteceu império romano]... Aquilo que se erguia aere perennius, o imperium Romanum, a mais grandiosa forma de organização sob condições difíceis que até agora foi alcançada... aqueles santos anarquistas [os cristãos] [destruíram]... até que não restasse pedra sobre pedra.Até mesmo os germanos e outros rústicos puderam tornar-se senhores sobre ele...
 
O cristão e o anarquista: ambos décadents, ambos ineptos para atuar de outro modo, a não ser dissolvendo, envenenando... sugando sangue... O cristianismo foi o vampiro do imperium Romanum... [Aquela] organização firme o bastante para suportar maus césares ... não [foi] firme o bastante contra a mais corrupta espécie de corrupção, contra o cristão... esse verme... [cristãos]... esse bando covarde, feminino e açucarado [com seus] ...carolas, [com] a clandestinidade de conventículos, conceitos sombrios como inferno, sacrifício de inocentes, a unio mystica [união mística] no beber sangue... É a vingança de chandala [dos párias, da plebe, dos inferiores]...

Nazi-Esoterismo: Crenças e Magia no Reich de Hitler