Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Thelema Textos Thelemitas Programa de Construção e Princípios Orientadores dos Neocristãos Gnósticos O.T.O. 1920

Programa de Construção e Princípios Orientadores dos Neocristãos Gnósticos O.T.O. 1920

reuss_t.jpgtradução - Soror H.L.S.F.

ATENÇÃO!

O programa de construção abaixo só poderá ser levado a cabo através de meios pacíficos de desenvolvimento social, e jamais através de revolução violenta.

O dirigente da Comunidade O.T.O.

PRINCÍPIOS ORIENTADORES DE UMA NOVA CIVILIZAÇÃO E UMA NOVA ORGANIZAÇÃO

A humanidade, torturada pela Guerra Mundial, necessita de uma nova fé, um novo Cristianismo, e uma nova civilização sobre ele construída.

O simples fato de que a tão aclamada civilização européia e a Igreja Cristã não foram capazes de impedir as crueldades desta Guerra Mundial, ou a ganância e ódio da paz que deveria ter acabado com ela, já é prova suficiente de que o Cristianismo, assim como é hoje, bem como a civilização por ele engendrada, não podem mais continuar existindo, e devem ser substituídos por um novo Cristianismo e uma nova civilização.

Mas a humanidade exige uma nova fé. Porque a antiga crença em Deus, que fluía dos ensinamentos cristãos fermentados pelos Anciãos da Igreja, tornou-se, para a grande maioria dos membros da Igreja Cristã, apenas um conto de fadas, por não ter sido capaz de suportar a crítica mordaz da ciência moderna. (A crença na humanidade - crença na fraternidade - foi mais destruída mais pela paz de Versailles do que pelos próprios acontecimentos.) Pois os fazedores da paz de Versailles engodaram os povos da América e da Europa para que entrassem na arena através do slogan “Pela Liberdade e Humanidade; Pela Justiça e Igualdade”, a fim de fazer uma cruzada de luta contra o Imperialismo da barbárie alemã. E, no fim, Clemenceau e Lloyd George exploraram a ingenuidade do alemão Michel, que confiou nas promessas traidoras e cheias de glamour dos líderes do Entente, segundo as quais apenas o imperialismo de Hohenzollern era para ser exterminado, e não o povo alemão, e que luta e resistência finalmente estavam findas, a fim de que se erigisse o imperialismo mundial anglo-francês sobre o enganado e escravizado povo alemão.

Para seu azar, porém, Clemenceau e Lloyd George também destruíram em seus aliados, através das maquinações de Versailles, toda a fé na humanidade e fraternidade, de modo que milhões de pessoas, tanto vitoriosos e quanto derrotados, perderam completamente a fé em Deus e no homem.

A Comunidade dos Neocristãos Gnósticos, de abreviação O.T.O., que mesmo antes da guerra já possuía inúmeros adeptos nos Estados Unidos, Holanda, Boêmia, França, Rússia, Itália, etc., sai agora da posição de reserva que cultivou até agora para trazer, à torturada humanidade, as Boas Novas dos Cristãos Gnósticos, e a nova civilização que deles brota.

A Mensagem da O.T.O. é:

Liberdade, Justiça e Amor.

A Liberdade da O.T.O. é a liberação do pecado original, e a liberdade de executar a Vontade de Deus. O Liber Legis diz: “Faze o que queres”. Mas também afirma: Lembra-te, porém, que terás que prestar contas por todos os atos! Esta é a lei do Karma.

De modo que a “verdadeira liberdade” não é um comportamento voluntarioso e sem restrição, mas sim uma estrita disciplina.

A liberdade da O.T.O. é uma autocultura maior, uma autodisciplina de ferro. Toda liberdade que não for controlada por estrita autodisciplina é libertina, voluntariosa, ilegal, e conduz ao Caos.

“Faze o que tu queres” tampouco é, de maneira alguma, o mesmo que “Faze o que tu gostas”, mas “Faze o que é tua Vontade, mas veja se tua vontade é também a vontade de Deus.” Você pode colocar sua vontade em prática apenas quando ela está de acordo com a “Vontade de Deus”. E, ainda assim, com uma intensa concentração.

A justiça é o segundo princípio, e refere-se ao propósito da vida do homem sobre a terra e o destino do homem mortal. O propósito da existência do homem na terra é: devoção fiel ao dever. Seja bem nascido ou não, educado ou não, seja trabalhador braçal, camponês, artesão, professor, juiz, comerciante, artista ou rei, etc. - absolutamente todo mundo deve cumprir com seu dever ao máximo de sua capacidade, não importa o que tenha o destino lhe concedido. Este é seu propósito, o cumprimento da lei de Deus, da Justiça. Tudo é Lei no Universo. A vida na terra também está sujeita a ela. Aquele que permitir que seus pensamentos amadureçam dentro de si mesmo até às possibilidades máximas, encontrará a solução para muitas questões que o preocupam. A frase é dura, mas a verdade é sempre dura, e inclui o dever que cada um tem de trabalhar.

Só o amor é lindo, de uma beleza entusiástica, e “Amor é a maior das leis, amor sob o controle da Vontade!” - Amor é a recompensa de vencer o eu, a base de toda a fraternidade, a fonte de força para a devoção ao dever; Ele faz com que aceitemos a dura verdade, guia-nos à consciente união com Deus, e permite que nos aproximemos de Deus durante esta vida na terra, e que verdadeiramente experimentemos uma “união com Deus”.

O Mestre Therion diz: O ato do amor, consumado com transbordante energia, sob o controle da Vontade, é o “Ato de Deus”, um “ato sacramental”, é “Em-Deus-Com-Deus-Em-Unicidade”. O homem a quem foi concedido uma união com Deus, sob o controle da Vontade, o ato-amor santo e sacramental, é um canal para a divindade. O Liber Legis, contudo, diz: “Ainda que muito se diga sobre a lei do Amor maior, do amor entusiástico, submisso, longânime, fogoso, ardente, transbordante, nada se diz sobre o amor sentimental.” Isto também precisa amadurecer dentro de nós mesmos. Porque os resultados podem ser vistos em 1000 canais da vida terrena diária; eles contribuem para embelezá-la, constroem uma ponte em direção à Arte. Somente o Amor faz a vida ser suportável, a Vida - de outra maneira tão fria, tantas vezes cruel.

Os princípios acima citados, e as conjecturas que deles se extraem, foram concentrados pela O.T.O. nos cânones fundamentais de crença que se seguem: “Deus e o mundo (tanto Visível quanto Invisível) formam um reino ilimitado e que tudo-abrangente, o Universo, que consiste da energia primal consciente (ou potência criativa), a força positiva, e a substância primal inconsciente (a matriz - matrix - ou óvulo do mundo), a força negativa, que cria união de pensamento (criação primal), novos mundos com eles, e atrai ou cria criaturas de princípios similares. A semelhança dos seres criados com Deus mostra-se pelo fato de que eles também possuem a potência criativa primal. A potência é, para a criatura, a prova inata de que ela descende de Deus, o criador original.

É neste sentido que devemos entender as palavras da Bíblia: e Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus Ele os criou.

Para que se encontre a verdadeira e completa solução para a charada-do-mundo, deve-se deixar de lado a distinção comum, mas fundamentalmente errada, entre Espírito, Alma e Matéria. Deve-se ver a Alma apenas como algo “espiritual” (um agente espiritual) que existe desde o princípio dos tempos como sensação primal, no ato primal da criação. Esta sensação primal do homem é o desejo da parte separada de se reunir ao princípio matriz (daí o religere e religião). Pois o homem não consegue compreender a Deus através de seu intelecto, mas apenas consegue senti-lo através da alma (“No coração”, alguém disse, ainda que seja o sistema nervoso simpático que carrega a sensação), a qual, após a morte física, retorna a Deus. Sem a sensação primal não haveria nem criação, nem criaturas.”{Esta passagem foi publicada por Reuss como A Charada-do-Mundo de Hächel e Nossa Ordem, em 1913}

Para a execução dos princípios acima citados, a Ordem procura estabelecer comunidades de pessoas livres do pecado (livres do pecado original eclesiástico-cristão), fundadas nos princípios de cooperativa. Para a criação de tais comunidades, apenas estariam aptas as pessoas que estiverem convencidas da existência de uma alma que no permite chegar próximos à semelhança de Deus; pessoas que compreenderam que a ação egoísta é fonte de todos os males humanos, e que preparamos durante esta vida na terra o nosso lote para depois da morte, de acordo com a lei do Karma; pessoas que estão cheias da verdade dos pronunciamentos do Homem: “Somente aquele que compreendeu a doutrina sagrada da santidade dos órgãos de Deus é verdadeiramente livre e liberto de todo pecado.” Libertação do pecado original é a “verdadeira liberdade”. Desejamos também constituir uma comunidade de pessoas (sexualmente) livres, que estão livres do pecado (sexual). Desejamos criar homens que não precisem se envergonhar de seus órgãos criativos.

Devido ao fato de que a civilização cristã ainda reina hoje em dia, esta tentativa encontrará grandes dificuldades, mas já houve um começo, e foi bem sucedido dentro de um pequeno círculo. Em larga escala, tal tentativa será finalmente bem sucedida apenas quando se criar uma nova geração desde pequena de acordo com os princípios do novo código moral.

Os jovens devem, desde a mais tenra infância, ver os órgãos sexuais como algo santo. Logo que a mãe notar o aparecimento das forças sexuais, suas funções devem ser explicadas a meninos e meninas como “atos santos”. Desde os primeiros anos, os pais devem ensinar estas doutrinas da maneira mais natural possível. E, na escola, ao invés dos professores de religião de agora, médicos e médicas exercerão o ofício sacerdotal, e ensinarão as doutrinas com bases científicas, como “ensinamentos para esta vida”. Sobre a fundação colocada por estes médicos (médicos sacerdotes), os médicos da alma (sacerdotes espirituais) fornecerão os “ensinamentos para a Próxima vida”.

Hoje em dia ocorre o oposto. Desde pequeninas, empanturram-se as crianças com ensinamentos do além e fábulas religiosas que caem por terra ao crescer a criança, porque o adulto descobre que nada daquilo representa fatos. Esta descoberta tardia produz uma batalha nas pessoas em desenvolvimento, o que provoca uma quantidade enorme de sofrimento e desgraça em todos aqueles que foram enganados assim. Pessoas menos avançadas se tornam mentirosas e hipócritas, o que encoraja catástrofes morais, e as conseqüências são essas que presenciamos no fim da guerra. Uma nova moral se tornou, portanto, necessária. No futuro, sob a supervisão dos pais, o sacerdote-médico ensinará às crianças, desde a mais tenra idade, que os órgãos sexuais são santos, e que precisam ser particularmente cuidados e protegidos, porque, em atos mais tarde praticados pelos mesmos, Deus se manifestará ao Homem. Pois o Ato praticado com estes órgãos é, aqui na terra, uma réplica do ato original de criação praticado por Deus, no qual Ele se revelou a nós, trabalha através de nós, e, em sua execução, nós renovamos constantemente nossa união com Ele, e criamos, de acordo com Sua vontade e comando, novos seres “à sua imagem”.

Uma juventude criada de acordo com tais princípios não apenas estará fortalecida e protegida contra a utilização errônea dos órgãos sexuais, mas também começará, desde pequena, a compreender a Deus e crer Nele, porque reconhecerão no ato criativo o elo entre Ele e o Homem, percebendo ser esta sua conexão com a divindade. Uma crença assim ensinada será firme e maravilhosa a ponto de transportar montes.

PLANO PARA UMA COMUNIDADE NEOCRISTÃ

Os princípios básicos do programa de construção dos Templários Gnósticos e Neocristãos (O.T.O.) foram condensados no seguinte ensaio como um prático programa político:

Pessoas da mesma língua e raça formam uma comunidade fechada de povos (O Estado). Toda labuta, todos os meios de produção, todos os recursos naturais (tais como carvão, ferro, etc.), toda exploração de larga escala de produtos naturais (tais como agricultura de larga escala, vinícola, etc), todo transporte público (estradas de ferro, transporte de cargas), todas instituições do bem-estar público, comércio, escolas, comunicações (tais como serviços postais, telégrafo, hospitais, orfanatos, escolas, museus, institutos de arte), todo capital disponível em papel ou dinheiro vivo, que exceda o valor de, digamos, 10.000 marcos, é de propriedade comum a todos os membros do povo.

Na Inglaterra alguém chamou isto de “nacionalização da propriedade”. Propriedade privada fica em princípio abolida, mas todos os membros responsáveis da comunidade podem reivindicar, como propriedade pessoal, tudo o que ele ou ela adquirir através de seu trabalho, para uso pessoal. (Isto inclui roupas, livros, utensílios domésticos, mas exclui objetos de luxo, coisas feitas de ouro, jóias, etc.) Ele pode também possuir, durante esta vida, um pequeno lote de terra arável, loteada a ele ou ela para fins de construção ou plantio.

Não é permitido dinheiro vivo dentro da comunidade. Não é permitido a membro algum da comunidade possuir dinheiro ou valores de mais de 10.000 marcos, e estes também retornam à comunidade após a sua morte. Não se permite a ninguém possuir quaisquer valores com dividendos. Estes, quando presentes na comunidade, são de propriedade comum, para o benefício do estado, como, por exemplo, para comércio com outras comunidades (estrangeiras) do povo.

Todos os membros da comunidade - homem ou mulher - acima de 18 anos têm a obrigação de trabalhar diariamente, de acordo com sua capacidade, para a riqueza da comunidade do povo. Um jurado de co-trabalhadores, com dois membros escolhidos pelo acusado, decidirá, em casos de dúvida, o que este “de acordo com sua capacidade” significa, quando a pessoa proteste contra o trabalho a ela loteado.

O trabalho a ser feito para a comunidade não excederá a 36 horas por semana. O salário de tal trabalho será creditado, pelo executivo da comunidade, na conta comum da mesma, a cada trabalhador.

Em troca do cumprimento do dever de trabalho, a comunidade garante manter todos os membros da comunidade, a fim de que eles fiquem livres de custosos e controlados (racionados) meios de sobrevivência, ficando grátis a moradia, aquecimento, luz, racionamento de roupa, instrução, cuidados médicos, educação infantil, diversão, como teatro, música, arte, etc., e o funeral.

Todas as pessoas com mais de 60 anos, bem como os doentes e os permanentemente inválidos, estão isentos do dever de trabalhar, mas recebem as mesmas vantagens dos demais.

O direito à herança fica, em princípio, abolido. Apenas objetos móveis de uso pessoal, com um valor menor que 10 marcos, podem ser deixados pelos pais como herança aos seus próprios filhos.

O comércio de larga escala, especialmente com países estrangeiros e a indústria (exceto para pequenas produções manuais) são feitas por conta da comunidade.

Todos os trabalhos de Arte são propriedade da comunidade. A fim de encorajar a que se faça o melhor possível, seja no campo do artesanato, comércio, indústria, arte, agricultura, pecuária, cuidados domésticos, etc., ou em qualquer outro tipo de trabalho, instituem-se festas anuais de premiação aos que atuarem melhor durante o ano, quando os mesmos serão publicamente elogiados, recebendo uma coroa de louro e uma recompensa. O valor do prêmio consiste de valores reais e ideais. Todos os que ganharem prêmios serão nomeados como juízes no próximo ano. Eles também terão preferência, por exemplo, em viagens de divertimento (as quais são proibidas - fora do país - para todos os demais membros da comunidade, para que se encorajem hábitos sedentários). Viagens de pesquisa serão feitas constantemente, pagas pela comunidade, mas apenas pessoas premiadas serão escolhidas para as mesmas.

Todos os anos, o povo (todos os homens e mulheres de mais de 20 anos) elege um conselho executivo que deve lidar com os negócios da comunidade. Este conselho recebe a ajuda de especialistas, subordinados a ele, em toda espécie de trabalho, os quais são eleitos por eleição direta cada sete anos. É permitida a re-eleição. A ordem no interior é preservada por um corpo (de vigilantes da cidade, da comunidade e do campo) eleito pela comunidade. Para a proteção exterior, todos os homens e mulheres precisam colocar sua pessoa à disposição da comunidade. Para isto, precisam passar, a partir dos 17 anos, por um treinamento anual durando 6 meses no primeiro ano, dois meses quando fazem 18, e, daí por diante, por um reforço anual de 15 dias.

Todos os processos legais são grátis.

Pessoas que molestam a lei com reclamações sem motivos, fazem acusações falsas ou juramentos falsos, cometem assassinatos ou roubos, etc, serão punidas com trabalhos forçados publicamente desonrosos. A lei pública estará a cargo e será pronunciada por juízes eleitos pelo povo.

Todo relacionamento entre o homem e a mulher será visto como casamento. A criança recebe o sobrenome da mãe. Todas as crianças são cuidadas pela comunidade. Se for o caso, a criança menor de 6 anos pode ser criada em casa pela mãe. Todos os homens, mulheres, meninos e menina com mais de 14 anos passarão por exames regulares feitos pelos delegados médicos do comitê superior de saúde pública. As pessoas (homens ou mulheres) consideradas, pelo comitê superior de saúde pública, como incapazes de produzir filhos saudáveis, não terão permissão de se casar. Pessoas que produzem filhos apesar deste decreto serão punidos com trabalho público forçado.

A religião será um assunto privado, mas, já que a Igreja Cristã reinante, construída sobre as doutrinas dos Anciãos da Igreja, abandonaram as puras doutrinas do Cristianismo original, e provaram ser absolutamente incapazes de diminuir, mesmo um pouco que fosse, a baixa crueldade animal de seus aparentemente mais zelosos adeptos, o Estado dará suporte e encorajará o culto do Cristianismo original reavivado (a Comunidade dos Neocristãos Gnósticos).

Por THEODORE REUSS