Ir para o conteúdo. |

  • A Empresa
  • Apoie
  • Contato
  • Seções:
siga a estrada de tijolos amarelos: Yoga Fire Vaishkarana - Feitiçaria Indiana Kapalikas e Aghoris

Kapalikas e Aghoris

Kapila AghorisKapalikas

 

Uma das seitas de ascetas mais extrema proeminentes da Antiga índia. Os Kapalikas (Adoradores de Kapalim, o Portador do Crânio,um dos antigos nomes do Deus Shiva.) praticavam votos como beber licor,vinho,sangue e urina em um crânio humano; andavam nús, comiam fezes, carne dos mortos e se cobriam de cinzas. O Maitrayani Upanishad (VII,8) já mencionava os Kapalikas. Muitos tentam explicar as inscrições em templos e locais obscuros que descreviam os ascetas Kapalikas; como uma inscrição da primeira metade do séc. VII que nomeia o Deus Shiva como "Kapaleshvara". Eles se assemelhavam aos Tantra Vamacaris, mas as práticas impostas pelos Kapalikas eram bem mais radicais.


Há um episódio no "Prabodha Chandrodaya", cujo autor foi um Sannyasi chamado Krishnamishra que parece ter conhecido muito bem os Kapalikas: "Meu colar e ornamentos são de ossos humanos; eu moro entre as cinzas dos mortos e como minha comida em crânios humanos...Nós bebemos licor no crânio dos Brahmanis; nossos fogos sagrados são alimentados com os cérebros e os pulmões de homens mortos; nossas oferendas são para o Deus Bhairava (Shiva)... O poder de nossa Ordem é tal, que eu controlo Hari-Hara e a maioria dos Antigos Deuses; eu mudo o curso dos planetas nos céus; eu submerjo a Terra em água, com suas montanhas e cidades, eu bebo as águas novamente em um momento..."

 

Pouco se sabe a mais sobre os Kapalikas, pois sua origem ainda hoje é desconhecida e não sobraram muitos vestígios para que uma explicação mais detalhada fosse dada.

 

O certo é que muitos dos ritos e devoções dos Kapalikas, são seguidas, nos tempos modernos, pela seita de ascetas  chamados Aghoris ou Aghorapanthis.

 

Aghoris

 

As palavras Aghor, Aghori, Aughar, Kapalika, Avadhoota, significam literalmente "Nada é Terrível". Como é definido por uma seita atualmente pequena e bastante obscura da Índia, os Aghoris. Os Aghoris são os devotos shivaístas (devotos do Deus Shiva) mais extremos que existem, pois emulam as características mais sinistras do Deus Shiva, nas terríveis formas de Aghora,Bhairava, Bhuteshwara e Pashupati.

O abrigo dos Aghoris são os cemitérios(shmashna) e as criptas de cremação(ghats). Eles tomam banho de cinzas, usam guirlandas feitas de ossos e crânios humanos, ingerem todo o tipo de bebida alcoólica e drogas, bebem sangue humano, comem todo o tipo de carne(menos carne de cavalo), comem fezes e bebem urina, até mesmo de cachorro,mantém relações com prostitutas em menstruação e alguns ainda praticam canibalismo.

Um asceta Aghori cozinha sua comida na pira funerária onde ele também medita. A tigela de mendicância de um Aghori é um crânio humano masculino. Uma tanga,na maioria das vezes,é sua única vestimenta e ele cobre seu corpo com cinzas da pira funerária. Geralmente nômades, os Aghoris raramente frequentam um chão de cremação muito movimentado por muito tempo. Junto com a tigela de crânio, eles levam frequentemente um sino enquanto cantam os nomes do Deus Shiva.

A cerimônia de iniciação de um Aghori é feita em um Shmashna(cemitério), onde o devoto faz um "Sadhana" durante 41 dias, tendo que passar por cinco ritos, que são eles: Mansh (Carne), Meen (Peixe), Murda (Cadáver), Madira (Licor) e Maithuna (Sexo), ou os cinco M. O papel do cemitério junto à meditação Aghori é muito importante. O simbolismo é enfatizado nos textos, o cemitério representa a totalidade da vida alimentada para consciência do Eu. Sentado em meditação sobre o corpo, o Iogue "queima" as atividades que o atormentam; da mesma maneira que os corpos estão queimados nos Ghats;meditando em um shmashna ele alcança a combustão das experiências do Ego mais rapidamente; ao mesmo tempo ele se livra do medo, ele evoca os mais terríveis demônios (Rakshasas) e obtém o domínio sobre eles. Eles justificam estas práticas dizendo que todo homem deveria destruir as inclinações e gostos,que não há nem o Bem e nem o Mal, agradável nem desagradável; para eles não existem distinções de castas ou religiões. Os ascetas Aghoris não são aceitos entre os hindus, pois transgridem todos os tabus e ensinamentos do Hinduísmo, tendo um ponto de vista mais tântrico. Uma de suas regras principais é: "Inverta todos os valores e eles acelerarão o esclarecimento." Os Aghoris desafiam regras, em oposição as hierarquias autoritárias comuns em muitas seitas e religiões.

Os Aghoris são divididos em duas ordens: Os Shud'dhs (Puros) e os Malins (Sujos). Alguns cultuam a Deusa Sitala Devi, outros Parnagiri Devi(cultuada em Pali, perto de Ajmer e considerada a deusa dos ascetas); outros adoram a Deusa Kali. Existem também dois tipos de culto, Badram(Puro) e Vakam(Impuro), sendo que o segundo é o mais preferido e tido por muitos místicos como uma das verdadeiras bases da Magia Negra. Qualquer Shaivita (devoto de Shiva) pode se tornar um Aghori. Eles levam uma vida pior do que a de um vagabundo, e um discípulo (Chela) só pode se tornar um Aghori após doze anos da morte de seu guru (Mestre Espiritual). Todo Guru é acompanhado de um cachorro e seus corpos são enterrados em posição de lótus. Embora possa haver uma conexão quase direta que ligue os Aghoris com a seita Kapalikas (Portadores do Crânio),de períodos imemoriais, os Aghoris atribuem suas origens  e filosofias a Aghorachavya Baba Kina Ram, um asceta que viveu 150 anos durante a segunda metade do século 16. Kina Ram era tido como uma encarnação do Deus Shiva, assim como foram cada um de seus sucessores.

Ao término do século 19 era calculado que cerca de 300 ascetas Aghoris viviam em Varanasi (a cidade de Shiva), hoje existam talvez um pouco mais de vinte vivendo no centro principal, no eremitério de Kina Ram (local onde Kina Ram está enterrado em uma tumba e é o centro de peregrinação para ascetas Aghoris.

Este caminho extremo e místico não é indicado para todos. E o que leva alguns Sadhus a caminharem pela trilha de Aghor? A levar uma vida de penitência tão severa? Eles dizem que há tantos caminhos quanto investigadores para segui-los. Até mesmo na índia, poucos escolhem este sinistro caminho do ocultismo.

 

Aghor Mantra:
                                                           
Aghorchakshur Atatighiniedhi Shiva Pashubhyah Surnanath Suvarcar.
Virasur Devakama Syena Sham Na Bhava Dvipade Sham Chatuspade.
                                                                                
---- Rig.Veda 10.85.44
 
 
Aghor Mantra:
 
Om Aghor
Om Aghoratar
Om Hraum
Hraim Namaste
Rudrarupaya
Hraim Swaha

                                 

 

Por Aghor