Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Vampirismo Vampirismo Astral Sobre Predação

Sobre Predação

leaoA base de todo o vampirismo é, a capacidade de perceber, quem é escravizado e quem é o mestre.Todas as relações humanas são assim, são desta forma, se baseiam, em quem come quem, e quem se dá de alimento pra quem. O vampiro toma o ponto inicial de, maximizar a as relações de dominador, e minimizar todas em que ele for presa. 

Todo tipo de relacionamento humano, seja no trabalho, faculdade, amigos, namoro.. Todos eles se baseiam em dominação. Alguns são mais explícitos, outros, indiretos, ou fortemente maquiados, mas não deixam de ser ainda, dominador e dominado. O vampiro parte do principio, em que, ele busca, diminuir, tudo que escraviza ele. O próprio mito do vampiro é assim, dar-se á para receber. A diferença, o foco, é, o quanto você dará e o quanto receberá em troca.

O praticante deve, procurar dar o mínimo de si, e retirar o Maximo alheio. Auto preservação, domínio, Controle – o vampirismo é uma busca por controle, a própria experiência vampírica assume o controle como ponto de partida em tudo no Caminho. Para ter controle, precisa ter consciência. Precisa-se analisar cada evento, momento, situação pessoa, e buscar complementar os fatos, dando assim um novo rumo, controlar aquilo. Isso é o predador, o dominador. Esse é o ponto focal da relação vampírica em tudo.

De uma perspectiva mais maquiavélica, todo tipo de relacionamento é vampírico. Porem, se analisarmos mais profundamente, veremos que o aspecto vampírico de um relacionamento tende a vir mais Se houver uma vontade de dominar, de predar o outro. Do contrario, é uma ação inconsciente, sem controle. Vampirismo é Controle.

A  filosofia vampírica, quando aplicada a realidade nos leva a perceber, olhar o mundo sobre outra perspectiva, e ver, entender que estamos em um mundo humano. Entenda-se humano, por escravo natural, obediente, regrado. O vampiro não deve alterar o curso disso. A natureza da maior parte dos humanos é essa e esse é o ponto mais forte. As pessoas precisam se sentir fortes, não ser fortes. Elas precisam se sentir especiais, não serem especiais. Isso é o vampirismo, a sedução vampírica se principia nisso, em como você se porta perante alguém e como você age com essa pessoa. Sutileza sempre, o vampirismo se baseia na escuta, e numa fala moderada, aonde o vampiro, toma pra si, um novo aspecto da coisa, da própria pessoa, do próprio mundo. Encarar o mundo como um jogo, é o verdadeiro ponto de partida do vampirismo. Cada pessoa, uma peça.

Encarar o mundo como um objeto de prazer, tirando o melhor de cada coisa e descartando o restante. Útil e inútil são as palavras chaves aqui. Nada deve ser convertido, ninguém deve ser trazido para dentro da senda esquerda. As pessoas que naturalmente tiverem potencial para tal, serão chamadas para dentro das trevas. Há escravos naturais, e senhores naturais. O vampirismo ensina a aceitar as coisas como são, as pessoas como são, e usá-las para seus fins pessoais. O predador, só terá papel dominante se ele se colocar, como ponto focal de tudo. O universo só existe porque ele existe. As pessoas só existem para servi-lo. É esta megalomania prática, que quando aplicada, faz do vampiro, seu próprio dono, sua própria força, seu único motivo de consideração.

A base da pratica vampírica é fortalecimento do ego. Fortalecer quem Ele é, para depois ele comandar. Tudo, na vida se baseia em como você se trata, e em como você se impõe. A própria realidade nada mais é que um espelho da sua cabeça. As pessoas responderão de acordo com sua postura. O mundo reagirá de acordo com a sua postura. 

Por nenhum momento o medo de parecer arrogante, soberbo, deve tomar a cabeça do praticante. Ele deve sim, se colocar como uma força em movimento ao seu próprio favor.Ele deve direcionar outras pessoas á seu próprio favor. Tudo na cabeça do vampiro, deve se voltar para si. É um engano para o leigo, levar que o vampirismo é uma afirmação de si próprio, e exclusão da sociedade. Ele É isso, e não É. Tudo deve ser aplicado conforme cada situação, e existem horas que, o inverso, é o melhor caminho.
 
Quando Morbitvs Vividvs, colocou, “cui bono?” em seu manual satânico, ele mostrou ali, o ângulo que laça o satanismo e o vampirismo. As duas filosofias, que socialmente, são iguais, e vão se diferenciando, em suas praticas esotéricas.  Tudo é, na essência, “Quem Ganha?”, e tudo deve ser dessa forma também. 
A aplicação dessa forma de pensar, leva o praticante a rever valores pessoais, a analisar como ele se comporta, em cada momento da sua vida. Um potencial psicopático é sua meta no momento. Observando o comportamento humano, e se modificando de acordo, para que cada parte seja cumprida.Levando em consideração que existem situações que nada disso é necessário. Assim como existem que isso é vital. Procure não confundi-las.

Uma ponto interessante que, a comunhão vampírica, se torna a chave para obtenção dessa perda de humanidade e mente de predador. A comunhão é, em partes, convidar predadores reais, e adquirir deles, através de sua companhia, seus modos de agir, se comportar, e aplicá-los em si próprio. A comunhão constante levará o praticante á um estado em que as coisas vão perder o valor humano, e começar a ser observada por outro ângulo. A comunhão é, uma das praticas mais importantes quando o assunto é vampirismo. É nela aonde o predador de humanos se torna presa, e nela onde a presa vê como o predador dela se comporta, e a partir daí, ela começa a se comportar como ele. Tudo é comportamento. Tudo é modo de pensar. Ação vem dessa essência. 

A pratica de vampirização, de retirar vitalidade, só faz algum sentido se embasada nesse ponto. O vampiro precisa de um porque, e inicialmente, acumular para satisfazer os mortos vivos, é o porquê. Mais adiantes, ele entende outras razões, e usa a energia cumulada em outros fins. Se engana todos que vêem o vampirismo como apenas retirar a vitalidade, isso é parte do vampirismo, porem é algo comum, quem qualquer um pode fazer. O vampirismo, essencialmente é a mudança de postura do ser perante a realidade, a partir daí, buscar absorver da realidade tudo o que pode para seu prazer pessoal. A mudança de postura, de ver o mundo como um alimento, e daí, ele percebe que terá também que alimentar o mundo. Sangue por Sangue, então a questão principal, repito novamente, é minimizar o que você dá, e maximizar o que você recebe. 

E nem pense os neófitos, que o vampirismo é uma prática noturna, ou que devem se afastar do meio humano. É a via exatamente oposta. É no mundo humano que você quer viver, é aproveitar-se deles, teu desejo, é alimentar-se deles, tua pratica. O vampirismo só faz sentido quando se a vida é aproveitada. Alguns servirão apenas para te entreter, outros para fins mais pessoais, outros, para propósitos realmente materiais. No fundo, cada um vai servir. É para isso que o gado humano existe.

por Inkubus