Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Vampirismo Vampirismo Astral Manual Prático do Vampirismo Como Suspeitar e Reconhecer um Vampiro

Como Suspeitar e Reconhecer um Vampiro

O vampiro é um ser eminentemente noturno, pois é nesse período que os canais de transferência energética estão livres para que o mal transite livremente. Por isso dificilmente uma pessoa que desperta com o sol e repousa durante a noite terá poder para beber da fonte da eternidade. O sol cria a vida, mas da mesma forma a consome, garantindo o ciclo do planeta o qual habita. Os seres que vivem sob sua influência trabalham, e no suor se exaurem, morrendo um pouco a cada dia. Por isso, os vampiros fogem dos seus raios, pois sabem que eles tornam sua existência carnal temporal. Por isso, escolheu a noite para viver, nesse período pode estudar os meios que lhe garantem a eternidade. É comum ver pessoas que saem somente à noite, que evitam o contato com o sol e quando o fazem se protegem com óculos escuros para que sua pupila não se influencie com as cores do brilho solar. Na casa de um vampiro as luzes ficam acesas até altas horas da madrugada e só se apagam com o desaparecimento da estrela da manhã. Dorme enquanto os outros seres trabalham para garantirem a sobrevivência.

Seus hábitos são diferentes das pessoas comuns, gostam de comer carne crua ou quase crua, são estudiosos e prolixos quando assim desejam seduzir alguém ou conseguir alguma vantagem. Possuem um aguçado sentido para saberem quando estão em perigo e são rápidos para escaparem das ciladas que são armadas no seu caminho. Também sabem o momento certo de aparecerem num determinado local e também o momento de desaparecerem quando assim lhes convier. Gostam de conversar olhando fixamente seu interlocutor, para poder enxergar um pouco além da massa que reveste o corpo. Gostam de beber álcool, mais jamais são vistos embriagados.

Além disso possuem um desejo cego pelo poder, para que através dele possam propagar o vírus que carregam, reduzindo a existência daqueles que se interpõe em seu caminho. Para manter aquilo que possuem, precisam de escravos que os obedeçam cegamente, ao ponto de se sacrificarem em seu nome. Normalmente, os vampiros são descendentes de famílias tradicionais, e possuem uma enorme abastança financeira, para investirem na manutenção do poder. Exercem influência nos meios políticos dos países onde vivem através de infiltrações ilícitas. O Conde romeno Vlad Dracul conseguiu dominar um vasto império na Europa Oriental, vencendo batalhas com a ajuda de legiões demoníacas. Numa dessas batalhas voltou completamente só e foi recebido pelo povo de Budapest como verdadeiro herói. A cidade resolveu então homenagea-lo, coroando-o no lugar do jovem príncipe morto em campanha. Mas, no momento em que o arcebispo preparava-se para colocar a coroa na sua cabeça dentro da catedral, sucumbiu diante do grande número de símbolos sagrados que o cercavam. Isso levantou a desconfiança dos religiosos, que acabaram por descobrir depois de muitos anos, que estavam sendo governados por um nosferatu, afilhado direto das hordas satânicas sequiosas pela dominação do espírito humano.

O nomadismo é outra característica comum aos mortos-vivos, porque depois de semearem a destruição pelos lugares onde passam, despertam a desconfiança da população, recebendo represálias. Por isso, mudam-se constantemente de cidade e de país. Isso explica a afinidade entre ele e os ciganos. O maior problema que encontra para a sua locomoção é o fato de Ter de carregar junto de si sempre quantidade de terra extraída do local de onde nasceu. Seu corpo terá que repousar sob essa terra para poder encontrar forças para sua peregrinação noturna. Durante seu trajeto permanece dentro de caixão como morto para libertar-se somente na chegada do destino. Então, bendito seja Deus para proteger aqueles que por acaso estiverem no caminho do seu destino.

Manual Prático do Vampirismo